domingo, 29 de setembro de 2013

Uma revisão para o Ministério da Saúde, um salto para o vegetarianismo



O novo Guia Alimentar brasileiro será lançado em março do ano que vem. Mas em outubro, os nutricionistas vegetarianos ainda podem incluir uma referência da dieta na publicação. Eric Slywitch, da SVB, defendeu a proposta em reunião sobre o tema promovida pelo governo federal

Em certos termos, a mudança pode até não impactar tanto no trabalho dos profissionais da área, até porque a viabilidade da alimentação sem carne já é aceita pelo Conselho Nacional de Nutrição. Mas se não altera muita coisa para os nutricionistas, que diferença faz? “O Guia Alimentar é feito para a população e a implementação da dieta vegetariana seria, na verdade, mais um aval de um importante órgão público, o Ministério da Saúde”, explica Eric Slywitch, médico nutrólogo da SVB.

Cuidar de bichos era fixação de Guimarães Rosa


"Creio, firmemente, que os animais têm alma, e que, algum dia, sob não sei que forma, havemos de rever os nossos – aos quais o amor desinteressado uniu, e, ainda mais, talvez, o sofrimento.” (Guimarães Rosa, em carta)


Felinamente. Assim um amigo de Guimarães Rosa definiu como agia o escritor ao lado de seus gatos.
Quem ia ao apartamento do mineiro, em Copacabana, logo notava que ele se misturava aos bichos. Paulo Dantas ainda escreveu: “Em casa, lá estava Rosa, íntimo, comungante, ao lado de belos gatos aveludados. Rosa neles se esfregava voluptoso. Com os gatos, movia-se a pessoa de Rosa”.

A paixão do autor de Grande Sertão: Veredas não era apenas pelos felinos e vinha da infância, quando vivia numa chácara com perdizes, cabras e saguis de estimação. Um veadinho que o pai trouxera de uma caçada foi o primeiro bicho pelo qual se apegou. Depois teve um carneirinho branco inseparável.

Já adulto, sempre manteve animais em casa e se alegrava ao contar sobre eles aos amigos e familiares. Um papagaio chamado Louro sabia cantar, assobiar, aboiar, tossir e chorar como criança. “É um pândego”, contou ao pai, em carta de 1952.

Terapia com animais será tema de workshop na Capital


Acontece no próximo dia 19 de outubro um workshop sobre pet terapia. O evento, que acontece das 9h às 18h, no Hotel Plaza São Rafael (avenida Alberto Bins, 514 – Centro Histórico), tem como objetivo propiciar conhecimentos teóricos e práticos sobre esta modalidade, visando a promoção da saúde humana através da relação humano-animal.
“Os animais entram em cena para poder ‘tocar’ alguns pontos, que, muitas vezes, uma terapia convencional levaria mais tempo. Eles não julgam os defeitos humanos; simplesmente os aceitam e se envolvem incondicionalmente num ciclo de trocas afetivas. Ou seja, a partir desse vínculo, os bichinhos trazem à tona emoções e lembranças possíveis de tratar que atingem muitos focos de doenças como, por exemplo, a depressão”, diz a psicóloga Karina Schutz, organizadora do workshop.
As inscrições, que custam entre R$ 120 e R$ 150, podem ser feitas por e-mail.
 

Evento em Porto Alegre irá discutir a proteção animal no Direito brasileiro e no Direito Internacional


O Brasil é o maior representante mundial em biodiversidade. A riqueza genética da fauna brasileira é um grande diferencial em comparação com o restante do planeta. Contudo, o país tem sido o grande responsável pela extinção de várias espécies silvestres e se omitido no cuidado e proteção dos animais domésticos e domesticados. A forma de tratamento e de proteção dessa riqueza natural comporta uma discussão que envolve o direito, a cultura e a história de um povo. E é responsabilidade da academia abrir espaço para tal discussão.
Pensando nisso, a Faculdade de Direito da PUC/RS realiza, entre os dias 3 e 5 de outubro, o II Congresso Brasileiro de Bioética e Direito dos Animais e III Ciclo de Palestras de Direito dos Animais. O evento inicia às 9h, no Auditório do Prédio 11, Campus Central da universidade.
Segundo a advogada Fernanda Medeiros, professora de Direito e uma das organizadoras do Congresso, “a atividade desenvolverá uma análise crítica da teoria e da prática acerca da proteção dos animais não humanos no Direito Brasileiro e no Direito Internacional”.
Mais informações sobre o Congresso Brasileiro de Bioética e Direito dos Animais e III Ciclo de Palestras de Direito dos Animais

SEDA realiza palestra para alunos das escolas Nova Gleba e Timbaúva


Cento e quarenta alunos da EMEI Nova Gleba, no bairro Rubem Berta, e da EMEF Timbaúva, no bairro Mario Quintana, participaram da palestra sobre Guarda Responsável e Direitos Animais. O número de crianças e adolescentes envolvidos nesta ação ultrapassa os 3,3 mil. Somente este ano foram 912 estudantes de 16 escolas.
“Quando se adota um animal, a pessoa deve estar ciente de que o tempo médio de vida de um cão ou gato é de 10 a 15 anos e que ele deve estar preparado para dar todo o auxílio necessário, bem como respeito e amor”, afirma Fabiana Betat, coordenadora de Eventos e Educação.
As palestras também servem para informar à população sobre os serviços prestados pela SEDA, como esterilização; fiscalização a maus tratos; atendimento a animais de rua e sob responsabilidade de pessoas que recebem o Bolsa Família; atendimentos e esterilização nas comunidades com o ônibus Bicho Amigo e vacinação e vermifugação. As solicitações devem ser feitas através do 156 – Fala Porto Alegre.

Cão desaparecido no bairro Tristeza


A SRD Paysana fugiu de casa, na manhã de quinta-feira (26). O endereço é Travessa Nova Trento, bairro Tristeza (fundos do Zaffari da Wesceslau Escobar). Quem avistá-la ou tiver notícias do seu paradeiro, entrar em contato por e-mail.

Ônibus Bicho Amigo realizou 174 atendimentos na semana


A Secretaria Especial dos Direitos dos Animais (SEDA) realizou, entre os dias 19 e 25 de setembro, 76 esterilizações, 102 atendimentos clínicos e 22 cirurgias, sendo três para retirada de tumor, uma ressíntese, uma faringostomia, uma caudectomia, uma síntese e duas laparotomias.
Já a equipe do ônibus Bicho Amigo realizou 23 vacinações e 174 vermifugações, enquanto que a fiscalização atendeu a 67 demandas do “Fala Porto Alegre – 156”.

Sapucaia conhece trabalho da Secretaria Especial dos Direitos Animais


Uma comitiva de Sapucaia do Sul visitou nessa quarta-feira, 25, a Secretaria Especial dos Direitos Animais (Seda) e a Área de Medicina Veterinária. O grupo, liderado por André Brandolf, diretor de Meio Ambiente da cidade, foi recebido pelo secretário adjunto Maurício Silveira de Oliveira, que apresentou um balanço dos dois anos de atividade da Seda.
“Viemos a Porto Alegre saber como é que se faz. Nossa estrutura é nova, com poucos recursos e um quadro reduzido para atender uma demanda reprimida por anos. O problema acontece em todos os lugares e, para mudar, buscamos saber por onde começar com quem já obteve resultados positivos”, disse Tânia Grasiela, do Departamento de Bem-Estar Animal.

São Leopoldo busca exemplo de políticas adotadas pela SEDA


A secretária de Proteção Animal de São Leopoldo, Bernadete Moog do Amaral, visitou a titular da pasta dos Direitos Animais, Regina Becker. Bernadete foi convidada pelo prefeito Anibal Silva para assumir a primeira secretária voltada aos animais naquela cidade, aprovada pela Câmara de Vereadores no último dia 1º de agosto.
“O desafio foi lançado e tenho muitos projetos para implementar, mas primeiro é preciso arrumar a casa e dar qualidade de vida aos 300 animais que estão sob responsabilidade do município. Por isso, vim pedir apoio à Regina Becker, que está fazendo um esforço sobrenatural em Porto Alegre para atender a demanda”, disse a secretária de São Leopoldo.

Seda presta atendimento a animais em ação conjunta no Sarandi






A Secretaria Especial dos Direitos Animais (Seda) prestou atendimento a mais de 50 cães e gatos de famílias do bairro Sarandi, nesta quarta-feira, 25 O trabalho faz parte da ação conjunta da Prefeitura de Porto Alegre, governo do Estado e órgãos da iniciativa privada com as famílias afetadas pelo rompimento de um dique na comunidade, há cerca de um mês.
Os animais receberam vemífugo e vacina e, os donos, orientações sobre guarda responsável, principalmente, sobre a necessidade de manter a carteira de vacinação em dia, para evitar a transmissão de doenças. “A maioria dos animais desta comunidade veio das ruas. Passaram fome e frio e, quando são acolhidos, a primeira providência deve ser consultar um veterinário”, alertou Adriana Lopes, veterinária da Seda.

Terremoto en Pakistán




El Gobierno brasileño expresa su pesar por la pérdida de gran número de vidas provocada por el terremoto que afectó la provincia de Baluchistán, en Pakistán, el pasado 24 de septiembre.

El Brasil transmite sus condolencias y solidaridad a los familiares de las víctimas, al pueblo y al Gobierno de Pakistán.

Deputado quer construção de mais 4 colégios em Campo Mourão


 
 
 
   
 

  A demanda cada vez mais crescente de alunos na rede pública estadual em Campo Mourão faz com que grande número de estudantes tenha que buscar vagas em escolas longe de suas residências. Preocupado com essa situação, o deputado estadual Douglas Fabrício (PPS) reforçou ao governo do Estado pedido para atender suas reivindicações para a construção de mais quatro escolas estaduais na cidade.O deputado é autor de solicitações para a construção de novos estabelecimentos de ensino nos jardins Santa Cruz e Cidade Nova, Vila Guarujá e Conjunto Residencial Avelino Piacentini

Douglas confirma ampliação para Cis-Comcam



  Consórcio de Saúde da região irá receber terreno para aumentar atendimento  
   
 
    O deputado estadual Douglas Fabrício confirmou, nesta quarta-feira (25), na Secretaria de Estado da Infraestrutura e Logística, a cessão de terreno para ampliação do posto de atendimento do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Comunidade dos Municípios da região de Campo Mourão (Cis-Comcam). A solicitação foi feita pelo parlamentar e pela prefeita do município de Farol, Ângela Kraus, atual presidente do CIs-Comcam. “O pedido já foi autorizado e precisa percorrer um trâmite porque se trata de um terreno do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) cedido à ...  

Mais de 4 mil pessoas participaram de ações em prol da qualidade de vida em Porto Alegre neste fim de semana


  
Três eventos foram promovidos pelo Sistema Fecomércio-RS/ Sesc na capital: 8º Concurso Rainha da Saúde RS e os Jogos da Saúde 2013, Sesc Estar Bem e Caminhada do Idoso
  
 
  
   Crédito foto: Claiton Dornelles       

O fim de semana (27 a 29/09) foi de mais qualidade de vida na Capital dos gaúchos. Ações de esporte, saúde, lazer e cidadania marcaram os eventos promovidos pelo Sistema Fecomércio-RS/Sesc em vários pontos da cidade: 8º Concurso Rainha da Saúde RS e os Jogos da Saúde 2013, no Sesc Campestre; o Sesc Estar Bem: Bem estar que vai até você, no Bairro Belém Novo; e a Caminhada do Idoso, nos parques da Redenção e Parcão. Ao todo, mais de 4 mil pessoas participaram das atividades.
Durante todo o sábado e domingo, mais de 600 atletas, de 46 equipes, participaram dos Jogos da Saúde 2013, com o objetivo de promover o bem-estar dos trabalhadores da área da saúde através de ações de lazer, integração e esporte. Jogos de vôlei, futsal, futebol sete, atletismo, salto em distância e arremesso de peso estavam na programação de disputas. O destaque dos Jogos da Saúde foi a equipe da Clínica Prontomed, de Cachoeirinha, que, com 39 pontos, conquistou o troféu da 8ª edição e se tornou bicampeã, ao retomar o feito de 2012. A administradora da Clínica, Danielle Geyer, afirmou que a confraternização que os Jogos proporcionam uniu mais ainda a empresa, que é pequena. “É muito gratificante participar do evento”, concluiu o médico Guilherme Sampaio, proprietário da Clínica.
 
 Crédito foto: João Alves
 
Também neste fim de semana, no Sesc Campestre, o Concurso Rainha da Saúde movimentou os profissionais da área. Na noite de sábado (28/09) foi escolhida a mais bela entre as trabalhadoras de hospitais privados, clínicas, laboratórios e serviços de saúde. A fisioterapeuta Aline Costa Montiel, representante da Prontomed, de Cachoeirinha, foi eleita a Rainha da Saúde 2013, além de também ter ganhado a melhor torcida. "Realmente é uma grande honra ganhar o Concurso, representando a minha entidade. Sem sombra de dúvidas levarei isso para o resto da minha vida", afirmou. A corte foi formada por Ingrid Neumann Basler, do Hospital Moinhos de Vento de Porto Alegre, 1ª Princesa, Paula de Alencastro Caballero, do Hospital Nossa Senhora Aparecida de Camaquã, 2ª Princesa, e Tatiane Martins Vicente, do Hospital Banco de Olhos de Porto Alegre, Simpatia. Os Jogos da Saúde e Concurso Rainha da Saúde são realizados em conjunto com a Fehosul (Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul). Confira abaixo a listagem dos vencedores.
Na manhã de domingo (29/09), as ruas de Porto Alegre foram cenário da Caminhada do Idoso, que promoveu lazer e saúde ao público da terceira idade. A iniciativa, que está na programação da Semana do Idoso 2013, teve trajeto do Parcão até a Redenção, onde os idosos se reuniram e fizeram uma atividade de alongamento.
Também no domingo, das 10h às 17h, um grande público participou das ações gratuitas do "Sesc Estar Bem: Bem estar que vai até você" na Praça Inácio Antônio da Silva,– Bairro Belém Novo. A comunidade que passou pelo local teve acesso a testes e orientações de saúde, recreação, atrações culturais, dicas sobre artesanato e aproveitamento integral de alimentos, entre outras atividades.
Sobre o Sesc - No Rio Grande do Sul, o Sesc está presente nos 497 municípios gaúchos com atividades sistemáticas em áreas como a saúde, esporte, lazer, cultura, cidadania, turismo e educação.  Desta forma, o Sesc/RS desempenha o papel social assim como o Senac/RS o da qualificação profissional do Sistema Fecomércio-RS que atua em âmbito econômico, político e social pela constante qualificação e crescimento do setor terciário gaúcho.
RESULTADOS  - 8º Jogos da Saúde e Rainha da Saúde
FUTSAL MASCULINO        
1º Colocado:  Konzen & Cia. Ltda. – São Jerônimo     
2º Colocado: Hospital Banco de Olhos  - Porto Alegre    
3º Colocado: Unimed – Porto Alegre   
FUTSAL FEMININO        
1º Colocado: Hospital Ernesto Dorneles (Porto Alegre)     
2º Colocado: Konzen & Cia. Ltda (São Jerônimo)     
3º Colocado: Unimed (Porto Alegre)       
 
FUTEBOL SETE MASCULINO        
1º Colocado: Ernesto Dornelles (Porto Alegre)  
2º Colocado: Prontomed (Cachoeirinha) 
3º Colocado: Konzem (São Jeronimo)          
VOLEI FEMININO        
1º Colocado: Unimed POA (Porto Alegre)      
2º Colocado: Hospital Militar (Porto Alegre)   
3º Colocado: Radimagem (Porto Alegre)      
VOLEI DUPLAS MASCULINO
1º Colocado: Hospital Militar (Porto Alegre)  
2º Colocado: Hospital Nossa Senhora Aparecida (Camaquã)
VOLEI DUPLAS FEMININO        
1º Colocado: Hospital Militar (Porto Alegre)    
2º Colocado: Hospital Nossa Senhora Aparecida (Camaquã)   
ATLETISMO 100m - Masculino   
1º Colocado: Maicon Essy de Melo – Hospital Militar (Porto Alegre)   
2º Colocado: Fábio Nunes Pereira – Hospital Nossa Senhora Aparecida (Camaquã)
3º Colocado: Claiton Lopes Tarouco – Hospital Nossa Senhora Aparecida (Camaquã)
ATLETISMO 100m - Feminino
1º lugar: Tatiane Pacheco – Unimed (Porto Alegre)
ATLETISMO 400m - Masculino
1º Colocado: Maicon Essy de Melo – Hospital Militar (Porto Alegre)
2º Colocado: Claiton Lopes Tarouco – Hospital Nossa Senhora Aparecida (Camaquã)
3º Colocado: Francisco Bittencourt de Souza – Hospital Militar (Porto Alegre)
ATLETISMO 400m - Feminino
1º lugar: Cristine Gasparotto – Prontomed (Cachoeirinha)
ATLETISMO – SALTO EM DISTÂNCIA - Masculino
1º Colocado:Denis da Costa Carvalho – Hospital Militar (Porto Alegre)
2º Colocado: Roberto Carlos R. de Robert – Hospital Nossa Senhora Aparecida (Camaquã)
3º Colocado: Francisco Bittencourt – Hospital Militar (Porto Alegre)
ATLETISMO – SALTO EM DISTÂNCIA - Feminino
Feminino: 1º lugar: Kellen Brito – Hospital Nossa Senhora Aparecida (Camaquã)
ATLETISMO – ARREMESSO DE PESO - Masculino
1º Colocado: Helbert Cristiano de Lima – Hospital Militar (Porto Alegre)
2º Colocado: Fábio Nunes Pereira – Hospital Nossa Senhora Aparecida (Camaquã)
3º Colocado: Paulo Antonio da Costa Ferreira – Hospital Militar (Porto Alegre)
ATLETISMO – ARREMESSO DE PESO FEMININO
1º Colocado: Carla Garcia Stemianko – Hospital Nossa Senhora Aparecida (Camaquã)
2º Colocado: Kellen Brito – Hospital Nossa Senhora Aparecida (Camaquã)
         
CONCURSO RAINHA DA SAÚDE        
Rainha: Aline Costa Montiel (Prontomed – Cachoeirinha)
1ª Princesa: Ingrid Neumann Basler (Hospital Moinhos de Vento – Porto Alegre)  
2ª Princesa: Paula de Alencastro Caballero (Hospital Nossa Senhora Aparecida – Camaquã)
Simpatia: Tatiane Martins Vicente (Hospital Banco de Olhos – Porto Alegre)
Torcida: Aline Costa Montiel (Prontomed – Cachoeirinha)

Educadoras discutem a inclusão e a educação inclusiva no Brasil


A crescente preocupação com a inclusão e as discussões atuais sobre o tema o colocaram na pauta política e no centro dos debates acerca do ideal da universalização dos direitos individuais. Mas o que é inclusão? Quais os limites da inclusão e da exclusão? O que distingue a inclusão da reclusão, da integração e da reinserção social? O que significa entender a inclusão como um imperativo de Estado? O que caracteriza a inclusão pelo viés da educação especial e pelo viés da educação inclusiva? Essas e outras questões são discutidas no livro 'Inclusão & Educação', das educadoras Maura Corcini Lopes e Eli Terezinha Henn Fabris, lançamento da Autêntica Editora.
Neste importante estudo sobre a educação inclusiva e sobre o papel das instituições de ensino e dos educadores nesse contexto, as autoras problematizam, dentro de um panorama geral, a preocupação com a inclusão no Brasil, em especial com a educação inclusiva no país, e contextualizam e discutem o conceito e as políticas de inclusão, partindo de sua noção atual e emergente e buscando entendê-la como um processo datado advindo dos muitos movimentos sociais, econômicos e culturais produzidos na história da Modernidade.
A obra também revela as diferenças entre inclusão, reclusão, integração e reinserção social e apresenta pesquisas que possibilitam a educadores aprofundar o conhecimento sobre a educação inclusiva, além de indicar outras produções sobre o tema, que contribuem para o amadurecimento dessa discussão.
Inclusão & Educação integra a Coleção Temas e Educação, que já conta com 12 obras, escritas por especialistas em educação, dirigidas a quem quiser se aprofundar nos temas abordados e se familiarizar com as discussões contemporâneas no campo da pesquisa e da prática educacionais.
Confira aqui amostra da obra.
Sobre as autoras – Maura Corcini Lopes é doutora e mestre em Educação, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e licenciada em Educação Especial pela Universidade Federal de Santa Maria. Em 2012, Realizou estudos de pós-doutorado (bolsa Capes) na Universidade de Lisboa. É pesquisadora Produtividade Pesquisa – CNPq e professora titular da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), coordenadora do Grupo Interinstitucional de Pesquisa em Educação de Surdos (GIPES/CNPq) e vice-coordenadora do Grupo de Estudo e Pesquisa em Inclusão (GEPI/CNPq).
Eli Terezinha Henn Fabris é graduada em Pedagogia – Administração Escolar e Orientação Educacional, pela Universidade de Passo Fundo e possui doutorado e mestrado em Educação, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atualmente é professora da Universidade do Vale do Rio dos Sinos, no curso de Pedagogia e no Programa de Pós-Graduação em Educação. Nessa mesma instituição, coordenou o curso de Especialização em Educação Especial, o Programa de Educação e Ação Social (EDUCAS) e o Programa de Iniciação à Docência (PIBID/CAPES/UNISINOS).
TítuloInclusão & EducaçãoAutoras: Maura Corcini Lopes e Eli Terezinha Henn Fabris
Coleção: Temas & Educação
Número de páginas: 96
Formato: 16 x 23 cm
Preço: R$ 37,00
ISBN: 978-85-8217-118-9
Editora: Autêntica Editora
Mais informações sobre os livros da Autêntica Editora estão disponíveis em www.grupoautentica.com.br ou pelo telefone 0800 28 31 322

Turismo oferece atividades para pessoas com deficiência



Passeios, ecoturismo e atividades esportivas estão no roteiro desses turistas
 
Passeios a grutas, saltos em tirolesas, trilhas ecológicas e até mergulho são atividades que já podem ser praticadas por pessoas com deficiência. No Brasil, algumas cidades já oferecem roteiros para esses turistas, a um público potencial de 45 milhões de brasileiros, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  
O primeiro desafio do turista portador de deficiência é a escolha do meio de hospedagem. Alguns hotéis e pousadas especiais oferecem cadeiras de rodas, quartos e banheiros adaptados, portas mais largas e barras de apoio. O mesmo já podem ser vistos em restaurantes, com a preocupação de ofertar aos turistas cardápios em braile. 
A deficiência do engenheiro civil aposentado Claudio Rocha não o impediu de viajar pelo Brasil. Paraplégico, visitou algumas vezes a cidade de Socorro, no interior paulista, conhecida por oferecer atividades adaptadas a deficientes. Saltou de tirolesa, andou de charrete e de bicicletas adaptadas. Também se aventurou por Gramado (RS), Bonito (MS), Foz do Iguaçu (PR), Natal (RN), Porto de Galinhas (PE) e alguns destinos internacionais. 
Cláudio já pescou no Amazonas e em Goiás. A pescaria é sua atividade de lazer favorita. Mas segundo ele, ainda não encontrou um destino em que pudesse pescar sem esbarrar em dificuldade. “No geral, as adaptações não são perfeitas, mas em boa parte das atividades é possível torná-las acessíveis para mim”.  
Antes de definir o destino, turistas como Cláudio podem checar as condições dos estabelecimentos com a Associação Brasileira da Indústria Hoteleira. Alguns empreendimentos possuem certificação da Associação Brasileira de Normas Técnicas em Acessibilidade em Edificações Hoteleiras.
 

Além de Socorro (SP), Fortaleza (CE), Ilha Bela (SP) e Maceió (AL) apresentam passeios, atividades esportivas e ecoturismo para as pessoas com mobilidade reduzida, deficiência auditiva ou visual. 
“Garantir a acessibilidade mostra o amadurecimento dos destinos turísticos, além de ser uma ação que valoriza a imagem dos empreendimentos”, disse o secretário nacional de Políticas de Turismo, Vinicius Lummertz. 
O Ministério do Turismo está financiando 14 projetos que envolvem acessibilidade. O objetivo é incluir essas pessoas em atividades relacionadas ao turismo. Obras em orlas, praças e estradas somam R$ 109 milhões.

Curso para editores gerentes




A UEM, por meio da Eduem e da PAD, e o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) promoverão o curso SEER/OJS para Editores Gerentes. O objetivo é capacitar os agentes editoriais para a publicação de periódicos na versão 2.4.2 do OJS/SEER. As aulas serão ministradas por Ronnie Fagundes de Brito, técnico de informação do IBICT, nos dias 3 e 4 de outubro, no Bloco 110 - NPD, em período integral (20 horas). As inscrições serão acceitas até 2 de outubro, na Eduem, Bloco 40, telefone 3011-4103. As vagas são limitadas.

Terremoto no Paquistão



O Governo brasileiro expressa seu pesar pela perda de grande número de vidas provocada pelo terremoto que atingiu a província do Baluquistão, no Paquistão, em 24 de setembro.

O Brasil transmite suas condolências e solidariedade aos familiares das vítimas, ao povo e ao Governo do Paquistão.

Seleções de Ginástica Artística fecham com 19 medalhas os Jogos Sul-Americanos da Juventude

Divulgação
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Ginastas brasileiros nos I Jogos Sul-Americanos da Juventude



Finais por aparelhos foram realizadas nesta quinta-feira (26), em Lima, no Peru
Santo André (SP) - A ginástica artística do Brasil mostrou toda a sua força nos I Jogos Sul-Americanos da Juventude, em Lima, no Peru. O atletas das Seleções Brasileiras conquistaram 19 medalhas durante os quatro dias de apresentações da modalidade, que foram concluídas nesta quinta-feira (26).

Hoje o dia foi reservado para as finais de cinco aparelhos. No salto, pelo masculino, Lucas Cardoso foi o sétimo colocado, com 12,917 pontos. Nas paralelas, Gabriel Barbosa conquistou o bronze, com 13,300, enquanto Lucas foi o quarto, com 13,200. Na barra fixa, Yannick Santos foi prata, com 13,300. Gabriel foi o quinto, com 12,767.

Pelo feminino, na trave, ouro para Flávia Saraiva, com 13,633, e prata para Rebeca Andrade, com 13,500. No solo, Flávia novamente subiu ao lugar mais alto do pódio, com 13,900, seguida por Rebeca, com 13,700.

Antes das conquistas desta quinta-feira (26), as Seleções já haviam assegurado outras treze medalhas. Pelo masculino, na final do solo, Lucas foi ouro. Nas argolas, Yannick subiu ao lugar mais alto do pódio, enquanto Lucas ficou com o bronze. Pelo feminino, nas paralelas, Rebeca foi a primeira colocada e Flávia a segunda. No salto, Rebeca novamente foi ouro e Thauany de Araújo foi prata. No individual geral, ouro com Lucas, pelo masculino, e Rebeca, pelo feminino, prata com Flávia e bronze com Gabriel. Por equipe, um ouro pelo masculino e outro pelo feminino.

O Brasil foi representado pelos ginastas Gabriel Barbosa, Lucas Cardoso, Yannick Santos, Ygor Reis, Flávia Saraiva, Lorenna da Rocha, Rebeca Andrade e Thauanny de Araújo. Os técnicos são Leonardo Finco e Ricardo Yokoyama, pelo masculino, e Alexandre Batista de Oliveira Carvalho e Keli Kitaura, pelo feminino. Os árbitros são Edgard Ferreira, Fernando Lopes, Elaine Gueriero e Patrícia Turina.

Editora Medianiz lança em Brasília o livro "Gestão de Museus, um desafio contemporâneo" da professora Manuelina Duarte Cândido


Professora de Museologia autografa o livro 'Gestão de museus, um desafio contemporâneo', na próxima segunda-feira, 30 de setembro, às 19h30, na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi, Lago Norte.
Na atual circunstância em que os museus brasileiros se preparam para atender ao Estatuto de Museus, e a elaboração de seus planos museológicos até 2014, é muito oportuna a indicação das diretrizes trazidas no livro Gestão de museus, um desafio contemporâneo: diagnóstico museológico e planejamento, da museóloga Manuelina Maria Duarte Cândido, lançamento da Editora Medianiz. 
Um dos grandes desafios da museologia contemporânea é a elaboração de um diagnóstico adequado ao planejamento e à gestão de museus. Com essa afirmação e experiência na área, a autora apresenta os resultados da força do diagnóstico museológico como um instrumento necessário à qualificação dos museus. Seu ponto de partida é a reflexão sobre a conexão profunda entre teoria e a prática na gestão de museus, concluindo que os desafios maiores são a sistematização dos diagnósticos para a gestão e o planejamento; o desvendamento do possível descompasso entre teoria museológica e as práticas nos museus; e a dificuldade em fixar os mesmos parâmetros diagnósticos para instituições tão diferentes.
Organizado em cinco capítulos, o livro apresenta a trajetória dos museus e da Museologia, exemplos de avaliações museológicas, vasta bibliografia, um rico levantamento de diagnósticos feitos em diversas instituições e uma matriz para ser aplicada nos diagnósticos museológicos e planejamentos institucionais.
O primeiro capítulo analisa a trajetória dos museus e da Museologia, identificando aproximações e paralelos entre o fazer museal e a produção do conhecimento em Museológica. O segundo faz um mergulho em possíveis descompassos e apresenta como um pequeno universo de museus se relaciona com o campo do saber da Museologia. O terceiro busca perceber a abertura dos museus à avaliação, traçando um panorama de diversos tipos de avaliações setoriais. O capítulo seguinte trabalha a bibliografia disponível sobre gestão de museus, em suas múltiplas áreas, mapeando os aspectos considerados relevantes para a análise ou constituição de museus. Por fim, o quinto capítulo apresenta o levantamento e a análise de diagnósticos realizados em diversas instituições.
No lugar da criação de regras que possam ser utilizadas para a realização do diagnóstico, a autora envereda pela reafirmação de um conhecimento museológico “capaz de desenvolver no ‘diagnosticador’ os elementos imponderáveis: faro, golpe de vista, intuição”, como propõe o historiador italiano Carlo Ginzburg, como condição para a aproximação com o museu como objeto de avaliação global que se denomina diagnóstico museológico.
manuelinaSobre a autora - Manuelina Maria Duarte Cândido é professora de Museologia da Universidade Federal de Goiás, desde 2009, obteve o título de doutora em Museologia pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa (2012). Graduada em História pela Universidade Estadual do Ceará (1997), com especialização Organização de Arquivos (1997) e Museologia pela Universidade de São Paulo (2000), onde realizou o mestrado em Arqueologia (2004). Coordenou o Núcleo de Ação Educativa do Centro Cultural São Paulo (2004) e dirigiu o Museu da Imagem e do Som do Ceará (2007-2008). Recebeu a Medalha de Honra ao Mérito 80 Anos da Escola de Museologia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), em 2012, e integrou a Comissão Conceitual da 23ª Conferência Geral do Conselho Internacional de Museus (ICOM), realizada no Rio de Janeiro (agosto de 2013).
TítuloGestão de museus, um desafio contemporâneo: diagnóstico museológico e planejamentoAutora: Manuelina Maria Duarte Cândido
Número de páginas: 240
Formato: 16 x 23 cm
Preço: R$ 40,00
ISBN: 978-85-64713-07-92
Lançamento de Gestão de museus, um desafio contemporâneo
Data: Segunda-feira, 30 de setembro, às 19h30
Local: Livraria Cultura do Shopping Iguatemi Lago Norte | SHIN CA 4, Lote A
Acesse: http://www.livrariacultura.com.br/scripts/eventos/resenha/resenha.asp?nevento=33650 
Mais informações sobre as publicações da Editora Medianiz estão disponíveis no site www.editoramedianiz.com.br

Declaração Ministerial sobre a eliminação da violência e da discriminação contra indivíduos em razão da orientação sexual e identidade de gênero



Nações Unidas, Nova York, 
1.   Nós, Ministros da Argentina, Brasil, Croácia, El Salvador, Estados Unidos, França, Israel, Japão, Noruega, Nova Zelândia, Países Baixos, e a Alta Representante da União Europeia para Relações Exteriores e Política de Segurança – membros do "Core Group" LGBT junto às Nações Unidas – declaramos nosso compromisso forte e determinado pela eliminação da violência e da discriminação contra indivíduos em razão de sua orientação sexual e identidade de gênero.

2.   Dessa forma, reafirmamos nossa convicção de que direitos humanos são direitos inalienáveis de todos os seres humanos. Lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT) devem ter a mesma garantia referente aos direitos humanos que o restante da população.

3.   Saudamos os muitos passos positivos adotados em décadas recentes na proteção dos indivíduos LGBT de violações e abusos de direitos humanos. Desde 1990, cerca de 40 países aboliram sanções penais discriminatórias que eram usadas para punir indivíduos por conduta sexual consensual com indivíduos adultos do mesmo sexo. Em muitos países, leis e outras medidas contra crimes de ódio têm sido introduzidas para combater a violência homofóbica, e leis anti-discriminatórias têm sido fortalecidas para oferecer proteção jurídica efetiva contra a discriminação em razão da orientação sexual e identidade de gênero no ambiente de trabalho e em outras esferas, de natureza pública ou privada.

4.   Reconhecemos ainda que o combate à discriminação envolve o desafio a preconceitos populares, e saudamos esforços de Governos, instituições nacionais de direitos humanos e da sociedade civil para combater atitudes homofóbicas e transfóbicas na sociedade em geral, incluindo por meio de campanhas educativas públicas e concertadas.

5.  Afirmamos nosso apoio e prestamos homenagem aos defensores de direitos humanos LGBT e a demais ativistas dos direitos humanos de pessoas LGBT. Seu trabalho, frequentemente desempenhado à custa de risco pessoal considerável, tem importância crucial para a documentação de violações de direitos humanos, o apoio às vítimas, e a sensibilização de Governos e da opinião pública.

6.  Louvamos a adoção da Resolução 17/19 sobre direitos humanos, orientação sexual e identidade de gênero, pelo Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, e enaltecemos os esforços do Secretário-Geral e da Alta Comissária de Direitos Humanos para promover a conscientização global dos desafios de direitos humanos enfrentados por indivíduos LGBT, bem como mobilizar apoio para medidas para o combate à violência e à discriminação em razão da orientação sexual e identidade de gênero.

7.   Ainda assim, seguimos seriamente preocupados com o fato de que pessoas LGBT em todas as regiões do mundo continuem a ser vítimas de violações e abusos de direitos humanos graves e generalizados.

8.   O estudo da Alta Comissária de Direitos Humanos de 2011, um grande marco, que utilizou informações apuradas em quase duas décadas de atividades dos mecanismos de direitos humanos da ONU, detectou um padrão profundamente perturbador de violência e de legislações e práticas discriminatórias que afetam indivíduos em razão de sua orientação sexual e identidade de gênero.

9.  É uma tragédia que, na segunda década do século XXI, relações sexuais adultas, consensuais, entre indivíduos do mesmo sexo, continuem a ser criminalizadas em muitos países – expondo milhões de pessoas ao risco de prisão e encarceramento e, em alguns países, à pena de morte. Essas leis são inconsistentes com as obrigações e os compromissos de direitos humanos dos Estados, incluindo no que respeita à privacidade e à liberdade de discriminação. Além disso, podem levar a violações de proibições contra prisões arbitrárias ou detenção e tortura, e em alguns casos, do direito à vida.

10.  Em todas as partes do mundo - incluídas as dos participantes desta reunião - indivíduos LGBT são sujeitos a intimidação, ataques físicos, violência sexual, e, até mesmo, homicídios. São frequentes os relatos de tratamento discriminatório, que impedem a implementação de toda uma gama de direitos humanos - incluídos os direitos de liberdade de expressão, de associação e de reunião pacífica, e direitos ao trabalho, à educação e a ao mais elevado padrão possível de saúde.

11.   Estamos totalmente comprometidos em eliminar esses abusos e violações - tanto no nível doméstico, inclusive por meio da avaliação continuada do resultado das atuais políticas, como no nível global, incluindo pela ação conjunta nas Nações Unidas.

12.  Reconhecemos a importância do diálogo contínuo entre e dentro de nossos países a respeito de como melhor proteger os direitos humanos das pessoas LGBT, levando em consideração iniciativas regionais. Nesse contexto, saudamos o resultado de série de consultas regionais recentes sobre o tópico de direitos humanos, orientação sexual e identidade de gênero, realizadas em março e abril de 2013, e encorajamos a organização de eventos semelhantes adicionais nos níveis regional e nacional.

13.  A implementação integral e efetiva do Direito Internacional dos Direitos Humanos aplicável é fundamental para a proteção dos direitos humanos dos indivíduos LGBT. Os tratados internacionais de direitos humanos existentes oferecem garantias juridicamente vinculantes de direitos humanos para todos - incluindo as pessoas LGBT. Mas para que essas garantias tenham significado, elas devem ser respeitadas pelos Governos, depositários da responsabilidade jurídica pela proteção dos direitos humanos.

14. Conscientes da necessidade urgente de ação, exortamos todos os Membros das Nações Unidas a rejeitar leis discriminatórias, aperfeiçoar respostas à violência motivada pelo ódio, e assegurar proteção jurídica adequada e apropriada da discriminação em razão da orientação sexual e identidade de gênero.

15.  Incentivamos fortemente o Escritório da Alta Comissária de Direitos Humanos a continuar seus esforços no sentido de melhorar a compreensão dos desafios de direitos humanos enfrentados pelas pessoas LGBT, advogar por medidas jurídicas e políticas para vencer esses desafios, e assistir os mecanismos de direitos humanos das Nações Unidas a esse respeito.

16.  Estamos de acordo com a avaliação do Secretário-Geral das Nações Unidas de que o combate à violência e à discriminação em razão da orientação sexual e identidade de gênero constitui "um dos grandes desafios de direitos humanos negligenciados dos nossos tempos". Comprometemo-nos a trabalhar com outros Estados e com a sociedade civil para chegarmos a um mundo mais seguro, mais livre e mais justo para as pessoas LGBT.

GIPZ se reúne em setembro para esclarecer a contribuição da ortodontia na avaliação e no tratamento do Zumbido







A palestra de uma hora de duração será ministrada pela otoneurologista, otorrinolaringologista e coordenadora do grupo, Dra. Rita Guimarães.

Na próxima sexta-feira, dia 04 de outubro, acontece a já conhecida reunião de do Grupo de Informação a Pessoas com Zumbido (GIPZ), em Curitiba. Formado pelos especialistas Rita de Cássia Cassou Guimarães, médica otorrinolaringologista e ortoneurologista, Izabella Pedriali de Macedo, fonoaudióloga, Vivian Pasqualin, fisioterapeuta, Daniela Matheus, psicóloga e Gerson Kohler, ortodontista, as reuniões, realizadas sempre nas primeiras sextas-feiras do mês – de março a dezembro - têm como objetivo esclarecer, explicar e tirar todas as dúvidas possíveis quando o assunto é o zumbido.
No encontro de outubro, a palestrante em questão será a otoneurologista, otorrinolaringologista e coordenadora do grupo, Dra. Rita Guimarães, que trabalhará mais a fundo questões sobre as opções de tratamento para o zumbido. Segundo a especialista, o zumbido pode ser causado por mais de 200 fatores – e, muitas vezes, por mais de uma causa na mesma pessoa.
Devido a essas diversas causas, o tratamento varia de pessoa para pessoa e pode precisar de uma intervenção interdisciplinar. Odontologia, Psicologia Fisioterapia,e Fonoaudiologia são algumas das áreas que atuam em conjunto com a Otoneurologia para cuidar de pacientes que sofrem com esse mal. É necessário diagnosticar todas as causas e criar estratégias adequadas para tratá-las. Após a identificação desses fatores, o tratamento mais adequado é prescrito, e pode variar de desde o uso de aparelhos auditivos, terapia sonora à correção das alterações gerais da saúde do paciente.
 As reuniões do GIPZ
A primeira hora dos encontros é destinada a palestra ministrada por um dos especialistas. A segunda hora é dedicada ao esclarecimento de dúvidas dos presentes e a troca de experiências entre os pacientes. "Não fazemos consultas e nem vemos exames. Nosso objetivo é dar direcionamentos e esclarecimentos sobre o zumbido", enfatiza Rita Guimarães.
Rita destaca que o conhecimento é fundamental para aumentar a qualidade de vida dos pacientes com zumbido. “Com as informações necessárias, eles percebem que o zumbido é um sintoma que tem tratamento e não oferece riscos à saúde. Descobrem que ele não causa surdez, não afeta problemas psicológicos e nem desencadeia qualquer enfermidade. Assim como a febre, o zumbido indica que algo está errado no organismo e é este agente que devemos eliminar”, conclui a coordenadora.
As reuniões acontecem todos os meses na primeira sexta-feira do mês (nesse caso, dia quatro de outubro), no 5º andar do Anexo B do Hospital de Clínicas da UFPR, em Curitiba. Os encontros têm início as 14 horas e a entrada é franca.
O telefone de contato para participar das reuniões e tirar demais dúvidas é o (41) 3225-1665.


Imagens relacionadas


baixar em alta resolução

Sessão de Cinema - Olhar Compartilhado: Peter Kubelka‏


MIS

Ministerial Declaration on ending violence and discrimination against individuals based on their sexual orientation and gender indentity



United Nations, New York,


1.   We, ministers of Argentina, Brazil, Croatia, El Salvador, France, Israel, Japan, The Netherlands, New Zealand, Norway and United States, and the High Representative of the European Union for Foreign Affairs and Security Policy – members of the LGBT Core Group at the United Nations – hereby declare our strong and determined commitment to eliminating violence and discrimination against individuals based on their sexual orientation and gender identity.

2.   In so doing, we reaffirm our conviction that human rights are the birthright of every human being. Those who are lesbian, gay, bisexual and transgender (LGBT) must enjoy the same human rights as everyone else.

3.   We welcome the many positive steps taken in recent decades to protect LGBT individuals from human rights violations and abuses. Since 1990, some 40 countries have abolished discriminatory criminal sanctions used to punish individuals for consensual, adult same-sex conduct.  In many countries, hate crime laws and other measures have been introduced to combat homophobic violence, and anti-discrimination laws have been strengthened to provide effective legal protection against discrimination on the basis of sexual orientation and gender identity in the workplace and other spheres, both public and private.

4.   We also recognize that countering discrimination involves challenging popular prejudices, and we welcome efforts by Governments, national human rights institutions and civil society to counter homophobic and transphobic attitudes in society at large, including through concerted public education campaigns.

5.  We assert our support for, and pay tribute to, LGBT human rights defenders and others advocating for the human rights of LGBT persons. Their work, often carried out at considerable personal risk, plays a critical role in documenting human rights violations, providing support to victims, and sensitizing Governments and public opinion.

6.  We commend the adoption by the United Nations Human Rights Council of resolution 17/19 on human rights, sexual orientation and gender identity, and we welcome the efforts of the Secretary-General and the High Commissioner for Human Rights to raise global awareness of human rights challenges facing LGBT individuals, and to mobilize support for measures to counter violence and discrimination based on sexual orientation and gender identity.

7.   Nevertheless, we remain gravely concerned that LGBT persons in all regions of the world continue to be victims of serious and widespread human rights violations and abuses.

8.   A landmark 2011 study by the High Commissioner for Human Rights, which drew on almost two decades worth of work by United Nations human rights mechanisms, found a deeply disturbing pattern of violence and discriminatory laws and practices affecting individuals on the basis of their sexual orientation and gender identity.

9.  It is a tragedy that, in this second decade of the 21st century, consensual, adult, same-sex relations remain criminalized in far too many countries – exposing millions of people to the risk of arrest and imprisonment and, in some countries, the death penalty. These laws are inconsistent with States’ human rights obligations and commitments, including with respect to privacy and freedom from discrimination. In addition, they may lead to violations of the prohibitions against arbitrary arrest or detention and torture, and in some cases the right to life.

10.  In all parts of the world – including in our own – LGBT individuals are subjected to intimidation, physical assault, and sexual violence, and even murder. Discriminatory treatment is also widely reported, inhibiting the enjoyment of a range of human rights – including the rights to freedom of expression, association and peaceful assembly, and work, education and enjoyment of the highest attainable standard of health.

11.   We are fully committed to tackling these violations and abuses – both at the domestic level, including through continued attention to the impact of current policies, and at the global level, including through concerted action at the United Nations.

12.  We recognize the importance of continued dialogue between and within countries concerning how best to protect the human rights of LGBT persons, taking into account regional initiatives. In this context, we welcome the outcome of a series of recent regional consultations on the topic of human rights, sexual orientation and gender identity that took place in March and April 2013, and encourage the holding of further such meetings at regional and national levels.

13.  Key to protecting the human rights of LGBT individuals is the full and effective implementation of applicable international human rights law. Existing international human rights treaties provide legally binding guarantees of human rights for all – LGBT people included. But for these guarantees to have meaning they must be respected by Governments, with whom legal responsibility for the protection of human rights lies.

14. Cognizant of the urgent need to take action, we therefore call on all United Nations Member States to repeal discriminatory laws, improve responses to hate-motivated violence, and ensure adequate and appropriate legal protection from discrimination on the basis of sexual orientation and gender identity.

15.  We strongly encourage the Office of the High Commissioner for Human Rights to continue its efforts to increase understanding of the human rights challenges facing LGBT people, advocate for legal and policy measures to meet these challenges, and assist the United Nations human rights mechanisms in this regard.

16.   We agree with the United Nations Secretary-General’s assessment that combating violence and discrimination based on sexual orientation and gender identity constitutes “one of the great, neglected human rights challenges of our time”. We hereby commit ourselves to working together with other States and civil society to make the world safer, freer and fairer for LGBT people everywhere.

Ministerial Declaration on ending violence and discrimination against individuals based on their sexual orientation and gender indentity



United Nations, New York,


1.   We, ministers of Argentina, Brazil, Croatia, El Salvador, France, Israel, Japan, The Netherlands, New Zealand, Norway and United States, and the High Representative of the European Union for Foreign Affairs and Security Policy – members of the LGBT Core Group at the United Nations – hereby declare our strong and determined commitment to eliminating violence and discrimination against individuals based on their sexual orientation and gender identity.

2.   In so doing, we reaffirm our conviction that human rights are the birthright of every human being. Those who are lesbian, gay, bisexual and transgender (LGBT) must enjoy the same human rights as everyone else.

3.   We welcome the many positive steps taken in recent decades to protect LGBT individuals from human rights violations and abuses. Since 1990, some 40 countries have abolished discriminatory criminal sanctions used to punish individuals for consensual, adult same-sex conduct.  In many countries, hate crime laws and other measures have been introduced to combat homophobic violence, and anti-discrimination laws have been strengthened to provide effective legal protection against discrimination on the basis of sexual orientation and gender identity in the workplace and other spheres, both public and private.

4.   We also recognize that countering discrimination involves challenging popular prejudices, and we welcome efforts by Governments, national human rights institutions and civil society to counter homophobic and transphobic attitudes in society at large, including through concerted public education campaigns.

5.  We assert our support for, and pay tribute to, LGBT human rights defenders and others advocating for the human rights of LGBT persons. Their work, often carried out at considerable personal risk, plays a critical role in documenting human rights violations, providing support to victims, and sensitizing Governments and public opinion.

6.  We commend the adoption by the United Nations Human Rights Council of resolution 17/19 on human rights, sexual orientation and gender identity, and we welcome the efforts of the Secretary-General and the High Commissioner for Human Rights to raise global awareness of human rights challenges facing LGBT individuals, and to mobilize support for measures to counter violence and discrimination based on sexual orientation and gender identity.

7.   Nevertheless, we remain gravely concerned that LGBT persons in all regions of the world continue to be victims of serious and widespread human rights violations and abuses.

8.   A landmark 2011 study by the High Commissioner for Human Rights, which drew on almost two decades worth of work by United Nations human rights mechanisms, found a deeply disturbing pattern of violence and discriminatory laws and practices affecting individuals on the basis of their sexual orientation and gender identity.

9.  It is a tragedy that, in this second decade of the 21st century, consensual, adult, same-sex relations remain criminalized in far too many countries – exposing millions of people to the risk of arrest and imprisonment and, in some countries, the death penalty. These laws are inconsistent with States’ human rights obligations and commitments, including with respect to privacy and freedom from discrimination. In addition, they may lead to violations of the prohibitions against arbitrary arrest or detention and torture, and in some cases the right to life.

10.  In all parts of the world – including in our own – LGBT individuals are subjected to intimidation, physical assault, and sexual violence, and even murder. Discriminatory treatment is also widely reported, inhibiting the enjoyment of a range of human rights – including the rights to freedom of expression, association and peaceful assembly, and work, education and enjoyment of the highest attainable standard of health.

11.   We are fully committed to tackling these violations and abuses – both at the domestic level, including through continued attention to the impact of current policies, and at the global level, including through concerted action at the United Nations.

12.  We recognize the importance of continued dialogue between and within countries concerning how best to protect the human rights of LGBT persons, taking into account regional initiatives. In this context, we welcome the outcome of a series of recent regional consultations on the topic of human rights, sexual orientation and gender identity that took place in March and April 2013, and encourage the holding of further such meetings at regional and national levels.

13.  Key to protecting the human rights of LGBT individuals is the full and effective implementation of applicable international human rights law. Existing international human rights treaties provide legally binding guarantees of human rights for all – LGBT people included. But for these guarantees to have meaning they must be respected by Governments, with whom legal responsibility for the protection of human rights lies.

14. Cognizant of the urgent need to take action, we therefore call on all United Nations Member States to repeal discriminatory laws, improve responses to hate-motivated violence, and ensure adequate and appropriate legal protection from discrimination on the basis of sexual orientation and gender identity.

15.  We strongly encourage the Office of the High Commissioner for Human Rights to continue its efforts to increase understanding of the human rights challenges facing LGBT people, advocate for legal and policy measures to meet these challenges, and assist the United Nations human rights mechanisms in this regard.

16.   We agree with the United Nations Secretary-General’s assessment that combating violence and discrimination based on sexual orientation and gender identity constitutes “one of the great, neglected human rights challenges of our time”. We hereby commit ourselves to working together with other States and civil society to make the world safer, freer and fairer for LGBT people everywhere.

Destinos brasileiros são apresentados na França



Roteiros turísticos da Bahia, Rio de Janeiro e Amazonas estão sendo apresentados n
a International French Travel Market – IFTM Top Resa, em Paris
 
O secretário nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo, Fábio Mota, participa da apresentação de destinos brasileiros ao público de uma das maiores feiras de turismo da Europa, a International French Travel Market – IFTM Top Resa, em Paris, na França. 
A ideia é promover a Bahia, o Rio de Janeiro e o Amazonas como roteiros integrados junto às secretarias estaduais de turismo e a Empresa Brasileira de Turismo (Embratur). Os três estados sediam jogos da Copa do Mundo de 2014.
De acordo com Fábio Mota, a ação foi motivada pelo aumento da chegada de turistas franceses ao Brasil. Segundo o Anuário Estatístico de 2013 do Ministério do Turismo, o número de franceses que visitaram o país aumentou de 207,8 mil, em 2011, para 218,6 mil, em 2012. Os destinos mais procurados foram Rio de Janeiro, Foz do Iguaçu e Salvador. 
“Isso mostra o aquecimento das relações entre Brasil e França e o aumento do interesse dos franceses nos destinos brasileiros”, disse o secretário. 
A 35º edição da International French Travel Market – IFTM Top Resa até sexta-feira (27) deve receber a visita de 28 mil pessoas.

DEPARTAMENTOS TERÃO expediente interno para atualização de sistema


Nesta sexta e segunda-feira (27 e 30/09), os departamentos de Fiscalização, Tributação e de Protocolo da Prefeitura de Apucarana não estarão atendendo o contribuinte. “Os trabalhos serão apenas internos e visam a realização de ajustes no sistema informatizado de arrecadação”, informa o prefeito Beto Preto. Segundo o secretário de Gestão Pública e Fazenda, Marcello Augusto Machado, a principal medida será a integração entre os dois sistemas. “Com esta unificação vamos ganhar em praticidade e agilidade em todos os serviços, resultando em melhorias no sistema de atendimento aos contribuintes”, esclarece. Os demais setores do prédio central vão estar funcionando normalmente nesta sexta e segunda-feira. Dúvidas ou outras informações podem ser obtidas pelo telefone 3422-4000.

Seleções de Ginástica Artística fecham com 19 medalhas os Jogos Sul-Americanos da Juventude

Divulgação
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Ginastas brasileiros nos I Jogos Sul-Americanos da Juventude



Finais por aparelhos foram realizadas nesta quinta-feira (26), em Lima, no Peru
Santo André (SP) - A ginástica artística do Brasil mostrou toda a sua força nos I Jogos Sul-Americanos da Juventude, em Lima, no Peru. O atletas das Seleções Brasileiras conquistaram 19 medalhas durante os quatro dias de apresentações da modalidade, que foram concluídas nesta quinta-feira (26).

Hoje o dia foi reservado para as finais de cinco aparelhos. No salto, pelo masculino, Lucas Cardoso foi o sétimo colocado, com 12,917 pontos. Nas paralelas, Gabriel Barbosa conquistou o bronze, com 13,300, enquanto Lucas foi o quarto, com 13,200. Na barra fixa, Yannick Santos foi prata, com 13,300. Gabriel foi o quinto, com 12,767.

Pelo feminino, na trave, ouro para Flávia Saraiva, com 13,633, e prata para Rebeca Andrade, com 13,500. No solo, Flávia novamente subiu ao lugar mais alto do pódio, com 13,900, seguida por Rebeca, com 13,700.

Antes das conquistas desta quinta-feira (26), as Seleções já haviam assegurado outras treze medalhas. Pelo masculino, na final do solo, Lucas foi ouro. Nas argolas, Yannick subiu ao lugar mais alto do pódio, enquanto Lucas ficou com o bronze. Pelo feminino, nas paralelas, Rebeca foi a primeira colocada e Flávia a segunda. No salto, Rebeca novamente foi ouro e Thauany de Araújo foi prata. No individual geral, ouro com Lucas, pelo masculino, e Rebeca, pelo feminino, prata com Flávia e bronze com Gabriel. Por equipe, um ouro pelo masculino e outro pelo feminino.

O Brasil foi representado pelos ginastas Gabriel Barbosa, Lucas Cardoso, Yannick Santos, Ygor Reis, Flávia Saraiva, Lorenna da Rocha, Rebeca Andrade e Thauanny de Araújo. Os técnicos são Leonardo Finco e Ricardo Yokoyama, pelo masculino, e Alexandre Batista de Oliveira Carvalho e Keli Kitaura, pelo feminino. Os árbitros são Edgard Ferreira, Fernando Lopes, Elaine Gueriero e Patrícia Turina.

Comissão especial da segurança pública será instalada na quarta-feira

Da Redação
Está prevista para a próxima quarta-feira (2) a instalação da comissão temporária que deve analisar todos os projetos que tramitam no Senado Federal sobre segurança pública. A solenidade ocorrerá na Sala de Audiências da Presidência do Senado, a partir das 15h. A criação da comissão foi proposta pelo presidente do Senado, Renan Calheiros.
A comissão será constituída por oito senadores e deve ser presidida pelo senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). O relator será o senador Pedro Taques (PDT-MT). Durante 90 dias, o colegiado analisará as matérias em discussão na Casa sobre o assunto, devendo propor audiências públicas com especialistas da área, além de elaborar relatórios mensais sobre os temas discutidos. Na conclusão dos trabalhos, será apresentado um anteprojeto com medidas legislativas que visem, sobretudo, a redução da criminalidade.
Agência Senado

Comissão especial da segurança pública será instalada na quarta-feira

Da Redação
Está prevista para a próxima quarta-feira (2) a instalação da comissão temporária que deve analisar todos os projetos que tramitam no Senado Federal sobre segurança pública. A solenidade ocorrerá na Sala de Audiências da Presidência do Senado, a partir das 15h. A criação da comissão foi proposta pelo presidente do Senado, Renan Calheiros.
A comissão será constituída por oito senadores e deve ser presidida pelo senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). O relator será o senador Pedro Taques (PDT-MT). Durante 90 dias, o colegiado analisará as matérias em discussão na Casa sobre o assunto, devendo propor audiências públicas com especialistas da área, além de elaborar relatórios mensais sobre os temas discutidos. Na conclusão dos trabalhos, será apresentado um anteprojeto com medidas legislativas que visem, sobretudo, a redução da criminalidade.
Agência Senado

Reação do governo brasileiro à espionagem americana é destaque da edição internacional

A aprovação do nome de Antonio Patriota para representar o Brasil na ONU, a reação do governo brasileiro à espionagem americana e o discurso da presidente Dilma Rousseff na abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas são os destaques desta semana da edição internacional da Agência Senado. Veja mais informações com o editor Marcos Magalhães.

Gestão do Ministério do Turismo é exemplo, diz TCU



Presidente do Tribunal de Contas da União, Augusto Nardes, elogia Gastão Vieira e classifica como boas práticas os sistemas de monitoramento do MTur
 
Uma reunião entre representantes do Tribunal de Contas da União e do Ministério do Turismo promoveu um intercâmbio de boas práticas de gestão. O MTur apresentou um sistema que permite o acompanhamento dos repasses de recursos para obras e uma ferramenta eletrônica de monitoramento das demandas encaminhadas por órgãos externos de controle, como o Ministério Público e a Controladoria Geral da União. 
"Quando tomei conhecimento das ações que estavam sendo feitas no Ministério do Turismo fiquei muito satisfeito. Buscamos bons exemplos para o aperfeiçoamento da gestão pública a serem seguidos", comentou o presidente do TCU, Augusto Nardes. Ele relembrou o histórico da pasta e ressaltou o esforço da atual gestão em garantir transparência às ações da pasta. 
O Sistema de Acompanhamento dos Contratos de Repasse (Siacor), desenvolvido pelo Ministério do Turismo em 2011, permite a qualquer cidadão o monitoramento online dos contratos de execução de obras de infraestrutura do MTur. Pelo site (www.repasse.turismo.gov.br) é possível acompanhar os valores liberados pelo Ministério, assim percentual de execução e a situação de cada obra (atrasada, adiantada ou paralisada), com informações detalhadas por estado e município. O Siacor também facilita a comunicação do Ministério do Turismo com os governos estaduais, municipais e órgãos de controle, como a Controladoria Geral da União e Tribunal de Contas da União. Com o sistema, o MTur executou 96% de suas emendas e zerou todos os restos a pagar no ano passado. O sistema foi apresentado à Presidência da República em dezembro de 2012 em reunião interministerial e elogiado pela presidenta Dilma Roussef. A própria presidenta recomendou que o MTur compartilhasse a experiência com outras pastas. 
O Sistema de Controle das Demandas Externas (www.cde.mtur.gov.br/cde) é um cadastro inteligente de solicitações de órgãos de controle externos que direciona eletronicamente os pedidos a áreas específicas do Ministério do Turismo. O sistema também monitora o prazo das demandas e emite avisos aos gestores. O cadastro permite que órgãos de controle, como o Ministério Público Federal, Controladoria Geral da União (CGU), Tribunal de Contas da União e Polícia Federal solicitem documentos e informações pelo site. A iniciativa é importante no cumprimento de prazos e estreitamento da relação com parceiros estratégicos. O site foi lançado em agosto de 2013. 
O ministro Gastão Vieira agradeceu a oportunidade para mostrar o trabalho que vem sendo desenvolvido no Turismo e frisou que o Siacor já está em funcionamento nos ministérios das Cidades, Esporte e Cultura e está em fase implantação nas pastas da Comunicações e do Trabalho. "A transparência é um instrumento fundamental para construirmos um modelo participativo de trabalho com a sociedade", destacou Gastão Vieira. O ministro deu ênfase à portaria 112, que regulamenta os instrumentos de repasse da pasta.