quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Aberta a I Semana de Informação e Conscientização sobre TDAH em Londrina



Objetivo é ampliar o alcance das informações e promover a conscientização para pais, familiares, professores e profissionais da saúde
Teve início,na tarde desta terça-feira (2), a 1ª Semana Municipal de Informação e Conscientização sobre Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) e outros transtornos. Até sexta-feira (5), a rede municipal de serviços de educação, saúde e assistência social irá atuar, de forma integrada, no desenvolvimento de ações informativas com a intenção de conscientizar pais, familiares, professores, psicólogos, profissionais da saúde e a população em geral sobre o TDAH e outros  transtornos neuropsiquiátricos que atingem crianças, adolescentes e adultos.

Durante a solenidade de abertura, realizada na Câmara Municipal de Londrina, o secretário municipal de Saúde, Gilberto Martin, destacou a realização da primeira edição da Semana como uma iniciativa fundamental para que a sociedade possa discutir com mais atenção questões importantes sobre este transtorno, que afeta um número considerável de pessoas. “Quando não são identificadas corretamente as características destes transtornos e não é feito um diagnóstico adequado, existe um grande risco de a criança crescer com dificuldades e até mesmo ser incapacitada de ter um convívio saudável na escola e com a família. Por isso, o primeiro passo é fortalecer a conscientização e ampliar o acesso às informações”, frisou.

De acordo com Cristiane Sola, uma das coordenadoras da Semana e gerente da Educação Especial da Secretaria Municipal de Educação, se não houver tratamento adequado por parte da escola, da família e de psicólogos não haverá mudança no comportamento por parte da criança que sofre de TDAH. Os pais precisam conversar e orientar seus filhos, estabelecer regras e limites claros, sem esquecer de que é importante reforçar as qualidades da criança e não somente suas dificuldades. 

“Os professores precisam perceber o comportamento dos alunos, sabendo como identificar, por exemplo, as diferenças entre fatores como a indisciplina e a falta de limites com a situação do TDAH. A medicação é uma das alternativas existentes, mas não a solução mágica para o problema. É importante divulgar informações como as características do transtorno, assim como os cuidados e tratamentos existentes”, completou.

A abertura da 1ª Semana ainda contou com uma apresentação técnica sobre o tema feita pelo Dr. Marcio Donegá, médico pediatra da Rede Municipal de Saúde de Londrina. Também participou da solenidade o vereador Amauri Cardoso.

Atividades – Durante a 1ª Semana Municipal de Informação e Conscientização sobre TDAH e outros transtornos, as escolas farão palestras com pais, professores e comunidade em geral, além de publicarem cartazes e painéis informativos e desenvolverem atividades pedagógicas e decoração com balões laranjados, simbolizando a cor do TDAH. 

As Unidades Básicas de Saúde, o CAPS Infantil, Políclinica e os serviços de atendimento de saúde mental como um todo estarão integrados com as ações coordenadas pelos psicólogos do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), assim como também o farão os serviços da assistência social através dos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS). Além disso, serão realizadas palestras para os professores da rede municipal de ensino, para servidores municipais, estudantes de psicologia e de pedagogia e interessados pelo assunto.

A  I Semana Municipal de Informação e Conscientização sobre Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) e outros transtornos neuropsiquiátricos foi instituída através da Lei Municipal n° 12.398/2016. Ela conta com o apoio do Sindserv e realização da Prefeitura de Londrina em conjunto com o Movimento Criança na Rede.

O TDAH – Estudos apontam que o TDAH afeta de 4%  a 9% das crianças em idade escolar e em torno de 4% dos adultos. As principais características do TDAH são a impulsividade, a desatenção e a hiperatividade, que resultam na dificuldade de relacionamento com a família e com outras crianças e professores no ambiente escolar. As causas do transtorno podem ter origem a partir de fatores genéticos e neuroquímicos, complicações da gravidez e, ainda, fatores socioculturais.
Na rede municipal de educação de Londrina existem 305 estudantes diagnosticados com TDAH. Todos têm acompanhamento multiprofissional e usufruem das salas de recursos multifuncionais. Ao todo, são 39 salas disponíveis e 54 professores com formação especial para atendê-los.

Programação

Quarta-feira (3), às 19 horas, Cleide Vitor ministrará uma palestra para os servidores municipais da Secretaria de Educação, no auditório do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Valéria Veronesi (Rua Benjamin Constant, 800, Centro). 

Quinta-feira (4), às 9 horas, palestra sobre “TDAH e seus desafios” com Dr. Aparecido Andrade e Dr. Walter Marcondes, no auditório da Unopar Piza (Rua Marselha, 183, Parque Res. João Piza).

Às 19 horas, será realizada uma palestra com Jaqueline Bonifácio para os servidores municipais da Secretaria de Educação, no auditório do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Valéria Veronesi (Rua Benjamin Constant, 800, Centro).

Sexta-feira (5), às 19 horas, haverá uma mesa redonda para debater a “Medicalização na Infância: desafios e responsabilidades” com os médicos Dr. Clay Brites, Rosa M. J. Scicchitano, Dra. Vera Dolens, Dra. Amanda Angêlica e Dr. Fernando Zanlucchi, no auditório da Unopar Piza (Rua Marselha, 183, Parque Res. João Piza). Para participar é preciso se inscrever pelo sistema AVA/PML, mencionado acima. São 120 vagas

Nenhum comentário:

Postar um comentário