sábado, 27 de junho de 2015

Em Parintins, Governo do Amazonas e Ministério da Cultura realizam encontro com movimento Negro, Indígena e Povos de Matrizes Africanas

FOTO - ROBERTO CARLOS / SECOM
FOTO - ROBERTO CARLOS / SECOM
O Governo do Amazonas e o Ministério da Cultura (MinC) promoveram na tarde desta sexta-feira, 26 de junho, em Parintins (a 369 quilômetros de Manaus), a 1a edição do “Encontro Afro Ameríndio”. A reunião teve o objetivo de apresentar as propostas dos Governos Federal e Estadual para a implantação de políticas públicas culturais para as comunidades indígenas e negra da região do Baixo Amazonas, que engloba os municípios de Parintins, Barreirinha, Nhamundá e Maués.
 O encontro ocorreu no auditório do Amazon River Resort Hotel, localizado no bairro Santa Rita de Cássia, e contou com a presença da presidente da Fundação Cultural Palmares, Cida Abreu, e da titular da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) do Governo do Amazonas, Graça Prola. A reunião serviu para que os representantes de cada grupo expusesse as demandas e necessidades de suas localidades onde vivem e desenvolvem suas expressões culturais.
 Conforme a secretaria da Sejusc, Graça Prola, o Governo do Amazonas já vem mantendo o diálogo com as populações do movimento negro, indígena e os povos de terreiro de matrizes africanas. Durante a reunião, a secretária destacou as ações que estão sendo realizadas e as que serão implementadas.
“Estamos trabalhando a implantação do Conselho Estadual de Igualdade Racial que vai englobar todas as demandas dos grupos, bem com o projeto de lei na Casa Civil sobre o Estatuto da Igualdade Racial em nível Estadual. Em Julho, vamos implantar a gerência da Igualdade Racial para dar prioridade às necessidades que precisam de mais atenção”, explicou.
 Acesso aos editais - O encontro foi o primeiro contato do Ministério da Cultura na região. Segundo a presidente da Fundação Cultural Palmares, Cida Abreu, a proposta é construir um diálogo com os produtores culturais e grupos afro ameríndios da Amazônia para facilitar o acesso aos editais de investimento cultural do Governo Federal.
 “Em todos os editais que iremos fazer, vamos incluir a região norte e fazer uma ampla divulgação na região para que todos estejam cientes e tenham acesso a esses editais para que possam produzir a cultura com os recursos federais e terem acesso ao Fundo de Cultura e participação em conferências nacionais, estaduais e municipais de cultura”, assegurou Cida Abreu.
 Melhorias - O presidente da Federação das Organizações Indígenas do Baixo Amazonas (Akang), Aldamir Sateré, destacou que o encontrou reacendeu a esperança de melhorias da qualidade de vida das famílias pertencentes a 30 associações indígenas no Baixo Amazonas.
 “Temos muitas necessidades na área social e necessidades em nossas comunidade referentes às questões da nossa cidadania. Esse foi um momento que aproveitamos para expor nossos questionamentos e a realidade que vivenciamos. Temos que ter esse diálogo sempre”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário