sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Paim destaca avanços no combate à fome Da Redaçã


Em pronunciamento nesta sexta-feira (16), Dia Mundial da Alimentação e véspera do Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, o senador Paulo Paim (PT-RS) destacou os avanços do Brasil e do mundo no combate à fome e a miséria e defendeu a manutenção de programas de transferência de renda como o Bolsa Família.
Segundo relatório de 2015 publicado pela Organização das Nações Unidas (ONU), a extrema pobreza teria recuado significativamente nas últimas duas décadas. Em 1990, quase metade da população dos países em desenvolvimento vivia com menos de US$ 1,25 por dia, enquanto que, em 2015, essa proporção teria caído para 14%, informou Paim.
No mesmo período, acrescentou o senador, o número de pessoas vivendo em extrema pobreza teria recuado de 1,9 bilhão para 866 milhões. Entretanto, a própria ONU reconhece, segundo o parlamentar, que não se pode desconsiderar o fato de que, para quase um bilhão de pessoas, a situação permaneceu inalterada.
— De fato, os dados divulgados pela ONU revelam que, a cada oito indivíduos, pelo menos um não tem acesso regular a quantidades suficientes de alimento para suprir suas necessidades diárias. Além disso, mais de 100 milhões de crianças continuam em estado de desnutrição, enquanto 165 milhões são raquíticas — observou.
No Brasil, a pobreza extrema foi reduzida a um sétimo do que significava em 1990, destacou Paim.
— Segundo Alan Bojanic, representante da FAO [órgão da ONU para a Agricultura e a Alimenação] no Brasil, o Bolsa Família e o Brasil Sem Miséria são as principais políticas responsáveis por essa conquista. Outro estudioso, além de referendar essas duas questões, reafirma de novo a importância do salário mínimo — assinalou Paim.
Agência Senado

Nenhum comentário:

Postar um comentário