quarta-feira, 1 de julho de 2015

Prêmio reconhece contribuição para o aumento da produção de alimentos no país



Em apenas quatro décadas, o Brasil saiu da lista de importadores para ser um dos maiores exportadores de alimentos do mundo. Em 2014, o saldo da balança comercial do agronegócio superou US$ 80 bilhões e a produção atingiu 200 milhões de toneladas de grãos. O setor rural representa cerca de um terço do PIB, das vendas externas e da mão de obra no país. A afirmação de Laércio Giampani, presidente do Conselho Diretor da Associação Nacional de Defesa Vegetal (ANDEF - foto), encerrou com brilho o 18º Prêmio Defesa Vegetal, iniciativa da ANDEF, ANDAV, InpEV e OCB.
“Esse é o resultado de um compromisso coletivo, que envolve instituições públicas e privadas, empresas dos mais diferentes segmentos, governo, lideranças, formadores de opinião e mais de 5 milhões de produtores rurais”, disse Giampani.
O Prêmio Defesa Vegetal foi o local escolhido para o lançamento do projeto “Todos Somos Defesa Vegetal”, iniciativa de âmbito nacional que visa unir todos os segmentos, pessoas e instituições ligadas ao setor produtivo em prol do objetivo comum de valorizar, defender e difundir os conceitos de boas práticas na agricultura. “Essa responsabilidade não é apenas da indústria de defensivos agrícolas, mas de toda a comunidade do agronegócio”, ressaltou o presidente do Conselho Diretor da ANDEF.
18º Prêmio Defesa Vegetal – Outro ponto alto do evento foi o anúncio dos vencedores do 18º Prêmio Defesa Vegetal, que reconheceu as melhores práticas no campo em várias categorias. “Em 18 anos, os programas de educação e extensão rural tocados pela indústria de defensivos agrícolas, revendas de insumos e cooperativas já beneficiaram cerca de 20 milhões de produtores rurais e trabalhadores com difusão de conhecimento, envolvendo treinamento e educação continuada para produzir com mais sustentabilidade e rentabilidade”, destacou Laércio Giampani.
O investimento de instituições e empresas do Mato Grosso em boas práticas na produção rural foi reconhecido nacionalmente. Agrológica e CEARPA, ambas de Primavera do Leste, foram vencedoras do 18º Prêmio Defesa Vegetal. A Agrológica foi destaque na categoria Canais de Distribuição com o Projeto Pequeno Agrônomo. A CEARPA foi premiada na categoria Campo Limpo pela eficiente coleta de embalagens usadas de defensivos agrícolas.
Os vencedores do 18º Prêmio Defesa Vegetal são:
Jornalismo – Revista Cultivar (Veículo Especializado) e Fábio Castro, com a reportagem “Doutores do Campo – Globo Repórter (Veículo Nacional)
Profissionais – Clodoaldo Dutra (Arysta), Alessandro Lopes Costa (Basf), Daniel Abreu (Bayer Cropscience), José Antonio Palermo (Dow Agrosciences), Heleno Maziero (Du Pont), Mauricio Lofrano (FMC), Giovani Jian Piletti (Monsanto), Filipe Cerqueira (Syngenta)
Ensino – Universidade Federal do Oeste do Pará (Universitários) e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Senar (Instituição)
Produção Rural – Programa Agro+ Jarbas Nicole Filho (Produtor) e Comitê Estratégico Soja Brasil – CESB (Instituição)
Indústria – Arysta (Programa Aplique Bem), Basf (Projeto Química na Vida), Bayer Cropscience (Projeto Stewardship Em Foco), Dow Agrosciences (Pecuária Verde), Du Pont (Segurança e Saúde no Campo), FMC (Tecnocalda), Monsanto (Apoio à Agricultura Responsável), Syngenta Nucoffee Sustentia)
Cooperativas – Coplana (Manejo Integrado de Pragas – Soja)
Canais de Distribuição – Agrológica (Projeto Pequeno Agrônomo)
Campo Limpo – CEARPA (Central de Primavera do Leste, MT)

Luiz Fernando Auricchio

Nenhum comentário:

Postar um comentário