domingo, 28 de junho de 2015

Governo do Estado entrega kits de telediagnóstico em dermatologia para 10 municípios da região de Criciúma

O secretário de Estado da Saúde, João Paulo Kleinübing, entregou, na manhã desta quarta-feira, 24, kits para diagnóstico em dermatologia para 10 municípios da Regional de Saúde de Criciúma, no Sul do Estado. A cerimônia de entrega foi realizada na sede da Associação Empresarial (Acic). “Com esse aparelho, por meio da internet, os municípios conseguirão fazer uma triagem de casos antes de encaminhar as situações para os especialistas”, destacou Kleinübing.


Foto: Antonio Rozeng / ACIC

Foram contemplados os municípios de Balneário Rincão, Içara, Morro da Fumaça, Cocal do Sul, Urussanga, Siderópolis, Treviso, Lauro Muller, Forquilhinha e Nova Veneza. Criciúma e Orleans já haviam recebidos os equipamentos na etapa anterior do programa de Telediagnóstico. Todos os municípios da região agora têm o kit com máquina fotográfica, dermatoscópio e adaptador.
Em quase 10 anos de serviço, a triagem dos encaminhamentos por atendimento em dermatologia pela Telemedicina da Secretaria de Estado da Saúde, tem diminuído a fila em aproximadamente 65%. De acordo com a coordenadora do serviço, Carla Pulga, a ferramenta permite que o médico da unidade de saúde onde o paciente é atendido acesse o laudo do exame pela internet. “Dessa forma, é possível analisar o caso podendo resolvê-lo, em alguns casos, na própria unidade. Isso significa menos tempo de espera e maior eficiência no atendimento”, explica Carla Pulga.
A meta de implantação do Governo do Estado é alcançar a cobertura de pelo menos um ponto de envio de exames por município. "Doenças como o câncer de pele poderão ser identificadas ainda nas unidades de saúde, e tratadas mais rapidamente. Assim, a qualidade de vida das pessoas aumenta, ao contrário das filas de espera, que diminuem”, argumenta a gerente Regional de Saúde, Lisiane Tuon.
O telediagnóstico em dermatologia é uma ferramenta que tem comprovada eficiência e eficácia para qualificação de encaminhamentos ao atendimento especializado em saúde. Os kits contam com uma máquina fotográfica, um dermatoscópio e um adaptador. Além disso, o Estado disponibiliza o Sistema de Telemedicina e Telessaude (STT), ferramenta web pelo qual a rede de telediagnóstico se viabiliza.
O telediagnóstico é composto de três etapas: solicitação do exame, execução e laudo. A unidade básica faz a solicitação e a execução dos exames. Estes são disponibilizados por meio do STT ao especialista que, no caso da teledermatologia, emite o laudo, a conduta clínica e a classificação de risco. Com isso, a atenção básica tem meios para identificar a real necessidade do paciente por atendimento especializado. Se for necessário, irá ser inserido para agendamento, via regulação com a devida identificação da classificação de risco.
A telemedicina, em quase 10 anos de serviço, tem em sua base mais de 4 milhões de exames, sendo 8.052 laudos em dermato. Esta triagem dos encaminhamentos por atendimento em dermatologia pela Telemedicina tem diminuído a fila em aproximadamente 65%. Isto significa menos tempo de espera e maior resolutividade da unidade básica.
Logo, a qualificação do encaminhamento é o impacto mais importante deste serviço ao agir diretamente num grande problema da assistência em saúde: o encaminhamento indevido.
Segundo o dermatologista responsável pele implantação da Teledermatologia, Daniel Holthausen Nunes, quanto mais fiel ao protocolo de aquisição das fotos, maior a probabilidade dos especialistas darem o diagnóstico correto. Outro benefício é a diminuição de custos de viagens, pois o paciente pode ser encaminhado já com os exames necessários para iniciar o tratamento específico, diminuindo a necessidade da visita inicial e do retorno.
No âmbito do SUS, este processo tem a função de dar suporte ao médico assistente do paciente, deixando o especialista como um consultor nos casos específicos, mas mantendo o paciente sob tutela do seu médico de origem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário