quarta-feira, 1 de julho de 2015

Pimentel sanciona lei do Piso Nacional e diz que qualidade da educação depende de valorizar professores



Governador participou de ato na Assembleia Legislativa e classificou nova regra como a garantia de um futuro melhor para os mineiros

Manoel Marques/Imprensa MG
Segundo o governador, a conquista obtida é um exemplo de uma mudança na forma de administrar Minas Gerais
Segundo o governador, a conquista obtida é um exemplo de uma mudança na forma de administrar Minas Gerais
Download
O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, sancionou nesta terça-feira (30/6), durante evento na Assembleia Legislativa, lei que assegura o pagamento do Piso Salarial Profissional Nacional para os servidores da educação mineira. Pimentel classificou o ato, que contou com a presença das principais lideranças da educação do Estado, como a garantia para o início da construção de uma educação de qualidade.
“É uma vitória da nossa educação, e educação não tem dono, é do povo. Não existe educação de qualidade se os profissionais não são reconhecidos, não são bem remunerados, não são adequadamente estruturados para essa função. Estamos recuperando, aqui, uma dívida histórica dos governos anteriores para com esses profissionais e, portanto, uma dívida com a nossa juventude, uma dívida com o futuro de Minas Gerais”, afirmou.
A nova lei é fruto do acordo histórico assinado em maio entre o Estado e representantes dos trabalhadores da educação e garante o pagamento, até 2017, do Piso Nacional, além de uma série de outras vantagens para os trabalhadores, como o reajuste anual dos vencimentos, seguindo a atualização do Piso Nacional e o descongelamento das carreiras, com a consequente retomada das promoções.
Segundo o governador, a conquista obtida é um exemplo de uma mudança na forma de administrar Minas Gerais. “Isso não é mérito meu, nem dos secretários, nem dos deputados que estão nos ajudando aqui. É um mérito da sociedade mineira, que construiu esse momento. Nós demoramos muito para chegar e não vamos errar”, disse.
Pimentel ainda declarou que a cada “calúnia, acusação e situação maldosa” contra ele e o governo será respondida com trabalho. “Vamos responder com mais participação popular, com mais democracia, com mais diálogo e com mais resultados concretos”, finalizou.
Também durante a cerimônia foi promulgada a Emenda à Constituição nº 94, originária da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 35/15, que garante o pagamento de vantagens, adicionais e gratificações aos servidores da educação.
Valorização
A coordenadora geral do Sindicato Único dos Trabalhadores na Educação (Sind-UTE), Beatriz Cerqueira, ressaltou que a conquista celebrada nesta terça-feira é uma luta de muitos anos, mas que só agora foi alcançada. “O dia de hoje é um começo, daqueles que não desistiram da luta pelo piso quando nos impuseram o subsídio. Hoje é um dia em que celebramos lutas importantes. Vamos celebrar hoje para continuar na luta amanhã”, ressaltou.
Ainda de acordo com a representante do Sind-UTE, um dos avanços obtidos diz respeito a abrangência de todas as oito carreiras da classe. “Nós, hoje, nos sentimos vencedores. Mas quero que todos saibam que nós vamos continuar na luta, pois temos muita coisa para recuperar na educação pública de Minas Gerais, para a nossa dignidade e para os nossos alunos”, afirmou.
O presidente da Assembleia, Adalclever Lopes, cumprimentou o governador por estar cumprindo “rigorosamente” o que prometeu durante a campanha eleitoral: ouvir para governar. “Vamos vencer com trabalho”, assegurou.
secretária de Estado de Educação, Macaé Evaristo, destacou que esse é um momento importante para a recuperação da educação no Estado, que viverá, agora, em um novo ambiente. “Melhorar a qualidade, reduzir a evasão, melhorar a aprendizagem não se faz se nós não tivermos os profissionais remunerados com dignidade”, avaliou, lembrando, em seguida, que o próximo passo é o início do debate do plano estadual de educação.
Também participaram da solenidade o vice-governador Antônio Andrade, secretários de Estado, deputados estaduais, além de lideranças políticas e representantes de movimentos sociais e da educação mineira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário