sexta-feira, 22 de abril de 2016

Associação Brasileira de Psiquiatria lança o "Mês Nacional de Combate a Psicofobia"




A campanha pretende conscientizar as pessoas  sobre as doenças mentais, tanto para que não tenham receio de procurar ajuda médica, quanto para diminuir os estigmas sofridos por quem convive com a doença.

A Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) lançou o "Mês Nacional de Combate a Psicofobia". A campanha foi criada para conscientizar as pessoas sobre as doenças psiquiatrias, com o intuito de diminuir os estigmas sofridos pelos pacientes e familiares que convivem de perto com essas doenças. A Associação Catarinense de Psiquiatria apoia essa campanha, que casa com sua principal missão: melhorar a qualidade de vida dos pacientes.
Doenças psiquiátricas são mais comuns do que se imagina, mas elas não definem o que a pessoa é. Durante o Mês Nacional de Enfrentamento à Psicofobia, vamos mostrar a importância da autovalorização da pessoa que tem ou teve algum tipo de transtorno mental e reforçar que atitudes discriminatórias são inaceitáveis. Combater o preconceito e contribuir para uma sociedade mais justa é missão de todos nós.
Em fevereiro deste ano, o Senado aprovou a criação do “Dia Nacional de Enfrentamento à Psicofobia”, a data escolhida foi o dia 12 de abril. Entre as dez maiores causas de afastamento do trabalho em todo o mundo, cinco são transtornos mentais, como depressão e ansiedade, de acordo com a Associação Brasileira de Psiquiatria. No entanto, o preconceito e a falta de informação dificultam o diagnóstico, pois as pessoas evitam procurar tratamento porque temem o estigma de doente mental.
O Presidente da ACP, médico psiquiatra Eduardo Mylius Pimentel, destaque os principais desafio da entidade: “Estamos comprometidos em conscientizar o público comum sobre as enfermidades mentais, com o intuito de diminuir os estigmas que esses pacientes sofrem. Diminuindo o preconceito, podemos fazer com que outras pessoas também procurem ajuda médica. Um diagnóstico precoce é essencial para um bom desempenho do tratamento.”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário