sábado, 31 de março de 2012

Versos para crianças mostram origem tupi-guarani de palavras do cotidiano


Walther Moreira Santos escreve e ilustra para crianças há mais de uma década. Certa vez, sobrevoando uma aldeia no Norte do Brasil, teve a ideia de escrever um livro inteiro em tupi. Foi assim que nasceu 'Tem tupi na oca e em quase tudo o que se toca', lançado agora pela Autêntica Editora.

Escrito em versos, com métrica e rima, o livro mistura o português e o tupi-guarani e revela que muitas das palavras que usamos cotidianamente têm origem indígena, como tapioca, nhenhenhém, açaí e até carioca. Além de palavras bastante usadas e, portanto, conhecidas das crianças, o texto traz também diversas palavras desconhecidas, que inicialmente causam estranheza e aguçam a curiosidade, mas que no final são “traduzidas” num glossário. De certo ponto em diante, o texto se transforma em divertidos trava-línguas, como este, que deve ser repetido pelo leitor “sete vezes sem errar”: Se o pato pia em tupi, pio do pato tupi seria, mas pio só haveria se pato tupi piasse!

As ilustrações, feitas pelo próprio autor, enriquecem ainda mais o trabalho de mergulho na cultura indígena. Fruto de longa pesquisa sobre o artesanato indígena, Walther utilizou tinta acrílica, aquarela, massa de modelar e colagens para representar animais, índios, flores e frutas. As cores predominantes são intencionalmente o azul, o verde e o amarelo, para representar a bandeira brasileira. Afinal, o tema do livro remete aos primeiros habitantes da nossa terra – o povo indígena.

Sobre o autorWalther Moreira Santos é dramaturgo e ficcionista, vencedor de diversos prêmios literários. Destacam-se: Prêmio Nacional de Romance Fundação Cultural da Bahia 2000; Casa de Cultura Mário Quintana 2003; Xerox do Brasil 2000; Cidade do Recife 2000; Prêmio Paraná 2002; Itaú Cultural 2003. É autor dos livros Dentro da chuva amarela (Geração Editorial, 2000/2006); O doce blues da Salamandra (MXM, 2003); Helena Gold (Geração Editorial, 2003); Um certo rumor de asas (Nova Prova, 2003); Ao longo da curva do rio (Cone Sul, 2001), entre outros. Pela Autêntica Editora, lançou também o livro infantil A longa lenga-lenga de Nona Milonga e o romance O ciclista, vencedor da primeira edição do Prêmio José Mindlin de Literatura.

Título: Tem tupi na oca e em quase tudo o que se toca
Autor: Walther Moreira Santos
Ilustração: Walther Moreira Santos
Páginas: 24
Formato: 19 x 27 cm
Editora: Autêntica
Preço: R$ 27,00
Indicação: a partir de 8 anos
ISBN: 978-85-7526-551-2

Mais informações sobre os livros da Autêntica Editora estão disponíveis no portal do Grupo Editorial Autêntica:www.autenticaeditora.com.br ou pelo telefone 0800 28 31 322

TV Tribuna comercializa cota para Festival de Natação
Evento esportivo terá dois patrocinadores. Conheça o plano de mídia e faça sua reserva
Festival de Natação
foto José Luiz Borges

A TV Tribuna, afiliada Rede Globo na Baixada Santista e Vale do Ribeira, realiza no dia 25 de março o Festival de Natação, no SESI (Serviço Social da Indústria) Cubatão. O evento reúne atletas entre 5 e 74 anos, que disputam mais de 30 provas, durante todo o dia. Uma delas será o revezamento de 20 minutos, em homenagem aos 20 anos da emissora, completados no dia 1 de fevereiro.

Com cobertura televisiva completa, o plano de mídia será oferecido a dois patrocinadores. As marcas terão visibilidade em 14 chamadas de envolvimento e nove de transmissão para o compacto que é apresentado no programa Corpo em Ação. As empresas aparecem ainda em vinhetas especiais veiculadas no Jornal da Tribuna 1ª Edição, Tribuna Esporte e no próprio Corpo em Ação.

A exposição segue no local da competição em materiais impressos e na locução. Além de terem seu logotipo presentes no hotsite do Festival de Natação, no portal tvtribuna.com.

Para atrelar a empresa a este evento ligue para (13) 2138-5350 ou visite o endereço eletrônico www.tvtribuna.com/comercial.

Por Emanuelle Oliveira
Jornalista - Mtb 59.151

Gilberto Mayer recebe exposição Cores e Matizes

Painéis grandes, de até dois metros, todos pintados em óleo. O conjunto de 11 obras reflete o trabalho do artista plástico Marcio Monteiro, na exposição Cores e Matizes, que será aberta ao público a partir do dia 1º de março, no Centro Cultural Gilberto Mayer. O artista mato-grossense mora em Toledo e já realizou diversos trabalhos, vários deles pintados nos tetos de igrejas pelo Brasil. Nas horas vagas, Marcio aproveita para imprimir seu trabalho nas telas, utilizando pincéis e espátulas.

Nessa exposição, em especial, o artista plástico busca mostrar a variedade de composições artísticas, trazendo obras desde o estilo acadêmico ao abstrato. “Gosto muito de paisagens, mas estou inovando ao pintar telas mais modernas, isso é um pouco desafiador para mim. Os temas escolhidos são índios, paisagens, legumes abstratos e outros. Procurei trabalhar bastante o contraste de luz e sombra, para atrair mais o olhar do expectador para dentro da obra”, detalha.

O artista explica que seu trabalho é também influenciado pelas pinturas de teto que fez, já que a maioria das telas utilizadas é de tamanho grande. “Comecei pintando telas pequenas, mas ao trabalhar para a empresa de Artes Sacra e Religiosa, do artista plástico Marcílio Soares - um dos mais importantes artistas sacros do País - isso refletiu nas minhas obras. Há um certo estranhamento quando pinto telas menores, por isso opto por telas grandes”, comenta Marcio.

A exposição Cores e Matizes poderá ser conferida até o dia 30 de março em Cascavel. O horário de visitação no Centro Cultural Gilberto Mayer é das 8 às 12 horas e das 13h30 às 17h30, de segunda a sexta-feira.

Sobre Marcio Monteiro

Marcio Monteiro reside atualmente em Toledo, mas é natural de Ivinhema, cidade do Mato Grosso do Sul. A convite de seu ex-professor de artes Marcilio Soares, trabalha na empresa de Artes Sacra e Religiosa. Juntos executam a pintura do teto e as paredes da Paróquia Menino Deus, no Jardim Porto Alegre, em Toledo. Também já realizou pintura de teto em outras igrejas, nos estados de Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e até no Paraguai.

As telas do artista foram expostas pela primeira vez em 2000, na 1ª Mostra Coletiva do Vale do Ivinhema, em Nova Andradina (MS). Além de participar de várias exposições no Mato Grosso do Sul, as obras de Marcio Monteiro foram expostas nos estados do Paraná, São Paulo, Minas Gerais e em outros países como Chile, Eslováquia, Hungria, Alemanha e República Tcheca.

O trabalho do artista pode ser conferido no endereço: marciomonteiro.blogspot.com.

Mulher oferece curso de ovos de Páscoa, bombons e recheios


As inscrições estão abertas para mulheres de baixa renda, desempregadas ou que necessitem de complementação salarial.
A Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, o Comitê de Solidariedade dos Funcionários da Sercomtel e Economia Solidária informam que estão abertas as inscrições para os cursos de ovos de Páscoa, bombons, trufas e recheios.

As inscrições estão abertas e as primeiras turmas terão aulas, nos dias 28 e 29, próximas terça e quarta feiras, das 13h30 às 17h, na Casa da Mulher, rua Mário Bonalumi, 633 Jardim do Leste. Os cursos serão oferecidos em 7 turmas, como alternativa de geração de renda para mulheres.

As inscrições serão realizadas por telefone e ordem de atendimento. O público alvo são mulheres de baixa renda, desempregadas ou que necessitem de complementação salarial.

De acordo com a secretária da mulher, Sueli Galhardi devido a grande procura, este é o terceiro ano consecutivo de oferecimento do curso. “Com o patrocínio do Comitê de Solidariedade dos Funcionários da Sercomtel, em 2011 capacitamos 127 mulheres e graças a continuidade desta parceria poderemos atender mais turmas este ano”.

Para a Diretora da Casa da Mulher, Sara Alexius “A Economia Solidária, além de encaminhar mulheres para o curso, também estará oferecendo as participantes à possibilidade de formação de grupos solidários. Isto gera a continuidade do atendimento”, destacou.

O Curso acrescentou este ano, algumas receitas e dicas de como melhorar o produto final para venda. Mais informações e inscrições pelo telefone 3339-1233 das 12h às 18h.

Conselho de Cultura faz manifesto pelo Cine Teatro Ouro Verde


Os membros do Conselho Municipal de Cultura estão preocupados em criar mecanismos que mantenham a mobilização pela reconstrução do espaço cultural
O Conselho Municipal de Cultura informa que aprovou em reunião realizada no dia 16, um manifesto de mobilização para a reconstrução do prédio do Cine Teatro Ouro Verde, destruído por um trágico incêndio, no último dia 12.

De acordo com o secretário municipal de Cultura e presidente do Conselho Municipal de Cultura, Leonardo Ramos, o município, por meio do prefeito Barbosa Neto e secretaria estão à disposição da reitoria da Universidade para auxiliar na reconstrução do Teatro.

“Logo na sequência do acidente, o Conselho, que é o colegiado mais importante da cidade, se reuniu com a preocupação de criar mecanismos que mantivessem a sociedade mobilizada. Além do manifesto, também teremos uma petição pública na internet”, adiantou Leonardo.

O Cine Teatro Ouro Verde, o maior de Londrina, foi inaugurado no dia 24 de dezembro de 1952 e foi tombado, enquanto a cidade vivia o auge da exploração cafeeira, daí o nome Ouro Verde. O projeto foi realizado pelo arquiteto Villanova Artigas.

Em 1978, o espaço foi adquirido pela Universidade Estadual de Londrina. Desde os anos 1980, o teatro abriga as mostras do Festival Internacional de Londrina (FILO). O acontecimento no espaço cultural, que completaria 60 anos de existência, gerou comoção na cidade, que atualmente está mobilizada pela sua reconstrução.

Leia abaixo a íntegra do texto do manifesto:

60 anos: O Teatro Ouro Verde não saiu de cena

Assim como sua construção, há 60 anos, foi fruto da ousadia e da união de londrinenses, a continuidade de sua história depende de todos nós que, de alguma forma, fazemos parte dela.

Nesses 60 anos de “Ouro Verde” o nosso maior presente é mantê-lo vivo. Para isso, consideramos que só existe uma perspectiva, reconstruí-lo.
Garantir a recuperação deste espaço tão rico de significados para a cultura paranaense é essencial.

Em 1978, o “Ouro Verde” tornou-se um espaço público através da iniciativa conjunta dos Governos Federal, Estadual, Municipal e da Universidade Estadual de Londrina. Ele é o grande cenário das artes e dos artistas londrinenses.

Neste momento de grande comoção, gerada pela tragédia que se abateu sobre nossa cidade, mais uma vez torna-se imperativa a articulação entre as esferas de Governo, Universidade e Sociedade Civil.

A ousadia, a união e a agilidade devem nortear sua restauração para que possamos recuperar o ícone que o Ouro Verde representa para nós londrinenses.
A dimensão dos desafios exige que coloquemos o melhor de todos nós a disposição desta tarefa.

Queremos somente o indispensável para que Londrina continue sendo um grande e qualificado pólo para as artes e a cultura: A construção do Teatro municipal, a estruturação de espaços para a manutenção nossa grande agenda cultural, momentaneamente desprovida de seu espaço de excelência e a reconstrução/restauração do Cine Teatro Universitário Ouro verde.

O indispensável é possível, sejamos ousados!
Educandos retornam às atividades na FCEE
Florianópolis,

São José – Educandos de quatro centros de atendimentos
especializados da Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE), Centro
de Educação e Trabalho (Cenet), Núcleo de Atividades de Altas Habilidades
e Superdotação (Naahs), Centro de Educação e Vivencia (Cevi) e Centro de
Ensino e Aprendizagem (Cenap), retornaram às atividades na tarde desta
quarta-feira (22).



No total, 385 educandos desempenham atividades diárias na Fundação
Catarinense de Educação Especial, entre os quais, 203 pelo Cevi, 30 pelo
Naahs, 31 pelo Cenap e 121 pelo Cenet (incluídos, 63 inscritos em projetos
intensivos – dentro da FCEE – e 58 inscritos em projetos extensivos – no
exercício do mercado de trabalho.



Responsável pela Diretoria de Ensino, Pesquisa e Extensão (DEPE) e
coordenadora dos programas de atendimentos especializados, Raquel Santos
Rachadel da Silva desejou um bom retorno a todos os educandos ligados à
FCEE. “A gente deseja que todos os educandos tenham um início de ano
proveitoso”.



“A gente lembra também que o DEPE se preparou [durante o período de
recesso das atividades de educação especial] para o retorno dos educandos,
através de capacitação de servidores (efetivos e contratados) da Fundação
Catarinense de Educação Especial. Todos os funcionários estão de braços
abertos para o retorno das atividades”, acrescentou Raquel.
Projeto “Pequenos Gigantes” da Udesc beneficia crianças do Hospital
Infantil Joana de Gusmão
Florianópolis,

Nesta quinta-feira (23), às 10h30, alunos do curso de Administração
Empresarial, do Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas
(Esag/Udesc), vão receber uma homenagem do Hospital Infantil Joana de
Gusmão por terem auxiliado, por meio do projeto “Pequenos Gigantes”,
crianças e pais que utilizam a ala oncológica da instituição.



O projeto, realizado no semestre passado na disciplina de Gerenciamentos
de Projetos do curso de Administração Empresarial, viabilizou a aquisição
de 14 poltronas/camas para os acompanhantes das crianças, a reforma e
pintura do hospital, a instalação de um novo sistema de ar condicionador,
além da reforma da brinquedoteca e a aquisição de equipamentos médicos
para auxiliar no tratamento das crianças.



“A cada semestre os alunos da disciplina de Gerenciamento de Projetos
executam um projeto para arrecadar recursos e auxiliar quem mais precisa.
Já beneficiamos várias instituições durante os seis anos desta ação”, diz
o professor de Administração Empresarial, Leandro Schmitz.



No projeto “Pequenos Gigantes” os alunos promoveram eventos como o Cozinha
Mané, o Leilão de Obras, além de contar com doações de empresas parceiras
para arrecadar recursos para o Hospital Infantil Joana de Gusmão. “Mandei
uma carta para os coordenadores do projeto descrevendo algumas
necessidades do Hospital e fomos atendidos. O projeto é sensacional e com
certeza contribuiu muito para o bem estar das nossas crianças e
acompanhantes”, diz a médica oncologista pediátrica, Ana Paula
Winneschhofer.



Outras informações podem ser obtidas no site
www.projetopequenosgigantes.com.br e no perfil
www.facebook.com/ProjetoPequenosGigantes

sexta-feira, 30 de março de 2012

Vale Azul recebeu a 55ª academia e 10 ª mesa de pingue-pongue


Prefeito Barbosa Neto entregou as benfeitorias no sábado, para a comunidade da região sul; o vereador Roberto Fú participou da solenidade
O prefeito Barbosa Neto entregou no último sábado (18), a 55ª academia ao ar livre e 10 ª mesa de pingue-pongue. O benefício atendeu aos moradores do jardim Vale Azul, na região sul. Os aparelhos estão a disposição da população na rua Jacira Messias Leama, jardim Vale Azul. Além do prefeito, estiveram presentes na solenidade de entrega, o vereador Roberto Fú (PDT), secretários municipais e lideranças comunitárias.

O prefeito, em seu discurso, lembrou de realizações para a região sul como a pavimentação das avenidas 10 de Dezembro e Luiz Consentino; as adequações viárias da avenida Inglaterra com a 10 de Dezembro e a criação da linha de ônibus 207 Acapulco/ Unopar.

Barbosa ressaltou que o maior presente que a região do Vale Azul, Neman Sayun, recebeu da administração foi a transformação da Fazenda Refúgio no Parque Ecológico João Milanez. “É um verdadeiro ar condicionado, que garante qualidade de vida aos moradores desta região”, afirmou. A antiga Fazenda Refúgio era um lixão e foi recuperado pela Prefeitura de forma pacífica e sem maiores confusões. É um patrimônio que ultrapassa os R$ 100 milhões.

O prefeito ainda falou do Viveiro Municipal Maria Cristina Ferraz Bonato, instalado no Parque João Milanez, que produz flores, árvores nativas, palmeiras, arbustos, plantas medicinais e aromáticas. “Capacidade de produzir 1,5 milhão de mudas por ano”, afirmou.

A 55ª academia da administração Barbosa Neto disponibiliza os seguintes aparelhos: alongadores, simuladores de caminhada e cavalgada, esqui, multiexercitador, aparelho de remada sentado, de pressão de pernas, rotação dupla diagonal, vertical e de surf. Os módulos são duplos, com capacidade para até 50 pessoas.

A Fundação de Esportes de Londrina (FEL) disponibiliza alunos de Educação Física, supervisionados por profissionais, para orientar os usuários sobre a utilização dos aparelhos. Eles orientarão a população todas as segundas, quartas e sextas-feiras, das 7h30 às 10h30.

Além da Secretaria do Idoso e FEL, o projeto conta com apoio da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU), Instituto de Pesquisa e Planejamento, Secretaria de Obras e Pavimentação e outros órgãos municipais. No portal da Prefeitura (http://www1.londrina.pr.gov.br/), está disponível o manual de utilização dos aparelhos aos iniciantes.

APUCARANA ANUNCIA R$9 MILHÕES em obras de pavimentação para 2012

As ações na malha viária já agendadas pela Prefeitura de Apucarana vão exigir investimentos de cerca de R$ 9 milhões, entre recursos próprios e oriundos de convênios. O plano de trabalho anunciado nesta quarta-feira (22/02) é composto por obras de recape, asfalto novo e pavimento com paralelepípedos, além da operação tapa-buracos e aplicação da lama asfáltica. Todas as obras têm recursos assegurados. A maioria já está sendo licitada, algumas já começaram e outros projetos dependem somente de trâmites burocráticos. Algumas das frentes de asfalto novo e recape tiveram início já durante estes dias de Carnaval, como por exemplo a do Conjunto Sanches dos Santos, onde a empreiteira já deu início à instalação das galerias pluviais, meio-fio e em breve concluirá o asfalto novo. Também já foi realizado o nivelamento asfáltico na Rua Ponta Grossa e recape na Padre Severino Cerutti. Veja cronograma completo de obras no portal www.apucarana.pr.gov.br.

FORÇA-TAREFA VISTORIA edificações em Apucarana

Hoje (quinta-feira – 23/02), com concentração às 8 horas, no Corpo de Bombeiros, profissionais dos departamentos de Obras e de Fiscalização da Prefeitura de Apucarana, Instituto de Desenvolvimento, Pesquisa e Planejamento de Apucarana (Idepplan), Corpo de Bombeiros, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (CREA-PR), Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Paraná (CAU-PR), Vigilância Sanitária e Defesa Civil, vão percorrer condomínios residenciais, comerciais e mistos para fiscalizar as condições estruturais, hidráulicas, elétricas e regularidade documental das edificações. O trabalho será modalidade “pente-fino” e as possíveis irregularidades observadas na vistoria terão prazo de até 30 dias para serem sanadas. Uma cópia da notificação será encaminhada ao Ministério Público. Vencido o prazo, haverá a revisita. Caso as deficiências não tenham sido sanadas, as edificações ficam sujeitas à interdição.

Taekwondo londrinense participa de campeonato nos EUA


Equipe vai representar o Brasil com quatro atletas, um deles foi campeão pan-americano em 2007
A equipe Madureira/Sercomtel participa, neste final de semana, de uns dos campeonatos mais disputados do mundo, o US Open de taekwondo. O torneio preparatório para os Jogos Olímpicos de Londres será realizado em Las Vegas, EUA, nos próximos dias 23, 24 e 25.

Comandada pelo técnico londrinense, Fernando Madureira, a cidade será representada por três atletas: Talisca Reis, Breno Pinheiro e Ronison Mattos, além do campeão pan-americano em 2007, Diogo Silva, que viajou junto da equipe. Todos já estão nos EUA, desde o último sábado (18).

Fernando Madureira, também técnico olímpico brasileiro, destacou a importância da competição, que vale pontos para o ranking mundial. “Um dos objetivos é fazer uma análise de desempenho para medir e aprimorar o que estamos trabalhando. É uma competição de grande valia, principalmente para o Diogo, que terá a chance de ver como estão alguns adversários das Olimpíadas”, afirmou.

Voltando dos EUA, a equipe segue os treinamentos para as disputas de campeonatos estaduais e eventos nacionais. Além da Sercomtel, a equipe tem o apoio do Restaurante Rovani e Petrobrás.

Hospital Regional completa 25 anos dedicados à saúde pública
Florianópolis,

O Hospital Regional de Homero de Miranda Gomes completa 25 anos no sábado
(25/02). Para marcar o aniversário a instituição programou diversas
atividades nas áreas científica e sócio-cultural. As atividades servirão
para reforçar a integração entre pesquisadores, servidores da saúde e
comunidade.





Nos dias 23 e 24 de fevereiro, será realizado no Centro Multiuso de São
José, o II Congresso do Hospital. Durante esses dois dias os profissionais
da instituição estarão discutindo temas científicos com o foco voltado
para a humanização do atendimento, o que servirá de base para aprimorar
cada vez mais a assistência oferecida aos usuários do Sistema Único de
Saúde.





“Referência estadual em várias especialidades médicas, a instituição
recebe pacientes de todas as regiões de Santa Catarina, sendo considerado
um dos maiores e mais importantes hospitais do Estado. O hospital também
possui serviço referenciado em Infectologia, com apoio do Hospital Dia
para atender pacientes portadores de doenças infecto-contagiosas em
internações de até 24 horas. Outro destaque é o Programa de Internação
Domiciliar, que amplia a cobertura de saúde sem a necessidade de ocupação
dos leitos do hospital, enfatiza o secretário de Estado da Saúde, Dalmo
Claro de Oliveira.





O Hospital Regional de São José foi inaugurado em 1987, e é referência nas
áreas de Ortopedia/Traumatologia, Oftalmologia, UTI, Neonatologia e UTI
Neonatal, Cirurgia.Geral, Cirurgia Bariátrica, Emergência Geral e
Pediátrica.





Com 300 leitos, a instituição registra mensalmente uma média de 1.2 mil
internações nas diversas especialidades, além de 580 cirurgias, 5 mil
consultas ambulatoriais e 313 nascimentos A Emergência Geral acolhe
também um grande número de pacientes vindos dos municípios vizinhos, com
uma média mensal de 23 mil atendimentos.





Possui ainda Residência Médica em Cirurgia Geral, Cirurgia Vascular,
Clínica Médica, Ortopedia/Traumatologia, Oftalmologia e Acupuntura, além
de serviços de Eletroencefalografia para crianças, Endoscopia Digestiva,
Broncoscopia, Colonoscopia, Tomografia, Ultra-som Geral e Obstétrico.








Atividades Comemorativas





23 de Fevereiro:


08:00 horas – Hasteamento da Bandeira


08:30 horas – Missa Campal com participação de Coral


Local: Pátio do Hospital (Em frente a Portaria de Visitas)


09:45 horas: Homenagem ao Dr. Homero de Miranda Gomes


10:00 horas :Inauguração da Galeria dos Ex Diretores


Local: Hall da Portaria de Visitas





23 e 24 de fevereiro:


•II Congresso do Hospital Regional de São José


Abertura: 19 horas


Local: Centro Multiuso de São José


•Exposição de produtos culturais: Artesanato, Rendas, Escola de Oleiros,
Artesanato Indígena e Apresentações culturais.


As inscrições são gratuitas e estão sendo realizadas no setor de
treinamento no período de 9 a 22/02 no telefone: (48)3271-9020

Carnaval de Londrina é marcado por festas e tranquilidade


Guarda Municipal não registrou ocorrência durante as festividades do carnaval
A Prefeitura de Londrina, através da Secretaria Municipal de Cultura e Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel) e a Guarda Municipal, divulgou na tarde de hoje (22) o balanço das atividades realizadas durante as comemoração do carnaval.

Desde sábado (18) até ontem (21), a população pode participar do Desfile das quatro escolas de samba e do Carnaval na Praça. A abertura das atividades coube à Bateria da Escola de Samba Raça de Ouro, que realizou um ensaio aberto na Concha Acústica, na sexta-feira (17), às 18h30.

Segundo o secretário municipal de Cultura, Leonardo Ramos. “Toda programação foi gratuita, o que ampliou a democratização do acesso das pessoas às comemorações de carnaval. Foi tudo muito tranquilo”, garantiu.

O desfile das escolas de samba aconteceu no domingo (19) à noite, no Autódromo Internacional Ayrton Senna. A ganhadora do título foi a Explode Coração, mas as escolas Gaviões Londrinenses; Alegria da Passarela e Raça de Ouro também garantiram a diversão dos participantes. Aproximadamente, cinco mil pessoas assistiram aos desfiles nas arquibancadas.

As escolas tiveram o apoio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic), para a realização dos desfiles e receberam cerca de R$ 27.000 para investir nos carros alegóricos, fantasias, passistas e alegorias. A Secretaria Municipal de Cultura e a Codel organizaram, também, a infraestrutura dos locais.

“ Na programação de sexta na concha, participaram cerca de 500 pessoas, já no Carnaval na Praça, não há um número exato porque os técnicos precisam apurar os relatórios de participação”, afirmou o secretário de cultura.

A Guarda Municipal garantiu a segurança nos dias de festa e todo efetivo esteve em ação no feriado, sendo que 40 deles trabalharam no Autódromo Internacional Ayrton Senna, 30 fizeram a escolta do trio elétrico Instituto Esperança, que se deslocou do Calçadão até o Ginásio Moringão, e outros 20 fizeram a segurança Kyrios Festival no Ginásio Moringão realizado ontem (21).

Segundo o diretor da Guarda Municipal em Londrina, Rafael Sampaio, além do trabalho rotineiro, padrão do dia a dia, os guardas fortaleceram a segurança nos eventos de maiores proporções e garantiram a tranquilidade dos participantes. ”A segurança da Guarda Municipal foi ótima, porque não houve registro de ocorrência. Tudo correu dentro da normalidade esperada”, afirmou.

Moradores do Jardim Franciscato recebem Cesta Verde


Programa de conscientização ambiental possibilita a troca de material reciclável por alimentos
A Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento, em parceria com a Companhia Municipal de Trânsito de Urbanização (CMTU), vai realizar o programa Cesta Verde, sexta-feira (24), na rua Diógenes de Lima Bravo, 213, em frente à Escola Oficina Pestalozzi, no Jardim Franciscato, zona sul da cidade.

Em dois horários, das 8h às 12h e das 14h às 17h, a comunidade daquela região poderá participar do projeto de conscientização ambiental, que vai trocar lixo reciclável por alimento. Para cada 2 quilos de lixo reciclável entregues, será concedido 1 quilo de alimento natural e saudável.

O Cesta Verde é organizado no seguinte formato: primeiramente, a pessoa se dirige à fila dos recicláveis que serão pesados. Em seguida, vai até um caminhão, para recolher a quantidade de alimento proporcional ao material entregue. Cada pessoa pode levar, no máximo, 12 quilos de recicláveis, o que dará direito a receber 6 quilos de alimentos, como frutas, verduras e legumes.

A CMTU encaminha todo o lixo reciclado à Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis e de Resíduos Sólidos da Região Metropolitana (Coopersil), que faz a destinação correta dos resíduos arrecadados.
Cinara Piccolo/Photo&Grafia
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Manoel Luiz Oliveira

Handebol faz Assembleia Geral sexta (24) e sábado (25) em Aracaju (SE)

Encontro discutirá, entre outros temas, Londres-2012 e o planejamento para Rio-2016

Santo André (SP) - O presidente da Confederação Brasileira de Handebol (CBHb), Manoel Luiz Oliveira, receberá os 27 presidentes das federações estaduais na sexta-feira (24) e no sábado (25) para a Assembleia Geral Ordinária de 2012. A reunião anual será realizada no Real Classic Hotel, em Aracaju (SE), cidade-sede da entidade.

Também estarão presentes no encontro integrantes da diretoria da CBHb, representantes do Ministério do Esporte, o gerente geral de alto-rendimento de handebol do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Jorge Machado Ajuz, entre outras pessoas envolvidas com a modalidade no País. "Apresentaremos o relatório das atividades de 2011 e avaliaremos as competições nacionais e internacionais. O objetivo é apontar os pontos positivos e corrigir o que não saiu como queríamos", afirmou Manoel Luiz Oliveira.

O presidente da CBHb destacou que dois campeonatos ganharão capítulos importantes na Assembleia. "Daremos atenção muito especial a um balanço geral dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em que conquistamos vaga para as Olimpíadas com a Seleção Feminina, e do Mundial Feminino (realizado em São Paulo, em dezembro), em que nossa equipe alcançou o histórico quinto lugar", comentou.

Manoel Luiz Oliveira ressaltou, também, os eventos deste ano que terão destaque na reunião de Aracaju. "Falaremos sobre o planejamento estratégico para a Seleção Masculina Adulta, que disputará uma vaga para Londres no Pré-Olimpico de abril (na Suécia) e para a Seleção Feminina, já garantida nas Olimpíadas. Além disso, abordaremos as competições nacionais do calendario de 2012 e também as internacionais."

Outros assuntos serão discutidos no encontro, como a Escola Nacional de Treinadores, a Liga Nacional e, por fim, o início da preparação para as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, com a formação das Seleções B. "A Assembleia Geral Ordinária é um momento muito importante para o desenvolvimento da modalidade. Nela, todos que fazem parte desse processo têm a oportunidade de se inteirar e dar sugestões", completou Manoel.

HOSPITAL DO CORAÇÃO inicia com ambulatório neste sábado

Neste sábado (25/02), às 10 horas, a Fundação Tokuda, Acea, Prefeitura de Apucarana e Fundação Vilela Batista realizam a inauguração do ambulatório do Hospital do Coração Torao Tokuda. Com uma arquitetura que lembra um templo japonês, o novo centro médico foi erguido em área doada em parte pela Associação Cultural e Esportiva de Apucarana (Acea) e outra pela prefeitura com investimento de US$ 10 milhões, pagos pelo Grupo Tokushukai, do médico Torao Tokuda, dono de uma rede de mais de 200 hospitais no Japão. Nesta primeira etapa, ambulatorial, o hospital atenderá em parceria com o Consórcio Intermunicipal de Saúde do Vale do Ivaí e Região (Cisvir). A expectativa é suprir uma média de 500 consultas mensais, de acordo com a demanda regional. Em uma segunda etapa, o hospital vai atender intervenções cirúrgicas, com equipamentos de ponta, projetando ser um dos mais modernos da América Latina na especialidade. Conheça mais sobre Apucarana http://www.apucarana.pr.gov.br/.

Apimec SP e Fipecafi promovem MBA Mercado de Capitais


A Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec SP) e a Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras (Fipecafi) promovem o “MBA Mercado de Capitais”.

O curso acompanha as necessidades e tendências do mercado financeiro do país, e possibilita, por meio de suas disciplinas e metodologia de ensino, uma visão global de negócios e o entendimento conceitual e operacional das diversas atividades relacionadas com o mercado financeiro e de capitais.

Além de aulas expositivas, estudos de casos e seminários, o MBA em Mercado de Capitais proporciona trabalhos em equipe, jogos de empresas e debates, a fim de tornar o curso mais dinâmico e interativo. A grade curricular conta com disciplinas como: Matemática Financeira, Análise de Cenários Econômicos, Mercado Futuro e de Opções, Técnicas de Cálculos e Análise do Value at Risk (VaR), entre outras.



Serviço

“MBA Mercado de Capitais”

Início das aulas:
março de 2012
Horário das aulas:
segundas, quartas e quintas-feiras, das 19h30 às 22h45
Local:
Rua Maestro Cardim, 1170 – Bela Vista – São Paulo/SP
Informações:
(11) 2184-2020 |
coordenadoria.mba@fipecafi.org
Sobre o curso:
http://www.fipecafi.org/mba/mba-mercado-capitais.aspx


Pronunciamento do Ministro das Relações Exteriores, Antonio de Aguiar Patriota, em debate sobre Responsabilidade ao Proteger na ONU – Nova York, 21 de fevereiro de 2012

21/02/2012 - “Minhas calorosas boas-vindas a todos para esta reunião em que, creio, estamos todos - países, organizações e indivíduos - genuinamente comprometidos tanto com o multilateralismo quanto com a proteção de civis. Tenho o prazer de convidá-los a este debate informal sobre a "Responsabilidade ao Proteger".

Como se sabe, trata-se de uma idéia mencionada pela primeira vez pela Presidenta Dilma Rousseff em seu discurso de abertura da Assembléia Geral da ONU no último mês de setembro. Em novembro, o Brasil circulou uma nota conceitual que discute a noção de que a comunidade internacional, quando exerce sua responsabilidade de proteger, deve demonstrar um alto nível de responsabilidade ao proteger. Ao longo dos últimos meses temos notado um apoio significativo a este debate. Creio termos hoje uma oportunidade de intercambiar de maneira franca e frutífera ideias sobre as várias dimensões desta questão.

As mudanças políticas de nosso tempo representam um desafio à comunidade internacional. A relação entre a manutenção da paz e da segurança internacionais e a proteção de civis evoluiu significativamente desde a criação das Nações Unidas em 1945. Novos marcos conceituais foram desenvolvidos para lidar com os desafios que enfrentamos.

O trabalho sobre a proteção de civis tem avançado consideravelmente desde os anos 1990, quando as discussões sobre essa questão começaram a receber mais atenção. O sofrimento de civis inocentes e a necessidade de evitar a impunidade dos autores dos crimes mais graves levaram a comunidade internacional a criar o Tribunal Penal Internacional.

Em seu sexagésimo aniversário, a Organização das Nações Unidas adotou o conceito da "responsabilidade de proteger". Este conceito estabeleceu a responsabilidade dos Estados de protegerem suas populações em casos de genocídio, crimes de guerra, limpeza étnica e crimes contra a humanidade. Decidiu-se também que a comunidade internacional deveria encorajar e ajudar os Estados a exercerem essa responsabilidade. Além disso, estabeleceu-se a responsabilidade da comunidade internacional de agir coletivamente, por intermédio da ONU, caso as autoridades nacionais deixassem de proteger suas populações.

O reconhecimento de que existe uma responsabilidade de proteger foi um marco. Ressalte-se que o mesmo Documento Final da Cúpula Mundial de 2005 que estabeleceu uma fórmula de consenso acerca do conceito da "responsabilidade de proteger" também afirmou claramente que essa responsabilidade deve ser exercida, em primeiro lugar, por meio do uso de meios diplomáticos, humanitários e outros meios pacíficos, e que apenas nos casos em que os meios pacíficos se revelam inadequados deveriam ser cogitadas medidas coercitivas.

Ao longo desse processo, é essencial distinguir entre responsabilidade coletiva - que pode ser plenamente exercida através de medidas não-coercitivas - e segurança coletiva - que envolve uma avaliação política caso-a-caso por parte do Conselho de Segurança.

Antes de se empenhar em uma ação militar, espera-se que a comunidade internacional realize uma análise abrangente e criteriosa de todas as consequências que daí podem decorrer. O uso da força sempre traz consigo o risco de causar mortes involuntárias e de disseminar violência e instabilidade. O fato de que ela seja utilizada com o objetivo de proteger civis não faz das vítimas colaterais ou da desestabilização involuntária eventos menos trágicos.

É por isso que, em nossa opinião, é necessário dar um passo conceitual adicional para lidar com a responsabilidade de proteger, e eu gostaria de aproveitar esta oportunidade para propor uma nova perspectiva sobre esta questão, uma perspectiva que acreditamos tornou-se essencial na busca de nosso objetivo comum.

A Presidenta Dilma Rousseff, em seu discurso na Assembléia Geral em setembro passado, se referiu a um fato preocupante: o mundo de hoje sofre as dolorosas conseqüências de intervenções militares que agravaram os conflitos existentes, permitiram ao terrorismo penetrar em lugares onde não existia, deram origem a novos ciclos de violência e aumentaram a vulnerabilidade das populações civis.

Na ocasião ela acrescentou: "muito se tem dito sobre a responsabilidade de proteger, mas muito pouco sobre a responsabilidade ao proteger”.

Como a Organização das Nações Unidas pode autorizar o uso da força, ela tem a obrigação de conscientizar-nos dos perigos envolvidos em sua utilização e de criar mecanismos que possam fornecer uma avaliação objetiva e detalhada de tais perigos, bem como formas e meios de evitar danos aos civis.

Nosso ponto de partida em comum deve basear-se no princípio de "primum non nocere" que os médicos conhecem muito bem. Em primeiro lugar, não causar danos - esse deve ser o lema daqueles que são obrigados a proteger os civis. Também seria lamentável, em última análise inaceitável, se uma missão estabelecida sob mandato das Nações Unidas com o objetivo de proteger civis causasse maiores danos do que aqueles que justificaram sua própria criação.

Temos de almejar um maior nível de responsabilidade. Uma vítima civil já é uma vítima em demasia.

Acredito que os conceitos da “responsabilidade de proteger” e da “responsabilidade ao proteger” devem evoluir juntos, com base em um conjunto acordado de princípios fundamentais, parâmetros e procedimentos, dos quais menciono alguns:

- prevenção é sempre a melhor política. É a ênfase na diplomacia preventiva que reduz o risco de conflito armado e os custos humanos a ele associados. Nesse sentido, saudamos a iniciativa do Secretário-Geral Ban Ki-moon de estabelecer o ano de 2012 como o ano da prevenção, que conta com o total apoio do Brasil. Outras iniciativas, como "Amigos da Mediação", podem ser vistas como parte do espírito de promoção do exercício da responsabilidade coletiva na busca da paz, por meio da diplomacia, do diálogo, da negociação, da prevenção;

- a comunidade internacional deve ser rigorosa em seus esforços para exaurir todos os meios pacíficos disponíveis nos casos de proteção de civis sob ameaça de violência, em consonância com os princípios e propósitos da Carta das Nações Unidas e conforme incorporado no Documento Final da Cúpula Mundial de 2005;

- o uso da força deve produzir o mínimo possível de violência e de instabilidade. Sob nenhuma circunstância podem-se gerar mais danos do que se autorizou evitar;

- no caso de o uso da força ser contemplado, a ação deve ser criteriosa, proporcional e limitada aos objetivos estabelecidos pelo Conselho de Segurança;

- são necessários procedimentos aprimorados no Conselho para monitoramento e avaliação da maneira como as resoluções são interpretadas e aplicadas, para assegurar a responsabilidade ao proteger.

O estabelecimento desses procedimentos não deve ser entendido como meio de impedir, ou atrasar indevidamente, a autorização de ações militares nas situações estabelecidas pelo Documento Final da Cúpula Mundial de 2005. A iniciativa do Brasil deve ser vista como um convite a um debate coletivo sobre a forma de garantir, quando o uso da força for cogitado como alternativa justificável e estiver devidamente autorizado pelo Conselho de Segurança, que seu emprego seja responsável e legítimo. Por essa razão, faz-se necessário assegurar a prestação de contas daqueles autorizados a fazer uso da força.

O Brasil iniciou uma série de discussões com países de todas as regiões, bem como com organizações não-governamentais e especialistas sobre o assunto. Queremos contribuir para um debate crucial para a comunidade internacional sobre a manutenção da paz e da segurança internacionais e a proteção de civis. Em recentes eventos sobre a "responsabilidade de proteger", tivemos a oportunidade de ampliar esse diálogo. O Brasil aprecia o fato de o Secretário-Geral da ONU dar as boas-vindas à iniciativa da "responsabilidade ao proteger".

O evento de hoje é uma oportunidade para o aprofundamento e a ampliação dessa discussão.

Deixe-me brevemente descrever o planejamento do debate informal de hoje. Estamos honrados em ter o professor Edward Luck como co-presidente do evento. O Assessor Especial do Secretário-Geral sobre a "responsabilidade de proteger" é um interlocutor-chave. Prezamos enormemente sua contribuição, em consulta com os Estados-Membros, para o desenvolvimento conceitual, político e operacional da "responsabilidade de proteger". Suas idéias serão muito bem-vindas hoje.

A discussão estará então aberta aos participantes. Convidamos todos os Estados-Membros, bem como ONGs e especialistas que trabalharam nesse tema. Gostaria de encorajar os oradores a serem concisos e a limitarem suas declarações a três minutos, para que possamos nos beneficiar da mais ampla participação.

Concluiremos o debate de hoje com as observações dos co-presidentes.

Dou a palavra ao Professor Edward Luck.”

Pronunciamento do Ministro das Relações Exteriores, Antonio de Aguiar Patriota, em debate sobre Responsabilidade ao Proteger na ONU – Nova York, 21 de fevereiro de 2012

21/02/2012 – “I warmly welcome you to this session where, I believe, we are all – countries, organizations and individuals – genuinely committed both to multilateralism and the protection of civilians. I am pleased to invite you to an informal discussion on the "Responsibility while Protecting".

As you know, this is an idea first mentioned by President Dilma Rousseff in her opening address to the General Assembly last September. Later, in November, Brazil circulated a concept paper that elaborates on the notion that the international community, as it exercises its responsibility to protect, must demonstrate a high level of responsibility while protecting. Over the last few months we have noticed significant support for this debate. I believe we have an opportunity today to have a frank and fruitful exchange of ideas on the various dimensions of this issue.

The political changes of our time pose a challenge to the international community. The relationship between the maintenance of international peace and security and the protection of civilians has evolved significantly after the United Nations was established in 1945. New conceptual frameworks were developed to deal with the challenges confronting us.

The work on the protection of civilians has significantly advanced since the 1990s, when discussions on this issue began to receive more focused attention. The plight of innocent civilians and the need to prevent impunity of perpetrators of the most serious crimes led the international community to create the International Criminal Court.

On its sixtieth anniversary, the United Nations adopted the concept of “responsibility to protect”. It established the responsibility of States to protect their populations from genocide, war crimes, ethnic cleansing and crimes against humanity. It also decided that the international community should encourage and help States to exercise this responsibility. Additionally, it established the responsibility of the international community to act collectively, through the UN, should national authorities fail to protect their populations.

The recognition that there is a responsibility to protect was a milestone. It should be stressed that the same 2005 World Summit Outcome that established a consensus formulation of the concept of "responsibility to protect" also clearly stated that this responsibility must be exercised, first of all, through the use of diplomatic, humanitarian and other peaceful means, and that only in those cases in which peaceful means prove to be inadequate should coercive measures be contemplated.

Along this process, it is essential to distinguish between collective responsibility – which can be fully exercised thorough non-coercive measures – and collective security – which involves a case-by-case political assessment by the Security Council.

Before embarking upon military action, the international community is expected to conduct a comprehensive and judicious analysis of all possible consequences. The use of force always brings with it the risk of causing unintended casualties and disseminating violence and instability. The fact that it is exercised with the aim of protecting civilians does not make the collateral casualties or unintended destabilization less tragic.

This is why, in our view, it is necessary to take an additional conceptual step in dealing with the responsibility to protect, and I would like to take this opportunity to offer a new perspective on this question, a perspective which we believe has become essential in approaching our common objective.

President Dilma Rousseff, in her address to the General Assembly last September, referred to a disturbing fact: the world today suffers the painful consequences of military interventions that have aggravated existing conflicts, allowed terrorism to penetrate into places where it previously did not exist, given rise to new cycles of violence and increased the vulnerability of civilian populations.

And it was then that she added: “much has been said about the responsibility to protect, but very little about the responsibility while protecting.”

Because the United Nations can authorize the use of force, it is under the obligation to fully develop an awareness of dangers involved in such use and to set up mechanisms that can provide an objective and detailed assessment of these dangers, as well as ways and means to prevent harm to civilians.

Our collective point of departure should resemble the principle of "primum non nocere" that doctors are so well acquainted with. In the first place, do not cause harm – this must be the motto for those who are mandated to protect civilians. It would also be most unfortunate, ultimately unacceptable, if a mission established by UN mandate with the aim of protecting civilians were to cause greater harm than the one it was enacted to prevent.

We must aim for a higher level of responsibility. One civilian casualty is one too many.

I believe the concepts of “responsibility to protect” and “responsibility while protecting” should evolve together, based on an agreed set of fundamental principles, parameters and procedures, of which I mention a few:

- prevention is always the best policy. It is the emphasis on preventive diplomacy that reduces the risk of armed conflict and the human costs associated with it. In that regard, we commend the initiative of the Secretary-General Ban Ki-moon to establish 2012 as the year of prevention, which has Brazil's full support. Other initiatives such as “Friends of Mediation” can be seen to fall into the same spirit of promoting the exercise of collective responsibility in the pursuit of peace through diplomacy, dialogue, negotiation, prevention;

- the international community must be rigorous in its efforts to exhaust all peaceful means available in the protection of civilians under threat of violence, in line with the principles and purposes of the Charter of the United Nations and as embodied in the 2005 Outcome Document;

- the use of force must produce as little violence and instability as possible. Under no circumstances can it generate more harm than it was authorized to prevent;

- in the event the use of force is contemplated, action must be judicious, proportionate and limited to the objectives established by the Security Council;

- enhanced Council procedures are needed to monitor and assess the manner in which resolutions are interpreted and implemented to ensure responsibility while protecting.

The establishment of these procedures should not be perceived as a means to prevent or unduly delay authorization of military action in situations established in the 2005 Outcome Document. Brazil’s initiative should rather be seen as an invitation to a collective debate on how to ensure, when force is contemplated as a justifiable alternative and is duly authorized by the Security Council, that its use be responsible and legitimate. This is why it is so important to ensure the accountability of those to whom authority is granted to resort to force.

Brazil has initiated a series of discussions with countries from all regions as well as with non-governmental organizations and specialists on the subject. We want to contribute to a crucial debate for the international community on the maintenance of international peace and security and the protection of civilians. In recent events on the "responsibility to protect", we have had the opportunity to broaden this dialogue. Brazil appreciates the fact that the UN Secretary-General has welcomed the initiative on the "responsibility while protecting".

Today's event is an opportunity to deepen and broaden this discussion.

Let me briefly outline how we have planned today's informal debate. We are honored to have Professor Edward Luck as the co-chair of this event. The Special Advisor to the Secretary-General on the "responsibility to protect" is a key interlocutor. We very much appreciate his contribution, in consultation with Member States, to the conceptual, political and operational development of R2P. His thoughts today will be most welcome.

The floor will then be open to participants. We have invited all Member States as well as NGOs and specialists who have worked on this subject. We have received requests for the floor from (...). I would ask other participants to signal their wish to speak so that we can close the list of speakers. I would like to encourage speakers to be as concise as possible and limit their statements to three minutes, so that we can benefit from the widest possible participation.

We will conclude today's discussion with remarks by the co-chairs.

I now give the floor to Professor Edward Luck.”

Secretaria de Defesa Civil acompanha situação dos municípios atingidos
pelo forte temporal no Sul do Estado
Florianópolis,

A Secretaria de Estado da Defesa Civil (SDC) está monitorando a situação
dos três municípios atingidos pelo forte temporal na noite de domingo
(19), no Sul do Estado. Criciúma, Forquilhinha e Nova Veneza registraram
prejuízos.



Em Forquilhinha foram afetadas 23 mil pessoas, 250 desalojados, 10
desabrigados, uma pessoa levemente ferida, 500 residências afetadas e dez
edificações públicas danificadas. O município decretou Situação de
Emergência. O abastecimento de água e o serviço de energia ficaram
comprometidos.



Conforme informações da defesa civil do município de Criciúma ficaram
desalojadas 30 pessoas, 40 residências afetadas e 16 edificações públicas
atingidas. O sistema de energia ficou prejudicado. O município de Nova
Veneza informou a Defesa Civil Estadual que três aviários ficaram
destruídos.



Até o momento, a suspeita de tornado não foi confirmada. Os profissionais
do Epagri/Ciram estão avaliando o fenômeno ocorrido na região afetada.
Segundo os meteorologistas, o forte calor e a disponibilidade de umidade
foram responsáveis pela formação de nuvens carregadas, com grande
desenvolvimento vertical. Ocorreram temporais com granizo e ventos fortes,
com registro de 131,6 km/h entre 18 e 19 horas em Criciúma (estação
automática Epagri/Ciram).



Assistência

A Defesa Civil Estadual já disponibiliza atendimento emergencial aos
municípios atingidos. Para Forquilhinha estão sendo encaminhadas 3.000
telhas e 50 quilos de pregos. O município de Criciúma também informou que
irá decretar Situação de Emergência, mas o documento está sendo aguardado
pela Secretaria Estadual. Materiais como telhas e cumeeiras também deverão
ser encaminhados ao município.
Programação semanal da Fundação Clóvis Salgado

Ópera A Serva Patroa

A Fundação Clóvis Salgado, em parceria com a DrammAto – Núcleo de Ópera e Teatro Musical, apresenta neste sábado e domingo, 25 e 26 de fevereiro, a ópera “A Serva Patroa”. Parte da programação da 38 ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança, o espetáculo leva ao palco do Grande Teatro do Palácio das Artes a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, que se apresenta ao lado de elenco de solistas mineiros. Como regente da orquestra estará o maestro Daniel Kostás, que também assina a direção musical; já a direção geral e cênica é da atriz e cantora Ana Taglianetti. Os ingressos para as apresentações estão à venda a R$12 nos postos Sinparc.

Aula Aberta com a Cia. de Dança Palácio das Artes

A Companhia de Dança Palácio das Artes realiza no próximo domingo, dia 26 de fevereiro, uma Aula Aberta com o coreógrafo, professor e bailarino da Cia. Paulo Chamone. Podem participar da atividade quaisquer indivíduos que se interessem pelas diferentes possibilidades expressivas do corpo.

A Aula Aberta acontece no grande estúdio da Companhia de Dança, no Palácio das Artes, das 13h às 15h. A inscrição é gratuita e pode ser feita enviando-se um e-mail para prodanca@palaciodasartes.com.br até o dia 24 de fevereiro (vagas limitadas).

História Permanente do Cinema

O Cine Humberto Mauro, no Palácio das Artes, apresenta nesta quinta-feira, 23 de fevereiro, dentro da programação da mostra “História Permanente do Cinema”, o filme “Delírios de Loucura”, do diretor Nicholas Ray. A sessão acontece às 17h e tem comentários do pesquisador José Ricardo após a exibição do filme.

A entrada é gratuita, com retirada dos ingressos na bilheteria meia hora antes do início.

Mostra Inéditos/Passou Batido em BH

Iniciada no dia 10 de fevereiro, o Cine Humberto Mauro segue, até o dia 29, apresentando uma junção de duas mostras de sucesso realizadas pela Fundação Clóvis Salgado ao longo dos últimos seis anos, “Inéditos em BH” e “Passou Batido em BH”. Com o objetivo de levar ao público mineiro obras que não foram exibidas ou que estiveram pouco tempo em cartaz na cidade, a “Inéditos/Passou Batido em BH” apresenta, ao longo de 19 dias de exibição, 15 filmes produzidos entre 2004 e 2011.

Dentre os longas em cartaz, estão “As Canções”, de Eduardo Coutinho; “Transeunte”, de Eryk Rocha; “Outubro”, de Diego e Daniel Veja Vidal; e “A Alma do Osso”, de Cao Guimarães.

As entradas para as sessões custam R$5 (inteira) e R$2,50 (meia, conforme a lei).

“Goldberg”, do Ballet Jovem Palácio das Artes

Com produção da Fundação Clóvis Salgado e como parte da programação da 38ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança, o Ballet Jovem Palácio das Artes - projeto de fomento ao jovem artista do Cefar – apresentará a montagem “Goldberg”. O espetáculo irá ao palco do Grande Teatro do Palácio das Artes na sexta-feira, dia 2 de março, às 21h. Os ingressos custam R$10 e podem ser adquiridos nos postos Sinparc.

“Coreografia de Cordel”, da Cia de Dança Palácio das Artes

A Companhia de Dança Palácio das Artes, um dos corpos artísticos da Fundação Clóvis Salgado, apresentará no domingo, dia 4 de março, o espetáculo “Coreografia de Cordel”, no Grande Teatro do Palácio das Artes. Premiado como melhor espetáculo nos 12 anos de comemoração do prêmio Sesc/Sated (2007), a montagem apresenta movimentos inspirados em experiências vividas pelos bailarinos, resultado da pesquisa de campo realizada por integrantes da Cia. no Vale do Jequitinhonha. Os ingressos podem ser adquiridos nos postos Sinparc pelo valor de R$12.

Exposição DUO

A Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard, no Palácio das Artes, recebe, até o dia 15 de abril, a exposição DUO, uma mostra das produções recentes dos artistas Annie Rottenstein e José Alberto Nemer. Composta por 30 obras, 15 de cada artista, a exposição é uma correalização da Fundação Clóvis Salgado, que reafirma seu compromisso de atuar junto à comunidade e ao artista mineiro. A entrada é gratuita.

Concurso Retrato da Deriva

O concurso cultural Retrato da Deriva continua em atividade. Fotógrafos - profissionais ou amadores - podem enviar fotografias que tenham sido realizadas em algum dos espaços administrados pela Fundação Clóvis Salgado (Palácio das Artes; Centro de Arte Contemporânea e Fotografia; Centro de Formação Artística; Centro Técnico de Produção – Marzagão; e Serraria Souza Pinto). Através de um julgamento realizado por uma comissão especialmente designada pela Fundação, são selecionadas, por mês, 10 fotografias, que então passam a compor uma exposição virtual no site do Palácio das Artes. Dessas 10, o autor da mais votada pelo público receberá um prêmio de R$1.000,00. Iniciado em julho de 2011, o concurso continua até junho de 2012. O edital público com as informações sobre condições para participar do concurso pode ser conferido pelo link http://www.fcs.mg.gov.br/imagensDin/Arquivos/4657.pdf.

Mulher Você é Especial


Desde a sua criação, a mulher tem um destaque especial como pessoa onde quer que esteja presente. No Éden destacou-se infelizmente por ouvir a voz de satanás e, seduzida, desobedeceu a Deus, e envolveu seu marido de forma que ele também desobedeceu, levando a humanidade à ruína completa.
Nas Escrituras encontramos o registro de muitas mulheres e todas têm algo em comum: a evidência de sua influência para o bem ou para o mal, e as consequências de suas escolhas no proceder.

Maria foi especialmente salientada, pois foi escolhida por Deus para ser a mãe do Salvador. Quando o anjo surge, ele declara: "Salve agraciada; o Senhor é contigo; bendita és tu entre as mulheres". ( Lucas 2.28).

Maria se pronuncia com o coração cheio de temor e obediência a Deus, declarando: "Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim conforme a tua Palavra". ( Lucas 2.38).

A sua decisão de escolher a vontade de Deus para sua vida, confiando plenamente na sua Palavra, proporcionou-lhe o imensurável privilégio de tornar-se a mãe de Jesus, o Messias aguardado, nosso Salvador e Senhor.

Nós, mulheres, talvez não avaliemos o quanto somos especiais. Pois Deus continua nos destacando e contando conosco. Deus nos deu a capacidade de influência, para mostrar ao mundo a sua glória.

Se temos um coração cheio de amor, obediência e intimidade com o Pai, certamente nossa presença no lar, trabalho e igreja serão marcantes pela fé, pelo amor, pelas boas obras e testemunho cristão. Isto sem dúvida influenciará a todos que conviverem conosco e trará grandes benefícios.

Lembrando as palavras do Mestre: "Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade construída sobre um monte. E também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Ao contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa. Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus. ( Mateus 5.14 - 16 - NVI)

Pagodão S/A garante a animação dos foliões na segunda de carnaval

Nesta segunda-feira, dia 20, o Carnaval na Avenida Marechal Castelo Branco será com um dos fenômenos da música no nordeste, uma demonstração que nessas terras secas também tem pagode de qualidade. A banda paraibana Pagodão S/A faz o show principal da noite, trazendo o melhor do estilo aos foliões da cidade.


A festa é proporcionada pela Prefeitura de Teresina por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves e conta com uma grande estrutura de som, iluminação e segurança para os foliões, que podem curtir a festa com tranquilidade.


A abertura, às 18h desta segunda, será com a banda do Buchicho, que traz marchinhas, frevos e muitas composições que marcaram os bailes de carnaval. Na sequencia, a animação fica por conta do pagode do grupo Doce Ilusão, que traz um repertório bastante animado para quem quer cair na folia.


A atração principal da noite veio diretamente da Paraíba para a capital piauiense. A banda Pagodão S/A começou com um grupo de amigos que faziam rodas de pagode nos finais de semana para tocarem em bares e restaurantes da cidade de Cajaseias e hoje é um dos grupos que está se destacando.


Como o próprio grupo admite, a ascensão veio de forma surpreendente, através da pirataria, o que potencializou comercialização do cd, gravado amadoramente em um de seus shows. Com isso, a banda passou a tocar em rádios da Paraíba e os sucessos acabaram ganhando o Nordeste.

"O mundo é plano, mas o abismo existe para os desavisados"
Profº Marcelo Veras
foto Arquivo Pessoal

Por Marcelo Veras*

Parte da frase acima é título de um belo livro escrito por Thomas Friedman (O mundo é plano/Editora Objetiva), que propõe uma nova reflexão sobre algo que todos sabem – a globalização deixou o mundo plano, integrado, com poucas fronteiras, conectado economicamente e culturalmente. Religiões, etnias, tendências sexuais, ideologias políticas... E o que é mais atual e interessante é que estão todas ancoradas na nossa vida pessoal e profissional. Nunca foi tão comum ver tantos profissionais sendo expatriados pelas suas empresas e indo viver em países com imensas diferenças culturais. Empresas nacionais se internacionalizando, fazendo com que seus executivos tenham que se relacionar com pessoas do mundo inteiro. Clientes e fornecedores globais. Assim é o mundo hoje e assim será por muito tempo.

Agora imagine a cena a seguir. Um executivo de uma multinacional, jovem, inteligente, reconhecido pelos pares e pelos chefes como alguém de grande potencial. Num belo dia, foi convidado para um jantar de negócios da empresa. Na mesa, ele, o chefe, o chefe do chefe e outras pessoas. Ou seja, uma oportunidade única para consolidar mais ainda a sua imagem de hight potential, já que palcos como este são raros e não podem ser desperdiçados. Lá pelas tantas, sem nem ter bebido além da conta (para não imputarmos a culpa no pobre coitado do vinho), ele resolve soltar uma piada de gosto questionável sobre gays. Todos riem, mas duas pessoas em particular soltam aquele sorrizinho de conveniência. Imagine logo quem.

Bom, o resumo da ópera é o seguinte. Ele não sabia, mas o chefe do chefe era homossexual. Já havia até sido casado, tinha um filho, mas mudou de orientação sexual anos atrás e vivia atualmente com outro homem. A minha pergunta: O que você acha que aconteceu com este cidadão? Vamos e convenhamos, ninguém precisa ter mais de três neurônios para concluir que a carreira dele nesta empresa virou pó. E eu só tenho uma coisa a dizer: Bem feito!

Esta é apenas uma, de inúmeras histórias que ouço dos meus alunos, colegas e amigos, sobre pessoas que, por descuido (ou será burrice mesmo?), conseguem dar uma “bola fora” tão grande ao ponto de comprometerem a sua carreira em uma empresa em questão de segundos. O velho ditado que diz que “uma imagem precisa de anos para ser construída e segundos para ser destruída” não deve ter sido objeto de estudo dessas pessoas. O mesmo enredo poderia ser contado simplesmente trocando o tema da piada. Poderia ser sobre uma determinada religião ou sobre determinada raça. Se a pessoa em questão desse o azar de pegar um ouvinte envolvido de alguma forma no tema da piada, o fim seria o mesmo.

Neste e no próximo artigo quero tratar de mais uma competência comportamental que apareceu na nossa pesquisa com líderes empresariais, a Consciência e Diversidade Cultural. Ela apareceu na pesquisa com unanimidade, talvez por uma razão única, já explicada na frase “O mundo é plano”. A definição dos líderes empresariais para ela foi: Conhecimento, respeito e convivência com as diferenças, de forma profissional e produtiva. Mais direta, impossível.

Pense nesta semana sobre as seguintes questões: Qual é o seu nível de conhecimento sobre outras culturas, religiões, orientações sexuais, etnias, etc? Quais são os seus preconceitos? Por que eles existem? E se você tiver que trabalhar um dia com alguém de uma "tribo" diferente da sua? Como lidará com isso? Como você pode se livrar de cometer um erro como o citado na história acima? Até o próximo!

*Vice-presidente acadêmico da ESAMC. Associate Partner da AYR Consulting – Consultoria de Inovação. Sócio-diretor da PRIME Educacional – Franqueada ESAMC. Professor de Marketing, Estratégia e Planejamento de Carreira de MBA na ESAMC. Palestrante e consultor de empresas nas áreas de Gestão de Carreiras e Marketing.