sábado, 16 de janeiro de 2016

Hume desvenda a alma inglesa em obra histórica


Um dos maiores e mais influentes filósofos britânicos, Hume articula fatos e tramas da história inglesa, analisando profundamente seus atores, valores e instituições
É certamente curioso para o leitor de hoje saber que o grande êxito editorial que assegurou a fama e a segurança financeira ao filósofo David Hume foi sua História da Inglaterra, cuja primeira edição em português é agora lançada pela Editora Unesp. Tal sucesso entre os contemporâneos deve-se em parte ao contexto político do século XVIII, mas cabe destacar também seu talento como historiador e uma dedicação que o levou à leitura de farta documentação, entre tratados, atas, convenções e leis, e de obras consagradas, de autores clássicos, como Tácito, e modernos, como Robert Brady. Isso sem contar seus méritos literários que adicionam prazer à leitura e o fato de que se trata de uma obra que igualmente merece ser estudada como um trabalho de filosofia.
Com o intuito de se tornar o “primeiro grande historiador a escrever em língua inglesa”, Hume oferece descrições detalhadas e observações perspicazes dos eventos, assim como Montesquieu, Voltaire, Gibbon, Ferguson e Robertson, mas sua busca é por leis gerais enraizadas em princípios da natureza humana. Aplicando seu ceticismo moderado ao estudo da história, explicita as causas que tornaram a Inglaterra a maior nação do século XVII ao lado da França, articulando, desde a filosofia, tramas e os conflitos entre autoridade e liberdade, desde a conquista da ilha por César até a revolução de 1688.
O trabalho original de Hume foi publicado em seis volumes durante os anos de 1754 e 1761. Deste trabalho monumental, o filósofo Pedro Paulo Pimenta selecionou textos capitais que oferecem a visão panorâmica sobre o desenvolvimento político e social da Inglaterra, além de fornecer valiosos elementos para a compreensão de seu pensamento moral e político. Material que permite não somente acompanhar o processo de formação histórica da Inglaterra, mas também entender como este contexto específico moldou a natureza humana, gerando costumes, manifestações científicas e artísticas e uma economia específicas.
Sobre o autor – David Hume (1711-1776) foi um filósofo escocês da maior importância para o iluminismo. Considerado um dos três maiores empiristas britânicos, juntamente com John Locke e George Berkel. De Hume, a Editora Unesp publicou ainda: Tratado da natureza humana, Investigações sobre o entendimento humano e História natural da religião.
Sobre o organizador/tradutor - Pedro Paulo Pimenta é graduado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (1994), mestre (1997) e doutor (2002) pela mesma instituição, onde leciona desde 2005. Dedica-se a estudos na área de Filosofia Moderna, com especial ênfase em autores do Século XVIII. É organizador, junto com Maria das Graças de Souza, dos cinco volumes da Enciclopédia, de Diderot e d'Alembert.
Título: História da Inglaterra:  Da invasão de Júlio César à Revolução de 1688Autor: David Hume
Seleção, tradução, apresentação e notas: Pedro Paulo Pimenta
Número de páginas: 469
Formato: 14 x 21 cm
Preço: R$ 78,00
ISBN: 978-85-393-0586-5
Mais informações sobre os livros publicados pela Editora Unesp estão disponíveis no site: www.editoraunesp.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário