terça-feira, 7 de julho de 2015

Lúpus foi tema de encontro em Londrina

 

Combater o preconceito e agilizar o diagnóstico na rede de saúde estiveram entre os objetivos do encontro que reuniu cerca de 100 pessoas

A fim de desmistificar o Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES), doença inflamatória crônica, que afeta o sistema imunológico, porém não contagiosa, a Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, realizou, no último sábado (4), em Londrina, o 1º Encontro Regional para a Conscientização sobre o Lúpus, com a participação de diversos médicos especialistas da cidade, que ministraram palestras sobre o tema. Londrina é a primeira cidade do Brasil a colocar o “Dia Mundial de Atenção aos Doentes de Lúpus”, celebrado no dia 10 de maio, no calendário oficial do Município.

A secretaria estima que aproximadamente 100 pessoas estiveram presentes, incluindo diversos pacientes lúpicos em tratamento. Outros profissionais da saúde e a comunidade em geral também participaram do debate, que teve como foco combater o preconceito, agilizar o diagnóstico na rede de saúde, além de disseminar outras informações sobre a doença.  “As palestras com os médicos especialistas foram muito proveitosas e esclareceram muitas dúvidas sobre o diagnóstico e o tratamento da doença”, disse a secretária municipal de Política para as Mulheres, Sônia Medeiros.

A secretária ressaltou que o retorno do encontro foi muito positivo e que a intenção é continuar dando suporte aos pacientes lúpicos do município. “Nossa intenção é promovermos outras mobilizações, para debater e conscientizar sobre a doença”, disse.

Entre os presentes estiveram a diretora da 17ª Regional de Saúde, Teresinha Sanches, que representou o secretário de Saúde do Estado do Paraná, Michele Caputo Neto; os vereadores professor Fabinho (presidente da Câmara Municipal de Londrina), Elza Correia, Lenir de Assis e Sandra Graça; o presidente da Associação Médica de Londrina (AML), Antônio Caetano de Paula; o presidente da Sociedade Paranaense de Reumatologia, Marco Antonio da Rocha Loures e a presidente da Associação É Hora de Viver de Londrina, Sandra de Souza.

A realização foi da Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná; Sociedade Paranaense de Reumatologia e Associação É Hora de Viver, com apoio da  Câmara Municipal de Londrina; Sindicato dos Bancários de Londrina e Região e Sindicato Nacional dos Aposentados.

Texto: Dayane Albuquerque

Nenhum comentário:

Postar um comentário