quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Ferraço declara apoio a rejeição de contas do governo Dilma pelo TCU

Da Redação
O senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) manifestou em Plenário, nesta quinta-feira (8), seu apoio à decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) de rejeitar as contas de 2014 do governo Dilma Rousseff. As irregularidades atribuídas ao atual governo chegam a R$ 106 bilhões, segundo assinalou Ferraço, e seriam lideradas pelo movimento de tomar empréstimos em bancos e fundos públicos para cobrir compromissos orçamentários.
- O debate chegará ao Congresso Nacional e eu estarei exercendo meu voto favorável à manutenção da forma como concluiu o TCU (rejeição das contas do governo Dilma), para que isso possa servir de exemplo, de paradigma – declarou Ferraço.

Responsabilidade fiscal

Na avaliação do senador, a rejeição do TCU às contas do atual governo projeta o órgão “como grande guardião da Lei de Responsabilidade Fiscal” (LRF).
- Quando um governo se desorganiza, tem a capacidade de desorganizar a vida das pessoas e produz crise, que produz desemprego, redução do PIB (Produto Interno Bruto) e das receitas de estados e municípios. O governo Dilma afrontou a Lei de Responsabilidade Fiscal ao omitir passivos, se endividar junto a bancos públicos e deixar de seguir o ritual de metas contidas na LRF. – comentou Ferraço.
Ainda sobre o episódio, o senador acredita que “o TCU fez história porque exerceu os poderes constitucionais que tem e fortaleceu a LRF.”. Após ressaltar o funcionamento das instituições brasileiras em plenitude de prerrogativas, Ferraço também elogiou a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de abrir ação para apurar eventuais irregularidades nos gastos de campanha da presidente Dilma em 2014.
Agência Senado

Nenhum comentário:

Postar um comentário