sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Conferência municipal reúne 300 pessoas para discutir políticas para pessoas com deficiência



principal
Cerca de 300 pessoas estão reunidas em Curitiba na 4.ª Conferência Municipal pelos Direitos da Pessoa com Deficiência, que debate os desafios na implementação de políticas para esse segmento da população. A conferência começou na manhã desta quinta-feira (15), no auditório do bloco bege da Universidade Positivo, com a presença do prefeito Gustavo Fruet, que reafirmou o compromisso de sua gestão com a inclusão. O encontro termina na sexta-feira (16).
A conferência tem como tema “Os desafios na implementação da política da pessoa com deficiência: a transversalidade como radicalidade dos Direitos Humanos”. Os debates seguem três eixos temáticos: gênero, raça, etnia, diversidade sexual e geracional; órgãos e instâncias de participação social e Interação entre os entes e poderes federados.
As propostas feitas durante a conferência serão encaminhadas para as etapas estadual e nacional das conferências, que ocorrem em dezembro de 2015 e maio de 2016, respectivamente. Durante o evento também haverá a eleição do grupo de delegados que participará da conferência estadual.
O prefeito Gustavo Fruet participou da mesa de abertura da conferência e destacou os avanços de Curitiba na área de inclusão social durante sua gestão, com a adoção de diversos programas e projetos. Ele citou como exemplos o Ônibus Acesso, que garante transporte para tratamento a pacientes com dificuldades severas de locomoção; os semáforos inteligentes, que ampliam ao tempo de travessia para pedestres com mobilidade reduzida; semáforos para cegos; a instalação de rampas em toda a cidade, melhorando a acessibilidade; a construção de moradias acessíveis pela Cohab; e a criação da Central de Libras, entre outros.
O prefeito ressaltou que o trabalho na área de inclusão deve ser contínuo. “Temos avançado muito, mas é um trabalho permanente de conscientização, voltando tanto para as equipes da própria Prefeitura quanto para a sociedade de maneira geral,  em relação a acessos a locais públicos, prioridade dos pedestres e pessoas com deficiência nas vias públicas”, afirmou. “Por isso a implantação das áreas acalmadas, via calma e espaços compartilhados, projetos como o do Ônibus Acesso, dos semáforos inteligentes e projetos nas escolas municipais, com salas multifuncionais para alunos comdeficiência e transtornos de desenvolvimento, e outros projetos na área de saúde e social. Essa é a prioridade de uma cidade que quer ser mais humana”, afirmou Fruet.
Participação popular
Asssim como ocorre com outros segmentos – como idosos, crianças e mulheres –, as  Conferências dos Direitos das Pessoas com Deficiência têm sido espaços importantes da participação da população na proposição, avaliação e monitoramento das políticas públicas. Por isso a discussão do tema da transversalidade é importante, conforme explica a secretária da Pessoa com Deficiência, Mirella Prosdócimo.
“É necessário escutar as pessoas com deficiência e este é um espaço importante nesse sentido. Neste ano avançando em relação ao tema da transversalidade proposto pelo Conad – Conselho Nacional dos Direitos das Pessoas com Deficiência –, pensando a questão da deficiência em todas as esferas: questão de gênero, raça, diversidade sexual, para fugir da ideia de as pessoas com deficiência são todas iguais e possuem as mesmas necessidades. Queremos mostrar que é um grupo extremamente diversificado. Temos sim nossas características e limitações, mas que não impedem que possamos exercer plenamente a nossa cidadania. Por isso é importante a participação da pessoa com deficiência neste evento”, explicou.
“Temos que avançar na implementação de políticas públicas e só vamos parar quando formos vistos como plenos cidadãos”, reforça Rafael Cardozo, do Conselho Municipal de Pessoas com Deficiência.
A superintendente da Fundação de Ação Social (FAS), Jucimeri Isolda Silveira, destacou a agenda de importantes ações que a instituição possui para pessoas com deficiência, como a implantação das residências inclusivas e a busca pela ampliação de recursos para implantação dos centros-dias, além do empenho e dedicação das equipes da FAS no apoio à implantação de politicas públicas para o segmento.
Estiveram presente na abertura da conferência os vereadores Zé Maria, Pier Petruzziello e Felipe Braga Côrtes.
Programação
Nesta quinta-feira, a programação inclui a leitura e aprovação do regimento interno, palestra com o secretário executivo do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Jorge Amaro de Souza Borges, balanço das deliberações da conferência municipal anterior, oficinas sobre os eixos temáticos.
Na sexta-feira acontecem a plenária final e eleição dos delegados para a próxima conferência estadual, marcada para dezembro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário