quinta-feira, 2 de julho de 2015

Paulo Werneck permanece na curadoria da FLIP 2015


Como curador da última edição, Werneck incluiu na programação representantes de uma nova geração  de autores brasileiros e estrangeiros e aprofundou o diálogo da literatura  com outras áreas da produção cultural, como humorismo, arquitetura,  jornalismo e antropologia. 

Em sua última edição, a Flip inovou ao escolher como homenageado um  autor contemporâneo, o cartunista, escritor e multitalentos Millôr Fernandes (1923-2012), o primeiro homenageado a ter participado como convidado dafesta literária (da primeira edição, em 2003).

A instalação de telões abertos ao  público em duas praças de Paraty e o Show de Abertura gratuito foram duas novidades introduzidas pela Flip em 2014, que reforçaram a integração com a cidade, característica fundadora da festa literária, e levaram o conteúdo da Flip para um público maior e mais diversificado.

“Com isso, a conexão de Paraty e dos paratienses com a Flip ficou ainda mais forte neste ano, retomando o espírito da primeira edição. A inovação dos telões reforçou ainda mais o vínculo entre a literatura e o espaço público, a festa e a cidade, os moradores e os visitantes. Fizemos uma Flip aberta, com a cara do Millôr”, afirma Mauro Munhoz, diretor geral da programação principal.

Para formular a programação da Flip de 2015, Werneck pretende buscar inspiração no trabalho realizado na edição deste ano. “Em 2014, a Flip se  abriu, ao mesmo tempo, para a cidade e para o público que estava fora de Paraty. Esse é um movimento sem volta. Em 2015, vamos conservar esse espírito livre e afetuoso que é a marca dos grandes momentos de todas as  Flips”, comenta.

Paulo Werneck será também o curador de uma nova iniciativa da Associação Casa Azul, entidade que realiza a Flip: uma jornada de debates sobre a  história oral e os ofícios que deram vida a Paraty antes da abertura da estrada Rio-Santos, construída em 1973.

Segundo Mauro Munhoz, “a integração entre as artes e o enraizamento no território são características fundadoras da Flip. Por isso faz sentido que Paulo Werneck, além de permanecer como curador da festa literária, assuma a mesma função na jornada de debates Histórias e Ofícios do Território”.

Prevista para acontecer no final de 2014, a jornada é uma das primeiras ações do Museu do Território de Paraty, atualmente em fase de implantação, que reunirá um amplo acervo virtual sobre o patrimônio material e imaterial da cidade. O projeto conta com o patrocínio do BNDES.

Nenhum comentário:

Postar um comentário