sábado, 4 de julho de 2015

Abordagem a moradores de rua é intensificada
 
Nos primeiros cinco meses deste ano, serviço já atingiu 41% dos números de 2014

foto/divulgação: Petra Mafalda / PMF

Morador de rua é abordado na praça XV

Abrigo, alimento, família e cidadania é o que o Serviço Abordagem Social quer devolver às pessoas em situação de rua, em Florianópolis. Em busca deste objetivo, o primeiro semestre de 2015 foi marcado por intenso trabalho na Secretaria de Assistência Social. Um relatório mostrou que o número de abordagens de rua até maio deste ano já chegou a quase 41% em relação aos números do ano passado. Sendo que em 2014 foram feitas 946 abordagens e neste ano, em apenas cinco meses, 389.

A assistente social e coordenadora do programa de abordagem de rua, Irma Remor Silva, avaliou que este aumento está relacionado às novas estratégias de atendimento e ao aumento do número de efetivos. “Atualmente, temos abordagens sociais de segunda a sexta-feira, no período matutino e vespertino. Quatro pessoas saem em cada turno fazendo uma busca ativa de pessoas em situação de rua que querem ser encaminhadas para os serviços sociais”, disse.

Em conjunto com a Secretaria do Continente, abordagens de rua também estão sendo realizadas semanalmente na parte continental da cidade. Com roteiro definido pelas secretarias, as equipes saem a campo em busca de resgatar pessoas que estão em situação de vulnerabilidade social. Os locais escolhidos pelos moradores de rua são quase sempre os mesmos: praças, viadutos, passarelas e casas abandonadas.

A assistente social salientou também que a Operação Verão, que aconteceu de janeiro a março deste ano, foi uma importante ação na cidade. “A equipe da Assistência Social montou uma base em Canasvieiras para atender ao Norte da Ilha. Psicólogos, educadores e assistentes sociais prestaram atendimentos aos moradores de rua três vezes por semana e realizaram diversos encaminhamentos para os serviços sociais e de saúde.”

Encaminhamentos


Em relação ao ano passado, o número de encaminhamentos de pessoas em situação de rua para os serviços da Assistência Social já chegaram a 97%. No ano passado, 170 pessoas foram encaminhadas. Até maio deste ano, mais de 165 já haviam recebido atendimentos social, psicológico e de saúde.

Em agosto deste ano, o primeiro Albergue Municipal de Florianópolis completa um ano de funcionamento e, em abril, o local atingiu a marca histórica de 1 mil atendimentos. No Centro, o Albergue Municipal possui uma estrutura para receber 50 pessoas por dia, sendo 44 vagas para homens e seis para mulheres, com direito a leito, alimentação e higiene. Nem todos os leitos são ocupados e ainda existem vagas para mais moradores de rua. Junto ao Albergue, existe a Casa de Acolhimento, que oferece mais 30 vagas.

No total, a Secretaria Municipal de Assistência Social oferece mais de 150 vagas de atendimento em albergues e casas de apoio ao redor da cidade. Homens e mulheres são atendidos e ganham uma nova oportunidade de vida, buscando a ressocialização.

“A pessoa que está em situação de rua vive o pior momento da sua vida, é o fundo do poço. Esta situação ocorre, geralmente, pelo uso de drogas, conflitos familiares, desemprego e transtornos psiquiátricos. No entanto, temos de considerar que estas pessoas são dotadas de capacidades, são autores e atores da sua própria história, por isso oferecemos este apoio pois acreditamos em uma verdadeira mudança de vida”, afirmou Irma.

Para entrar em contato com a equipe da Abordagem Social, ou solicitar encaminhamento, basta ligar para os telefones 0800 643 1407, 9957-2147 ou 3223-0824.

Nenhum comentário:

Postar um comentário