sábado, 26 de setembro de 2015

Operação Monte Santo evita fraudes na Previdência no Paraná


Curitiba/PR – A Polícia Federal, em atuação conjunta com o Ministério da Previdência Social, deflagrou hoje (23/9) a Operação Monte Santo, para apurar esquema de fraudes em cerca de 280 benefícios de aposentadorias por idade e pensão de morte, na condição de trabalhadores rurais. Os prejuízos apurados já chegam a R$ 2,4 milhões, podendo alcançar R$ 14,4 milhões, com a totalidade dos benefícios identificados. Com a deflagração da operação, a Previdência Social poderá evitar pagamentos de benefícios futuros indevidos de cerca de R$ 4 milhões.
Policiais federais deram cumprimento a um mandado de busca e apreensão e a 18 conduções coercitivas. As medidas cautelares concedidas pela Justiça Federal foram cumpridas nos municípios paranaenses de Loanda, Santa Cruz de Monte Castelo, Paranavaí, Porto Rico e Nova Esperança.
Investigações apontaram que os benefícios contendo os indícios de fraudes foram requeridos por meio de Sindicado de Trabalhadores Rurais (STR), responsável pela emissão de Declarações de Atividades Rurais. Nessas declarações foram encontradas informações ideologicamente falsas, em face de não localização de registro de propriedades rurais em nome do suposto empregador rurícola, falta de documentos comprobatórios da atividade rural, além de vínculos urbanos concomitantes com o suposto tempo de serviço alegados.
Os indiciados poderão responder pelos crimes de estelionato qualificado, associação criminosa, com o aumento de pena devido ao crime continuado, além de terem que restituir ao erário o montante recebido indevidamente.
O nome da operação Monte Castelo é uma alusão ao município de abrangência do STR.

Nenhum comentário:

Postar um comentário