sábado, 4 de março de 2017

Balanço de Carnaval mostra redução nos índices de violência em 2017


CARNAVAL TRANQUILO
FOTO: VALDO LEÃO/SECOM
FOTO: VALDO LEÃO/SECOM
O Carnaval 2017 foi tranquilo do ponto de vista da segurança pública se comparado a anos anteriores. De acordo com balanço da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP), houve redução em quase todos os indicadores de violência entre a Sexta-feira de Carnaval (24/02) e a madrugada de terça (28) para a Quarta-feira de Cinzas (01). No geral, a redução foi de 18,2%, com destaques para o número de Latrocínios, que caiu 100% não apresentando nenhum caso no período, quando ano passado, foram três crimes dessa natureza; os acidentes com vítima fatal que reduziram 50% (04 ano passado contra 02 este ano) e com vítima lesionada 51% (de 121 para 59).
Os homicídios caíram 7%; os acidentes com vítima lesionada, 51%, Lesão Corporal, 22%; Estupro 55%, Furto, 38% e Roubo 8%. Tiveram aumento a Tentativa de Homicídios (50%) e Violência Doméstica.
Nos principais prontos-socorros da cidade também o movimento foi considerado abaixo da média para o período, a exemplo do Hospital e PS 28 de Agosto, na zona centro-sul que, entre sexta e terça-feira, registrou queda de 50% no número de atendimentos em geral. O diretor da unidade Paulo Mendonça creditou a baixa nos atendimentos às operações de segurança deflagradas na cidade. No caso dos acidentes de trânsito, ele considera que as ações da Lei Seca, realizadas pelo Detran-AM  foram fundamentais. O número de pacientes vitima de acidente de trânsito que deram entrada na unidade caiu de 90, em 2016, para  65 em 2017, enquanto as agressões reduziram de  50 para 32.
No Hospital João Lúcio Pereira Machado, na zona leste, enquanto em 2016, 147 pessoas deram entrada vítimas de acidentes de trânsito, este ano foram apenas 15. O Hospital registrou uma queda de cerca de 40% no número de atendimentos gerais. Também caiu o número de vitimas de agressão física de 108, em 2016 para apenas 06 este ano. Já o número de pacientes feridos por arma branca caiu de 35 para 02 e de arma de fogo, de 16 para 01.
No Pronto Socorro Platão Araújo, também na zona Leste, a única ocorrência de atendimento que teve aumento foi de acidentes de trânsito: de 102, em 2016 para 110 este ano. Caíram as agressões, de 39 para 34, os ferimentos por arma branca, de 19 para 13 e por arma de fogo, de 21 para 14. No Pronto Socorro do Hospital Delphina Aziz, na zona norte, onde os atendimentos no período do Carnaval também foram considerados baixos, foram registrados 5 acidentes de trânsito e um ferimento por arma de fogo.
Polícia Civil reforçou efetivo – A Polícia Civil do Amazonas informou que disponibilizou, no período do Carnaval 2017, efetivo de 1.456 servidores, entre delegados, escrivães, investigadores e agentes administrativos, para participar da Operação Carnaval. Os trabalhos abrangeram fiscalizações nas bandas de rua também, nos desfiles das escolas de samba de Manaus dos Grupos Especial e de Acesso A, B e C, no Centro de Convenções (Samdódromo).
Durante 14 dias do período carnavalesco os policiais civis atuaram em conjunto com servidores que integram o Sistema de Segurança Pública, como Polícia Militar do Estado do Amazonas (PMAM), Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICC – Regional) e Centro Integrado de Comando e Controle – Local (CICC-Local), este último montado no Sambódromo.
Na noite de sábado, dia 25, no período de 19h até meia-noite, o delegado titular da 2ª Seccional Norte, Fernando Bezerra, comandou  os trabalhos na Delegacia Móvel, montada em frente ao prédio da Delegacia Geral, na Avenida Pedro Teixeira. Nesse período foi registrado uma ocorrência de perda de celular. Já na madrugada de domingo o delegado titular da 5ª Seccional Centro-Sul, Virgílio Mendonça, assumiu os trabalhos no local até às 7h. Segundo a autoridade policial, não houve qualquer tipo de registro formalizado na Delegacia Móvel de meia-noite até 7h.
Além da Delegacia Móvel, durante o período do Carnaval, oito Distritos Integrados de Polícia (DIPs), situados nas seis zonas da capital funcionaram como Central de Flagrantes. As delegacias Especializadas em Apuração de Atos Infracionais (Deaai), em Crimes contra a Mulher (DECCM) e em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), que atuam em regime de 24h, receberam reforços no efetivo para atender ocorrências e flagrantes nesse período.

Nenhum comentário:

Postar um comentário