sábado, 19 de setembro de 2015

Aeroporto de Londrina é liberado para decolagens sem teto requerido

Medida permitida pela Infraero deverá resolver cerca de 80% dos problemas relacionados à decolagem

O aeroporto de Londrina, Governador José Richa, está liberado para decolagens sem teto requerido. O comunicado foi feito ontem, quinta-feira (17), pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) à Prefeitura de Londrina. A decisão partiu do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta), cujo pedido havia sido feito pela Infraero há mais de 4 anos.

Com isso, segundo o presidente da Companhia de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Bruno Veronesi, cerca de 80% dos problema relacionados à decolagem e 50% dos problemas de cancelamentos e atrasos decorrentes de nebulosidade serão resolvidos.

“Até então, para se autorizar uma decolagem era necessária visibilidade horizontal e vertical. Agora, com visibilidade horizontal de pelo menos 600 metros, sem altura de teto e visibilidade vertical, devido à nebulosidade, a decolagem já pode ser autorizada, mesmo se aeroporto estiver fechado para pousos”, explicou Veronesi.

O superintendente da Infraero em Londrina, Marcus Vinícius Pio, disse que as medidas já realizadas pela Prefeitura a fim de liberar as laterais do Aeroporto, para a instalação do Instrument Landing System (ILS), foram fundamentais para decisão do Cindacta. “Um técnico do Cindacta esteve em Londrina nesta semana e constatou que mais de 90% da área destinada para o aeroporto já foi desapropriada pela prefeitura e os obstáculos, como árvores, postes e casas já foram retirados, permitindo a decolagem sem teto requerido”, informou.

Ele explicou que há cinco aeronaves que pernoitam no Aeroporto de Londrina, que levam cerca de 400 passageiros todas as manhãs. “A partir de agora estes passageiros poderão sair tranquilamente, já que a maioria dos fechamentos ocorre entre 9 e 10 horas da manhã”, destacou.

Para Pio, isto representa uma conquista para a população de Londrina, alcançada pelo empenho da parceria entre Prefeitura, Infraero e sociedade civil organizada. “Esta equipe vem trabalhando em prol do desenvolvimento do Aeroporto, pois acredita na importância do equipamento para a região. Esta parceria é reconhecida dentro da Infraero”, ressaltou.

Em relação ILS, sistema de pouso por instrumento que que auxilia o piloto durante o pouso quando a visibilidade é baixa, a Codel estima que o instrumento seja instalado no município em 2017.

Texto: Dayane Albuquerque

Nenhum comentário:

Postar um comentário