terça-feira, 17 de novembro de 2015

Escolas recebem 1,7 mil tonelada de alimentos da merenda escolar

As 2,5 mil escolas estaduais e conveniadas do Paraná receberam a quarta e última remessa deste ano de alimentos não perecíveis da merenda escolar. São 22 itens como arroz, feijão, biscoitos, leite em pó, chá mate e aveia, por exemplo, que compõem a entrega para cada estabelecimento de ensino. O volume é de 1,7 mil tonelada de alimentos, com investimento de R$ 9,2 milhões.

As entregas começaram em 19 de outubro e terminam nesta sexta-feira (20). Nesta semana é a vez das escolas da região de Guarapuava receberem os alimentos. “Na última remessa de cada ano é calculada uma reserva técnica para o início do próximo ano letivo. O estoque deve ser o suficiente para o atendimento nos primeiros 15 dias de aula, quando já estará em curso a primeira entrega de 2016”, explicou a diretora de Infraestrutura e Logística, Márcia Stolarski.

A Secretaria de Estado da Educação faz três tipos de entregas de merenda para a alimentação escolar. Os produtos não perecíveis, com quatro grandes entregas programadas por ano; os alimentos congelados (carnes e peixes), entregues a cada 15 dias; e os alimentos da agricultura familiar, que chegam às escolas a cada semana.

CARDÁPIO VARIADO – O Programa Estadual de Alimentação Escolar do Paraná determina que a merenda das escolas tenha um cardápio diversificado e que ofereça os nutrientes necessários para os alunos. “Com a variedade de alimentos disponibilizada às escolas pela Secretaria de Estado da Educação, podemos assegurar que nossos alunos terão uma alimentação escolar balanceada, compatível com o desenvolvimento adequado deste período fisiológico”, disse Márcia Stolarski.

CONTROLE – Desde o ano passado, a Secretaria da Educação adota um sistema diferenciado de logística para entrega dos alimentos da merenda. Todos os alimentos que cada escola vai receber já são separados dentro do depósito da Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná (Codapar).

A quantidade certa de alimentos de cada escola é separada e identificada. “Existe uma conferência dentro do depósito do que cabe a cada escola e esse volume é separado, identificado e paletizado (embalado). É fundamental que todas as escolas tenham um profissional que faça a conferência no momento em que os alimentos chegam”, explicou Márcia Stolarski.

Com esse novo modelo de separação a entrega da merenda ficou muito mais ágil. “Primeiro, evitamos erros de quantidade e de marcas e, também, como garantimos uma maior qualidade das embalagens, que estarão sempre íntegras no momento em que chegam às escolas. Isso foi um grande avanço para alimentação escolar em todo o Estado”, definiu Márcia.

monitoramento nutricional dos alunos, na logística de distribuição adotada, na diversidade e qualidade dos gêneros utilizados, entre outros.

MAIS QUALIDADE – Somente em 2015, o Governo do Paraná investe R$ 150 milhões na compra de produtos não perecíveis para a merenda escolar, como arroz, feijão, macarrão e açúcar. Além disso, mais R$ 45 milhões foram destinados somente para compra de alimentos de pequenos produtores. Desde 2011 até agora, o Governo do Paraná já investiu R$ 462 milhões na compra de alimentos para as escolas.

A merenda escolar passou por uma grande transformação nos últimos anos com a aquisição de produtos da agricultura familiar. Uma vez por semana as escolas da rede estadual, Apaes e unidades conveniadas recebem frutas, verduras, hortaliças, panificados, polpas de frutas, sucos e geleias direto do produtor.

Desde 2011, a quantidade de alimentos da agricultura familiar na merenda subiu de 1.885 toneladas para 12.477 toneladas. O volume dos alimentos orgânicos também aumentou de nove toneladas para 2.537 toneladas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário