quarta-feira, 1 de julho de 2015

Núcleo de Toledo forma 600 brigadistas para prevenção de incêndios


SAMSUNG CAMERA PICTURES
O Núcleo Regional de Educação de Toledo (Oeste) já formou 600 professores e agentes educacionais no Programa Brigada Escolar. Nas capacitações os brigadistas são treinados em primeiros socorros, prevenção de incêndios e plano de abandono.

O Programa Brigada Escolar – Defesa Civil na Escola existe desde 2012 e em 2015 virou Lei Estadual. No ano passado, todas as escolas da rede estadual receberam um kit de equipamentos com extintores, lâmpadas de saída de emergência e placas reflexivas que indicam a rota de fuga em caso de incêndio.

A formação dos brigadistas tem duas etapas: 60 horas de curso à distância e mais oito horas presenciais, para a prática de primeiros socorros, prevenção de incêndios e plano de abandono. Quem participa de todas as etapas recebe certificação de 68 horas, válidas para a progressão na carreira.

Os cursos presenciais de formação dos brigadistas são feitos em parceria com o Corpo de Bombeiros de Toledo e Marechal Cândido Rondon e a Patrulha Escolar Comunitária. Desde o início das atividades já foram formados cerca de 600 brigadistas, o que garantiu a formação das brigadas em todas as escolas da rede estadual de educação na área de abrangência do Núcleo Regional de Educação de Toledo, que engloba 16 municípios.

“Após as capacitações, os brigadistas são responsáveis por organizar e executar, em suas escolas, dois planos de abandono ao longo do ano, um a cada semestre, para a escola receber um atestado de conformidade”, explicou a professora Maria Favaro Zancanaro, responsável pelo Programa Brigada Escolar no Núcleo Regional de Educação de Toledo.

EXPERIÊNCIAS– O professor Jackson Iohan trabalha na Apae Bem me Quer, em Toledo, e comenta que o curso foi fundamental para a prática na escola. “A escola está bem organizada e os alunos estão aprendendo a importância da prevenção para a vida deles também”, afirmou Iohan.

A pedagoga Eunice Alves de Paula, que trabalha na Apae de São Pedro, também participou. “A gente vê muitas coisas na teoria e, às vezes, pensamos que é complicado. Mas aqui, na prática, vemos como os procedimentos são simples, como usar o extintor.”

A Apae de São Pedro já tem brigada formada há dois anos e as simulações de emergência são feitas semestralmente. “Como é uma escola especial, temos definidos em cada sala de aula quais são os colegas que vão levar a cadeira de rodas e quem vai ajudar aquele que tem mais dificuldade para andar. Um ajuda o outro, todos já sabem o que fazer”, afirmou ela.

Para o subtenente do Corpo de Bombeiros de Toledo, Eliseu Fernandes Apolinário, o programa está alcançando os objetivos. “O que buscamos é a mudança de comportamento, voltado para um olhar preventivo. Por isso é importante começar pela escola, pois os alunos são receptivos e adotam a ideia de prevenção”, disse Apolinário.

A partir de setembro terá início uma nova fase de formação, com o curso à distância. O encontro presencial será em novembro e dezembro.

A coordenadora do programa no Núcleo comenta que a procura para o curso está sendo grande. “Como são mais de 700 inscritos, há possibilidade de não serem atendidos neste momento. Mas quem não for atendido em 2015 já estará inscrito para o próximo ano”, explica Maria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário