quinta-feira, 2 de julho de 2015

Repórteres que atuam na linha de frente das guerras do narcotráfico substituem Saviano na Flip

Repórteres que atuam na linha de frente das guerras do narcotráfico substituem Saviano na Flip


Em substituição ao Encontro com Roberto Saviano, a Flip convidou os jornalistas Ioan Grillo e Diego Osorno para compor a mesa 16, que passa a se chamar Jornalismo de Guerrilha, no sábado, dia 4 de julho, às 19h30, na Tenda dos Autores.

A mesa presta um tributo a Roberto Saviano, que não recebeu autorização dos responsáveis por sua segurança para deixar o continente europeu.

Grillo e Osorno são especializados na cobertura da guerra entre cartéis mexicanos de traficantes de drogas, que já fez mais de 80 mil mortos no México. Com dois destaques da reportagem na América Latina e mediação da antropóloga Paula Miraglia, convidada da Flip 2014, a Festa Literária Internacional de Paraty reitera a importância da discussão sobre drogas, violência, degradação urbana a partir da criminalidade e outros temas de interesse para o debate brasileiro sobre o assunto. As difíceis condições para exercer o jornalismo hoje, em diversos países do mundo, também estarão entre os assuntos a serem tratados na mesa.

É possível utilizar o mesmo ingresso para a nova atração da mesa 16. Quem optar pela devolução do ingresso e estiver em Paraty, deve procurar a bilheteria na Tenda dos Autores antes do início da mesa, no sábado, 4 de julho, às 19h30. Os demais podem buscar os canais de comunicação da Tickets for fun, pelo telefone (11) 4003-5588 - das 11h às 17h - ou sac@ticketsforfun.com.br.

Após o início da mesa, não será admitida a devolução dos ingressos.

SOBRE OS AUTORES
O britânico Ioan Grillo (Brighton, 1973) participou desde 2001 de importantes coberturas na América Latina, como o terremoto no Haiti, as disputas políticas na Nicarágua e a incessante emigração mexicana para os Estados Unidos. Radicado na Cidade do México, publicou em 2011 o seu primeiro livro, El Narco - Inside Mexico’s Criminal Insurgency, reportagem sobre a guerra entre os cartéis de traficantes de drogas que impressiona pela quantidade de cenas de crimes, assassinatos e cenas de barbárie que Grillo apurou ou testemunhou na linha de frente. O livro teve ampla repercussão nos Estados Unidos, no Reino Unido e nos países hispânicos, e foi finalista de prêmios como o George Orwell Prize.

É correspondente sênior do GlobalPost e das revistas Time Letras Libres. Prepara o lançamento de Gangster Warlords: Drug Dollars, Killing Fields and the New Politics of Latin America, que focaliza quatro facções criminosas do continente: Los Caballeros Templarios (México), Shower Posse (Jamaica), Mara Salvatrucha (Honduras) e Comando Vermelho (Brasil).

Diego Enrique Osorno (Monterrey, 1980) é um dos destaques da nova geração de jornalistas latino-americanos. Publicou diversos livros de crónicas - como são conhecidas no mundo hispânico as reportagens de fôlego -- sobre os conflitos sociais no México, em especial a guerra dos cartéis de drogas: Oaxaca sitiada (2007), El Cártel de Sinaloa(2009), La Guerra de Los Zetas (2012), entre outros. Recebeu o Prêmio Latino-Americano de Jornalismo sobre Drogas, o Prêmio Internacional de Jornalismo, por ocasião dos 35 anos da revista mexicana Proceso, e foi selecionado pela FNPI (Fundação Gabriel García Márquez) entre os Nuevos Cronistas de Indias, grupo que reúne a elite do jornalismo narrativo latino-americano. Integrou a comissão da verdade sobre violações de direitos humanos em Oaxaca. Dirige a revista semanal El Barrio Antiguo, voltado para “o renascimento de Monterrey a partir de uma visão cidadã e através do jornalismo narrativo”.

No prefácio a La Guerra de Los Zetas, o escritor Juan Villoro, convidado da Flip 2014, assinalou: “Neste turbulento momento mexicano, narrar os fatos e explicá-los é um ato de sobrevivência. Diego Enrique Osorno pertence à estirpe das grandes testemunhas que narram a aniquilação para que ela não volte a acontecer”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário