domingo, 7 de agosto de 2016

Melhorias realizadas pelo Estado para os Jogos Olímpicos são elogiadas por atletas e público

Palco das provas de remo durante os Jogos Olímpicos, o Estádio de Remo da Lagoa recebeu suas primeiras competições neste sábado (6/8). As obras e melhorias realizadas pelo Governo do Estado para adequar o local aos padrões olímpicos foram elogiadas por atletas e torcedores, que lotaram as arquibancadas instaladas ao redor de um dos principais cartões-postais da cidade.


Vinte e oito baterias – das modalidades Single skiff masculino e feminino, Dois sem masculino, Double Skiff masculino e feminino, Quatro sem peso leve masculino e o Four Skiff masculino e feminino – foram disputadas por mais de 200 atletas na raia olímpica. Para as competições de remo, o local receberá até o dia 13 de agosto 547 atletas de 69 países.


Sede também das provas de canoagem de velocidade a partir do próximo dia 15, o Estádio de Remo recebeu um projeto de adequação em três fases: construção da uma nova torre de chegada e reforma das garagens para os barcos; implantação de infraestrutura para raias e torres de cronometragem; e aquisição de estruturas flutuantes para treinamentos e competições.

– A estrutura montada para receber as equipes de remo é ótima, e isso ajuda muito na hora das baterias – disse Nicolas Pratt, da equipe do Canadá, que conquistou o quinto lugar na categoria Quatro sem peso leve masculino.

Praticante de remo, o servidor público Márcio Balthar acompanhou, ao lado da gerente de Marketing Elaine Rocha, os primeiros dias da modalidade nos Jogos Olímpicos.

– A infraestutura está beirando a perfeição, tanto para torcedores quanto para os competidores. Tudo está muito bonito. Estamos animados com a Olimpíada – disse Márcio.

Legado olímpico

A torre de chegada é de vidro e tem quatro andares no modo competição: os dois primeiros, de legado permanente, para atender eventos de menor porte; e os dois últimos, que podem ser adicionados como estrutura temporária, para competições maiores.

Nove garagens de barco foram adequadas aos conceitos de acessibilidade. Para garantir a perfeita fixação das raias de competição e cronometragem, foram implantados 98 suportes metálicos submersos, três metros abaixo do espelho d’água da Lagoa.

O estádio ganhou ainda equipamentos flutuantes, como o partidor de largada e os pontões para atletas e cerimônias, que também ficarão como legado para a cidade, permanecendo na Lagoa para uso diário dos atletas.

– O remo e a canoagem ganham um legado considerável: as raias albano, que são de alta precisão, os decks de partida e as novas garagens para guardar as embarcações – ressaltou o secretário da Casa Civil, Leonardo Espíndola.

Público opta pelo transporte público

Para chegar ao Estádio de Remo, o público pôde usar o Acesso Lagoa, nova saída da Estação General Osório, em Ipanema. A obra de expansão da Linha 1 do Metrô incluiu a construção de três novas plataformas de embarque e desembarque de passageiros e a abertura de um túnel em rocha, ligando Ipanema à Lagoa por dentro do maciço do Cantagalo.

O Acesso Lagoa tem dois elevadores, três esteiras rolantes em cada sentido, duas escadas rolantes e duas fixas para garantir a acessibilidade a todos. A General Osório atende ainda aos passageiros que chegam das linhas 1 (Tijuca – Ipanema) e 4 (Barra da Tijuca – Ipanema), que já circulam no terminal, e está apta também a receber os trens da Linha 2 (Pavuna – Botafogo).

Segurança reforçada

Para garantir a segurança dos torcedores e atletas, um esquema especial foi montado no entorno dos locais de competição. A chamada Zona de Copacabana, que inclui a área da Lagoa Rodrigo de Freitas, recebeu reforço das Forças de Segurança e de Defesa. Além de agentes, a Polícia Militar conta com aeróstatos, balões que ficam a cerca de um quilômetro de altura e possui um sistema de geração e transmissão de imagens em tempo real e em alta definição para as estruturas que compõem o Sistema Integrado de Comando e Controle (SICC), localizado no CICC (Centro Integrado de Comando e Controle). Na região, o equipamento fica no Jockey Club Brasileiro. Os outros dois estão instalados na Quinta da Boa Vista e no Riocentro. Em toda a cidade, a Polícia Militar conta com mais de 13,9 mil agentes e 3.029 viaturas no patrulhamento diário durante os Jogos.

Já a Polícia Civil, que distribuiu mais de 5,6 mil agentes em toda a cidade, reforçou o efetivo nas delegacias do entorno: 9ª (Catete), 10ª (Botafogo), 12ª (Copacabana), 13ª (Copacabana-Ipanema), 14ª (Leblon) e 15ª (Gávea) DPs. Os bombeiros também estiveram de prontidão no local. Além do policiamento na cidade, o Centro Integrado de Comando e Controle monitora, em tempo real, os locais de competição.

As Forças Armadas atuam com cerca de 22 mil militares em toda a cidade. Do total, 5.847 estão na região de Copacabana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário