sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Programa Prato para Todos atenderá 30 mil pessoas até dezembro

NOVO TEXTO
Programa Prato para Todos oferece alimentos e educação nutricional para cerca de 30 mil pessoas de baixa renda atendidas por 150 entidades de Porto Alegre - Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini -
No Dia Mundial da Alimentação, celebrado nesta sexta-feira (16), o governador José Ivo Sartori e a secretária do Gabinete de Políticas Sociais, Maria Helena Sartori, lançaram o programa Prato para Todos, que oferece alimentos e educação nutricional para cerca de 30 mil pessoas de baixa renda atendidas por 150 entidades de Porto Alegre até dezembro. Inicialmente, serão atendidas 25 mil pessoas, principalmente crianças e idosos. Até o final de 2016, a meta do Prato para Todos é chegar a 50 mil.

Produtores, atacadistas, voluntários, funcionários da Ceasa e representantes das entidades beneficiadas pelo programa lotaram o Salão Negrinho do Palácio Piratini para o lançamento. O projeto foi idealizado pela Central de Abastecimento do RS (Ceasa) e pela Secretaria do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), em parcerias com o Sistema Fecomércio-RS/Sesc e Seven Boys.

“Esta é uma construção coletiva que a finalidade de aproveitar os alimentos, evitando o desperdício. Fazer com os alimentos de qualidade cheguem na casa daquelas pessoas que mais precisam, além de educar e ensinar a reaproveitar os alimentos. Este é o exemplo da solidariedade, da participação e do envolvimento de todos”, afirmou o governador.

No encerramento, Sartori se dirigiu à frente do Palácio Piratini conhecer e entregar as chaves de um ônibus-escola dotado de cozinha industrial em seu interior com 24 lugares ao presidente do Sistema Fecomércio-RS/Sesc, Luiz Carlos Bohn. O veículo servirá como sala de aulas em entidades que não têm cozinha em Porto Alegre e cidades da Região Metropolitana da capital. Outro ônibus será entregue à Emater, que será responsável de levar o projeto educacional para o interior do RS.

O secretario da SDR, Tarcisio Minetto, afirmou que o Prato para Todos é uma importante ferramenta de proteção social. “A união de diferentes atores, do poder público e da iniciativa privada, vai colocar em prática uma política pública para reduzir a insegurança alimentar e a pobreza”, afirmou. “Este programa nasce sem que o Estado precise desembolsar recursos, mas o governo assume a liderança para organizar diferentes elos em prol da sociedade.”

“O Brasil é o país que mais desperdiça alimentos, deixando de aproveitar 30% do que produz. Com o Prato para Todos, aumentamos o controle sobre o descarte de alimentos e criamos um novo hábito entre as famílias de baixa renda, que aprenderão a aproveitar cascas, talos, folhas, ramas e cascas, de alto valor nutricional, em sua alimentação,” destacou o presidente da Ceasa, Ernesto da Cruz Teixeira.

Como funcionará
A operacionalização do programa começa com voluntários da Ceasa, que coletarão hortifrutigranjeiros entre os excedentes de mercado do pavilhão de produtores e do setor atacadista. Os produtos serão classificados e armazenados, para depois comporem kits que terão ainda pães doados pela Seven Boys.

A Ceasa já montou um cadastro de entidades que serão beneficiadas e monitoradas sistematicamente, como creches comunitárias, instituições filantrópicas, asilos e entidades oficialmente registradas que tratem de crianças ou pessoas em vulnerabilidade social.

Com isso, além de prover alimentação, o programa desenvolve ações educativas junto às comunidades. O ônibus-escola do Sistema Fecomércio-RS/Sesc vai percorrer entidades e associações cadastradas, e nutricionistas ministrarão cursos sobre como aproveitar frutas e legumes integralmente no preparo de várias receitas. Os participantes recebem também um livro com receitas. Além de capacitar cozinheiras, o Sesc/RS levará opções de lazer para crianças em suas visitas educacionais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário