quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Tecpar realiza, no Smart Energy Paraná, capacitações em energias renováveis




O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), como executivo do programa Smart Energy Paraná, vai realizar capacitações abertas ao público na área de energias renováveis em 2018. Serão três cursos presenciais e outros seis na plataforma de Educação a Distância, todos lançados já em janeiro de 2018.
Os três cursos presenciais serão treinamentos básicos em sistemas fotovoltaicos, em instalação de sistemas fotovoltaicos para microgeração e em softwares para simulação em sistemas fotovoltaicos. Já a capacitação em EAD contemplará seis cursos com carga horária de 20 horas com conceitos básicos de energias eólica, fotovoltaica, biomassa, biogás, pequenas hidrelétricas e Smart Grid.
O diretor-presidente do Tecpar, Júlio C. Felix, ressalta que o programa, cuja secretaria executiva é de responsabilidade do instituto, tem como objetivo democratizar o acesso a energias renováveis em todo o Estado. “O decreto que criou o programa define, entre outras coisas, que é função do Smart Energy Paraná desenvolver competências locais neste tema”, pontua.
Smart Energy Paraná
O Tecpar promove a secretaria executiva do programa Smart Energy Paraná, que mobiliza as competências que o Estado e a sociedade já têm e busca por novas soluções para desenvolver o setor energético do ponto de vista econômico, ambiental e social no Paraná.
No Smart Energy Paraná, o Tecpar homologa as diferentes tecnologias disponíveis no mercado para apresentar à sociedade as tecnologias já testadas pelo instituto, com geração de dados e capacitação de mão de obra local para atrair investimentos nesta área para o Paraná.
Saiba mais sobre o programa Smart Energy Paraná pelo site smartenergy.org.br/portal.
Tecpar apoia empreendedorismo em todas as regiões do Estado




Incubadoras e parques tecnológicos do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) contribuíram para promover a inovação em todo o Estado em 2017. No ano passado o Parque Tecnológico Virtual do Paraná (PTV Paraná) reuniu quase 15 mil ativos tecnológicos e três novas empresas ingressaram na Incubadora Tecnológica do Tecpar (Intec). Ao longo de 28 anos, a Intec já deu suporte a cerca de 100 negócios. Atualmente, sete empresas passam pelo programa com o desenvolvimento de tecnologias em diversas áreas.
Em 2017, entraram na incubadora a OrangeLife, que criou na Intec um espaço para Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) de novos produtos, como um equipamento que diagnostica em tempo real doenças infecciosas, negligenciadas e sexualmente transmissíveis; a Neurocel, que desenvolve pesquisa na área da neurocirurgia para produzir membrana biológica com a finalidade de substituir a dura-máter – também chamada de meninge – em caso de lesões por tumores ou por traumatismos; e a Toys for Boys, que elabora produtos de limpeza automotivos sustentáveis.
A Toys for Boys foi, ainda, a primeira empresa a ingressar no programa de Incubação Verde da Intec, lançado em 2017 pelo Tecpar e a Universidade Livre do Meio Ambiente (Unilivre) para acelerar o desenvolvimento de negócios sustentáveis e os pedidos de patentes de tecnologias verdes.
No ano passado a incubadora também registrou uma graduação: a Beenoculus, que desenvolveu óculos de realidade virtual de baixo custo para smartphones e uma plataforma em nuvem para distribuir material audiovisual com imagens em 360 graus, saiu da incubadora do Tecpar com um faturamento de R$ 2 milhões em 2016 e uma previsão de triplicar esse valor neste ano.
Parque Virtual
O Parque Tecnológico Virtual do Paraná (PTV Paraná), cuja secretaria executiva é de responsabilidade do Tecpar, já reuniu quase 15 mil ativos em sua nova plataforma, divididos em sete categorias: Pessoas, Organizações, Programas e Incentivos, Projetos e Iniciativas, Produtos, Propriedade Intelectual e Serviços.
O programa PTV Paraná busca atrair e fixar empresas de base tecnológica em todo território paranaense, reunindo projetos e iniciativas, com ações em universidades e instituições científicas e tecnológicas que fomentam a inovação no Estado. A plataforma PTV Core reúne ativos tecnológicos distribuídos em torno de 60 cidades de todas as regiões do Paraná.
A partir de 2018 a plataforma oferecerá a ferramenta denominada mercado tecnológico, com a qual empreendedores, empresas, universidades e instituições científicas e tecnológicas poderão buscar e ofertar soluções.
Parques tecnológicos
O Tecpar conta com o Parque Tecnológico da Saúde, que engloba os câmpus CIC e Araucária do instituto, com a finalidade atrair empresas que desenvolvam tecnologias na área, e o Parque Tecnológico do Norte Pioneiro, em Jacarezinho.
O parque atrai para o Tecpar empresas com investimento em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e produção de bens e serviços inovadores, além de incentivar a criação de novas empresas de base tecnológica no Paraná. Também estimula a transferência de tecnologia para o Paraná, já que uma das exigências para uma empresa se instalar é desenvolver pesquisas e novos produtos em parceria com o Tecpar.
Retomada da economia gera resultados animadores para setor de pagamentos eletrônicos




Acqio - reduzida

Balanço de 2017 da Acqio tem saldo positivo e espera surpreender em 2018

Retomada da economia! Está aí um assunto no qual todo brasileiro está interessado. Após três anos de muito sufoco, as pessoas não veem a hora de respirar aliviadas novamente. E mesmo que a situação esteja mudando bem lentamente, a notícia é boa: ela está melhorando.

Quem tem muito a comemorar é o empresariado. Principalmente o setor de pagamentos eletrônicos. Segundo a Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços), as transações das maquininhas já alcançaram os 6,4 bilhões no primeiro semestre deste ano, valor 7,1% superior do que os cerca de 5,9 bilhões vistos nos primeiros seis meses de 2016. O aumento foi puxado principalmente por débito, que subiu 10,2% (de 3,2 bilhões para 3,5 bilhões). Crédito, por sua vez, foi de 2,7 bilhões para 2,8 bilhões (+3,5%).

A associação diz ainda que o mercado de cartões deve alcançar o crescimento de dois dígitos em 2018, impulsionado pela migração aos meios eletrônicos e melhora macroeconômica.

Crescimento inevitável

O saldo positivo reflete certa realidade no Brasil: a necessidade do comércio em oferecer praticidade e modernização ao público consumidor, e o deste, em buscar facilidades e soluções que agregam valor ao seu dia a dia. Comportamentos que evidenciam cada vez mais a importância sobre o uso de ferramentas que promovem esse tipo de integração, como, por exemplo, os pagamentos eletrônicos - que são fundamentais para garantir maiores índices de confiança além de mais consumidores que não abre mão do cartão de crédito/débito ao empresário.

Prosperidade assertiva
A Acqio, rede de franquias voltada ao segmento de pagamentos eletrônicos via POS (maquininhas de cartões) sente essa reação. Tanto que termina 2017 com um balanço positivo e estima que em 2018 o resultado surpreenda. Ao todo, foram conquistadas 260 novas unidades, e a projeção é de que feche os doze meses com o total de 650 unidades. Além disso, muitas maquininhas da marca foram vendidas. A estimativa é de que o comércio tenha adquirido, a quantia de 18 mil. O faturamento cresceu também, mas a marca não revela seus números.
Para 2018 a probabilidade é de que a Acqio triplique o número de franquias, cresça três dígitos em seu faturamento, e quintuplique a venda de maquinetas. “Temos duas fortes vertentes a nosso favor. Com a retomada da economia, as pessoas estão voltando a consumir não apenas o básico, mas produtos e/ou serviços que sempre gostaram, mas que deixaram de usufruir na época da crise. Além disso, o comportamento diante dessas compras mudou, hoje em dia, todo mundo quer pagar no cartão. A demanda é grande e estamos aqui para suprir essa necessidade”, falou Robson Campos, CEO da Acqio.
Investimentos e inovações
Em 2017 a Acqio se destacou no mercado de atuação. E para continuar “fazendo bonito”, a empresa acredita que investimentos e inovações serão grandes diferenciais - principalmente para manter o negócio atualizado e assim permanecer conquistando tanto o possível empreendedor, quanto o cliente final.
“Vamos oferecer novas modalidades de negócio para atingirmos todos os tipos de empreendedores do Brasil. Além disso, estamos finalizando a aceitação das principais bandeiras a serem aceitas pelas maquininhas. Quanto maior o leque de opções, maior o número de abrangência da marca”, disse o CEO.
O CEO acredita que quanto mais investimentos e novidades forem apresentados aos franqueados, maior será o índice de crescimento. “Atualmente as pessoas buscam novidades e variedades. O que mais atrai novos empreendedores e auxilia no crescimento das vendas é a variedade, pois é natural que quanto maior for o grupo de pessoas alcançados pelas opções, consequentemente aumenta o índice de crescimento e assim sucessivamente”, disse.
 Marca de oportunidade
Atuando no mercado desde 2014, a Acqio, que possui mais de 600 unidades espalhadas por todo o país, conta com um investimento de R$8.490,00 (taxa de franquia R$7.490,00 + capital de giro R$1mil).
A rede trabalha com três tipos de maquininhas: a VX685, que atua por meio GPRS e pode ser utilizada de maneira tradicional ou portátil. O valor para aquisição é de R$699,00 ou 12x de R$69,90; Outra opção é a VX690, com tecnologia 3G e WiFi. Esta pode ser utilizada também dentro e fora do estabelecimento, e possui o valor de R$899,00 ou 12x de R$89,90; E por fim, a MP20 que tem seu desenvolvimento através das conexões de GPRS e WiFi. Esse modelo leva medidas menores do que as maquininhas tradicionais e tem como foco atender trabalhadores autônomos, já que funciona sem a necessidade de uma conexão com tablet ou até mesmo um celular. O valor de aquisição desta maquininha é de R$ 699,00 ou 12x de R$ 69,90.
Acqio

Fundada no interior de São Paulo, a Acqio atua no segmento de tecnologia e inovação, com soluções de pagamentos eletrônicos de cartões de crédito e débito por meio de equipamentos POS (WiFi e GPRS). A franquia nasceu da Join Venture entre dois grupos de investidores: uma empresa de tecnologia em pagamentos eletrônicos e outra com grande know How em gestão de Franchising e força de vendas. A Acqio surgiu no mercado como a primeira franquia de solução de pagamentos eletrônicos e começou sua atuação no mercado em agosto de 2015. Ela já possuiu mais de 600 unidades distribuídas em todo o país e oferece investimentos a partir de R$7.490,00.
Capacita Paraná EAD fecha 2017 com treinamento de 20% dos servidores municipais



O Capacita Paraná EaD, programa do Governo do Estado de capacitação de servidores municipais, fechou 2017 com um saldo de quase 4 mil profissionais atendidos em cinco turmas formadas ao longo do ano. O número representa cerca de 20% de todo o quadro de colaboradores dos 399 municípios paranaenses.
O programa foi desenvolvido pelo Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), em parceria com o Serviço Social Autônomo (Paranacidade), órgão ligado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano.
O Capacita Paraná EaD oferta cursos com foco na administração, planejamento, auditoria, contabilidade, licitações e contrato, gestão de pessoas e na área jurídica. Cada curso tem duração de 20 horas e deve ser acessado totalmente pela internet, em qualquer horário, e concluído obrigatoriamente em até 40 dias.
Em 2017 o programa teve cinco fases distribuídas ao longo do ano nas quais os servidores puderam se inscrever em mais de um dos 15 cursos disponíveis. O diretor-presidente do Tecpar, Júlio Felix, ressalta que o conteúdo foi disponibilizado com base na experiência do instituto na área de educação, com oferta de aulas presenciais, semipresenciais e com educação a distância.
“Assumimos o compromisso com o Governo do Estado em aperfeiçoar a qualidade da gestão pública paranaense, disponibilizando para cada uma das 399 prefeituras municipais conteúdos para uma melhor oferta de serviços públicos no Paraná”, destaca.
Inscrições
O Capacita Paraná EaD está com inscrições abertas até 16 de fevereiro para a sexta fase do programa, a primeira de 2018. As inscrições podem ser feitas no site prefeituras.tecpareducacao.com.br, na aba “Cursos”, ou por meio dos telefones (41) 3316-3142 e (41) 2104-3356. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail educacao@tecpar.br.
O custo unitário dos cursos, por inscrição, é de R$ 159. Há descontos de acordo com o número de interessados por município. De uma a 50 inscrições, o valor é de R$ 159; de 51 a até 150 inscrições, R$ 149; de 151 a até 250, R$ 139; de 251 a até 500, R$ 129; e acima de 501 inscrições, o valor é sob consulta.

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Ação, aventura e romançe no épico infantil Nasbecolândia


Foto: Adriana Marchiori/Divulgação PMPA
Espetáculo é inspirado no conto O Alfaiate Valente, dos irmãos Grimm
Espetáculo é inspirado no conto O Alfaiate Valente, dos irmãos Grimm
O Teatro Renascença abre a sua programação de 2018, nesta sexta-feira, 5, às 16h, com a peça infantil Nasbecolândia. O espetáculo, que integra a programação do Porto Verão Alegre, tem classificação livre. Os ingressos custam R$ 40 ou R$ 30 antecipados (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras). Informações sobre os ingressos antecipados no site do Porto Verão Alegre.

Inspirado no conto O Alfaiate Valente, dos irmãos Grimm, o espetáculo narra a cômica história de Nasbecolândia, um reino que está sendo atacado por um gigante terrível. O gigante está acabando com o lugar e provocando a fuga dos melhores cavaleiros da Rainha Sganarela III. Desesperada, a rainha ordena que Amadeu, seu desastrado arauto, vá até a cidade e encontre um cavaleiro corajoso que possa enfrentar o inimigo. E é neste momento que um certo alfaiate, que havia matado sete moscas de uma só vez, cruza o caminho de Amadeu e a confusão está armada.

Utilizando elementos da Commedia dell’Arte como base da construção de personagens, Nasbecolândia traz ao público um épico infantil repleto de cenas de ação, aventura e romance.
 
Ficha Técnica
Texto: Rodrigo Kão Rocha
Direção: Clarissa Gomes
Elenco: Rodrigo Kão Rocha, Clarissa Gomes, Guilherme Ferrêra, Stephanie Cardoso, Daiane Oliveira
Figurino: Rodrigo Kão Rocha
Cenário: Clarissa Gomes
Iluminação: Carlos Azevedo
Sonoplastia: Rodrigo Kão Rocha
Operadora de som: Manuella Goulart
Assistente de palco: Glória Souza
Arte gráfica: Rodrigo Kão Rocha
Fotos: Adriana Marchiori

Nasbecolândia
Teatro Renascença, avenida Erico Veríssimo, 307, bairro Azenha 
Sexta-feira, 5, às 16h
Ingressos: R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras)
Duração: 50 minutos
Classificação: livre
Site do Porto Verão Alegre 

O que os homens pensam que as mulheres pensam


Foto: Laércio Lacerda/Divulgação PMPA
Comédia de gênero discute o gosto, a sexualidade e os mistérios femininos
Comédia de gênero discute o gosto, a sexualidade e os mistérios femininos
O Teatro Renascença recebe a partir deste sábado, 6 até 9 de janeiro, às 21h, o espetáculo "O que os Homens Pensam que as Mulheres Pensam". A peça, que também faz parte do Porto Verão Alegre, tem classificação de 14 anos e os ingressos custam R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras). Informações sobre os ingressos antecipados no  site do Porto Verão Alegre.

É uma comédia de gênero que discute o gosto, os conflitos, a sexualidade e os mistérios femininos a partir da visão de uma travesti e três homens heterossexuais. A peça se passa dentro de um banheiro público. Marcus (que pretende impressionar uma possível namorada) deverá participar de alguns jogos proposto por Pety (a travesti), onde viverão diversos tipos de papeis e encontros sexuais e amorosos. Eles contam com a ajuda de Faro e Anjo, e transformam o banheiro num espaço de grandes, divertidas e atrapalhadas representações.
Ficha Técnica
Texto: Pedro Delgado
Elenco: Douglas Carvalho, Henri Iunes, Luis Carlos Pretto e Pedro Delgado
Iluminação Criação: Paulo Romera e Vilmar Silva(operação) Vilmar Silva
Figurino: Grupo Teatro Lá Em Casa
Cenografia: Grupo Teatro Lá Em Casa
Trilha sonora: Orientação: Emerson Maicá. Execução: os próprios atores
Direção: Pedro Delgado
Produção: Pedro Delgado
Fotografia: Laercio Lacerda

O Que os Homens Pensam que as Mulheres Pensam
Teatro Renascença
De sábado, 6,  até terça-feira, 9, às 21h
Entrada: R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras)
Duração: 70 minutos
Classificação: 14 anos
site do Porto Verão Alegre.

Banrisul abrirá às 9h nesta quarta para servidor antecipar 13º


Foto: Brayan Martins/ PMPA
Município indenizará os servidores e agentes políticos que anteciparem o 13º
Município indenizará os servidores e agentes políticos que anteciparem o 13º
A partir desta quarta-feira, 3, o Banrisul disponibilizará linha de crédito para antecipar a gratificação do 13º salário aos servidores municipais que ainda não são correntistas do banco. As agências serão abertas às 9h para atender os municipários que desejarem contratar o empréstimo. O horário ampliado para os servidores do município começa nesta quarta e prossegue até quando houver necessidade, de acordo com a procura.

O município indenizará os servidores públicos e agentes políticos que anteciparem o 13º salário. A medida vale para os servidores públicos municipais ativos, inativos, pensionistas e vinculados a estatutos próprios e os agentes políticos do município. No dia 26, o Banrisul disponibilizou a linha de crédito para os servidores que já possuíam conta no banco.   

Os servidores receberão o valor referente à gratificação, que será acrescido de indenização. Se a opção do funcionário for a de contratar o empréstimo em outra instituição bancária, o valor indenizado será a correção monetária pelo IPCA + juros legais, que é o equivalente a 1,42% ao mês. 
O servidor que optar por não antecipar o valor referente à gratificação natalina junto à instituição bancária receberá da prefeitura a gratificação parcelada em 10 vezes, a partir de 20 de fevereiro de 2018, medida que também será acrescida de correção monetária pelo IPCA, mais juros legais, equivalente a 1,42% ao mês.

Saiba mais:      
1) Quem pode antecipar seu 13º salário?
Todos os servidores públicos municipais e agentes políticos com folha de pagamento operada pela Prefeitura de Porto Alegre que desejarem receber a gratificação natalina.
2) Quais as Instituições bancárias/financeiras estão habilitadas para realização do crédito antecipado do 13º?
A operação de antecipação do 13º está garantida apenas com o Banrisul. Todos os outros bancos podem oferecer proposta, porém não estarão abrangidos pela operação financeira. Nesse caso, cada servidor deverá negociar com o seu banco a taxa e o prazo de pagamento.

3) Quando estarão disponibilizadas as linhas de crédito para os servidores?
A partir do dia 26 de dezembro, o Banrisul deve iniciar o atendimento dos servidores que já são correntistas e possuem cadastro ativo com o banco.
Os servidores que ainda não têm cadastro ou que possuem contas inativas, terão que abrir/ativar a conta corrente e realizar a contratação do empréstimo a partir de 3 de janeiro de 2018.
A antecipação somente poderá ser solicitada a partir dos prazos acima descritos até o dia 19 de janeiro de 2018. Posterior a esta data, não estarão sendo disponibilizados, pelas regras descritas, os procedimentos de antecipação de valores.
Os valores serão disponibilizados após a assinatura do contrato entre o Banrisul e o servidor.
4) Quais os documentos serão necessários para a contratação da antecipação?
Os servidores deverão comparecer ao Banrisul munidos de RG, CPF, comprovante de residência (atualizado), originais, e comprovante de renda.
5) A antecipação é facultativa? E sobre os encargos envolvidos?
Sim. O servidor que optar pela operação no Banrisul receberá o valor da gratificação natalina sem qualquer prejuízo, já que as despesas bancárias serão custeadas pela prefeitura. Quem não aderir ao financiamento irá receber em 10 parcelas mensais, a partir de 20 de fevereiro, com indenização do IPCA + juros legais, que é o equivalente a 1,42% ao mês, conforme previsto no artigo 2º da Lei.
6) Quem paga os custos e juros da operação?
O contrato é firmado entre o servidor e o Banrisul, porém a prefeitura indenizará o servidor com valores equivalentes ao custo da operação.

7) Como será o processo na rede bancária?
O Banrisul deve disponibilizar operação bancária específica para a antecipação da gratificação natalina. Os servidores que não são correntistas do Banrisul poderão abrir conta no banco, podendo ser, dentro das opções previstas, sem custo de mensalidade desta operação ao servidor optante.
8) E o servidor que optar por não fazer a operação?
Receberá o pagamento da gratificação natalina em até 10 parcelas mensais e consecutivas a serem pagas a partir de 20 de fevereiro. O montante será acrescido de indenização do IPCA + juros legais, que é o equivalente a 1,42% ao mês.
9) A reposição oferecida na parcela da gratificação natalina pela prefeitura de empréstimo bancário (2,3750%) irá cobrir os eventuais juros a serem cobrados pelo Banrisul? E por outros bancos?
No caso do Banrisul, sim. Quanto aos demais bancos, não está dentro da mesma modalidade de empréstimo e o servidor receberá apenas a correção por indenização IPCA + juros legais, que é o equivalente a 1,42% ao mês nas parcelas estabelecidas.
Com relação às outras instituições financeiras/bancárias a responsabilidade de contratação e quitação de empréstimos é única e exclusivamente do servidor.
10) Quem está negativado no Banrisul, sem capacidade de fazer empréstimos, terá essa possibilidade também?
Sim, devendo procurar sua agência para mais informações. Ficarão restritos apenas aqueles que possuem demanda judicial que envolva o Banrisul ou que possuam pendências legais com este banco.
11) Quem desejar receber seu valor antecipado em outro banco poderá utilizar a portabilidade com o Banrisul?
Sim, sendo realizada a Transmissão Eletrônica de Documentos – TED pelo Banrisul ao Banco/Agência/Conta informada, sem custo ao servidor. Observamos que a transação será estritamente interbancos.
12) Como será, na prática, a adesão a isso? Será somente nas agências? Poderá ser pela internet? Por aplicativos?
A adesão será direto nas agências do Banrisul, conforme calendário disponibilizado (a partir do dia 26 de dezembro para os servidores que já são correntistas do banco, e a partir de 3 de janeiro, para os demais servidores), e está previsto horário ampliado, das 9h às 16h em todas as agências, principalmente as do Centro, para atendimento da demanda.
13) Em quanto tempo o recurso entra na conta?
O recurso será disponibilizado pelo Banrisul em até 48h após a assinatura do contrato, seja na conta corrente de correntista, na conta aberta para este fim ou por TED na conta informada no contrato firmado.
14) Esta operação de crédito será em forma de consignação? Ou será empréstimo pessoal direto com o banco?
Não será em forma de consignação, sendo contratado como empréstimo direto servidor/Banrisul, com débito em conta.
15) Como será quitado o empréstimo?
Os valores contratados serão depositados diretamente na conta pessoal do servidor contratada junto ao Banrisul, vinculada ao contrato e operação de crédito.
O contrato é do servidor, sendo este o responsável por todas as obrigações de quitação junto ao banco.
16) Como ficarão as pensões alimentícias?
Já foram pagas sem a necessidade da realização de empréstimo.

Peter Burke discute como os movimentos migratórios influenciaram o ‘transplante de saberes’ da história do conhecimento humano

Dec 06, 2017




Historiador inglês afirma que junto com deslocamentos em massa ou pequenos deslocamentos familiares, os saberes também mudam de lugar
Peter Burke discute como os movimentos migratórios influenciaram o ‘transplante de saberes’ da história do conhecimento humano
Esta mais recente obra do historiador Peter Burke debruça-se sobre um tema que, de tempos em tempos, torna-se especialmente candente: a imigração humana. Burke empreende uma jornada em busca de entender como o deslocamento humano influencia também o deslocamento de saberes. Essa é a discussão que permeia Perdas e ganhos: exilados e expatriados na história do conhecimento na Europa e nasAméricas, 1500-2000, lançamento da Editora Unesp.
“Este livro se localiza no cruzamento de duas tendências [...]: a história do conhecimento e a história das diásporas, concentrando-se nos exilados e expatriados e no que se poderia chamar de seus saberes ‘deslocados’, ‘transplantados’ ou ‘traduzidos’”, escreve Peter Burke. O historiador convida o leitor a viajar o mundo através de seus vocabulários: exilados, refugiados, expatriados. Cada nome com sua especificidade, que Burke tece com profundidade e leveza, apoiado em extenso referencial teórico.
O período temporal explorado pelo autor é bastante largo, já que traz “uma seleção de estudos de caso da história do conhecimento na Europa e nas Américas ao longo dos últimos quinhentos anos, ou, mais precisamente, de 1453, quando os otomanos tomaram Constantinopla, até 1976, quando um regime militar se estabeleceu na Argentina”, anota. “Para manusear esse tema imenso, foi preciso limitá-lo. Apesar da importância da ‘migração de habilidades’, as páginas a seguir se concentram em cientistas e acadêmicos e em suas contribuições para a ‘comunidade de aprendizagem’ e a ‘república da ciência’.”
Um dos objetivos umbilicais da obra é o de delinear “um relato dos principais movimentos de exilados acadêmicos no Ocidente ao longo de mais de cinco séculos, apresentando alguns estudos de caso com mais detalhes e, espero, mais profundidade”, sublinha. “As análises oferecidas neste livro se baseiam na biografia coletiva, ou ‘prosopografia’, um método empregado por historiadores alemães da Roma antiga e introduzido na Inglaterra pelo historiador émigré Lewis Namier.”  
Sobre o autor – Peter Burke é um historiador inglês nascido em 1937, atualmente professor emérito da Universidade de Cambridge. Durante sua carreira, lecionou em outras instituições de prestígio, como as Universidades de Princeton e Essex; foi ainda professor visitante da Universidade de São Paulo entre 1994 e 1995. Especialista em História Moderna Europeia, é autor de, entre outros títulos, História e teoria socialA arte da conversaçãoA escrita da história: novas perspectivasO que é história do conhecimento? e Testemunha ocular: o uso de imagens como evidência histórica – também editados pela Editora Unesp.
Título: Perdas e ganhos: exilados e expatriados na história do conhecimento na Europa e nas Américas, 1500-2000 Autor: Peter Burke
Tradução: Renato Prelorentzou
Número de páginas: 299
Formato: 14 x 21 cm
Preço: R$ 54,00
ISBN: 978-85-393-0706-7 

O Anexo Secreto faz temporada na Álvaro Moreyra


Foto: Jéssica Barbosa/Divulgação PMPA
Espetáculo é baseado na obra O Diário de Anne Frank
Espetáculo é baseado na obra O Diário de Anne Frank
Para iniciar os trabalhos em 2018, a Sala Álvaro Moreyra recebe desde sexta-feira, 5, até domingo, 7, a partir das 21h, o espetáculo Anexo Secreto. A peça faz parte da programação do Porto Verão Alegre e tem classificação de 12 anos. Os ingressos custam R$ 40 ou R$ 30 antecipados (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras). Informações sobre os ingressos antecipados no site do Porto Verão Alegre.

O espetáculo é baseado na obra O Diário de Anne Frank, escrito pela jovem judia na tentativa de criar um território seguro dentro de um mundo em guerra. A peça trabalha com a dualidade entre o real e o alegórico, encontrando a poética em uma história na qual marcava tragicamente indivíduos com estrelas amarelas no peito. O mundo acorda em guerra e Anne desperta ânsias adolescentes. Em meio ao pesadelo surge o amor, a sexualidade e a incompreensão de um universo em que a liberdade se torna o sonho mais precioso.

Ficha Técnica
Elenco: Gabriel Fontoura, Leo Bello, Madalenna Leandra, Natália Vargas Xis
Direção: Fernanda Moreno e Juliano Rabello
Dramaturgia: Fernanda Moreno e grupo
Operadora e criação de Luz: Bruna Immich
Operador e criação de trilha sonora: Ismael Goulart e Estêvão Trindade
Cenografia: Lilian Nunes da Silva
Produção: Gabriel Fontoura e Raiar Produções
Assessoria de Imprensa: Gustavo Saul
Orientação: Gisela Habeyche
Arte gráfica e fotografia: Jéssica Barbosa
Apoio: Complexo Criativo Cômica Cultural

O Anexo Secreto
Onde: Sala Álvaro Moreyra
Datas: 5, 6 e 7 de janeiro; sexta, sábado e domingo, às 21h
Entrada: R$ 40 ou R$ 30 antecipado (desconto para estudantes, idosos, clube ZH e Banricompras)
Duração: 90 minutos
Classificação: 12 anos
site do Porto Verão Alegre.

Serviços integrados contemplam 45 praças nesta semana


Foto: Brayan Martins/ PMPA
Previsão é de que sejam atendidos 200 locais por mês
Previsão é de que sejam atendidos 200 locais por mês
Dar transparência às ações da prefeitura, para que a população e a imprensa auxiliem na fiscalização do que é feito, é o principal objetivo da programação de praças. Por isso, a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SMSUrb) divulga semanalmente a previsão de atendimentos em diversos locais da cidade, contemplando serviços integrados de limpeza, além de manutenção de iluminação pública e de redes pluviais.

De 1º a 6 de janeiro, estão programados serviços em 45 praças localizadas em bairros como Camaquã, Campo Novo, Cavalhada, Espírito Santo, Glória, Hípica, Ipanema, Jardim Leopoldina, Jardim Isabel, Lomba do Pinheiro, Nonoai, Parque Santa Fé, Partenon, Petrópolis, Restinga Velha, Santana, Sarandi, Santa Rosa, Santo Antonio, Tristeza, Vila Ipiranga e Vila Nova. A SMSUrb aponta, no entanto, que a programação pode sofrer alterações devido às condições climáticas.

Os serviços compreendem limpeza geral, capina e roçada, pelo Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU), manutenção de lâmpadas e posteamento de luz, pela Divisão de Iluminação Pública (DIP), e manutenção e conservação de redes pluviais.

Serviço - Porto Alegre possui mais de 600 praças e a previsão é de que sejam atendidos 200 locais por mês. Neste caso, os serviços devem ocorrer a cada três meses, de segunda-feira a sábado até o meio dia. O DMLU é o responsável pela manutenção das praças desde outubro de 2016, e a limpeza é feita por contrato de equipes que realizam a manutenção rotativa dos locais. Os oito parques do município têm equipes próprias de serviços, mantidas pela Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Smams).