sábado, 4 de julho de 2015

Governo terá dificuldade para alcançar meta de superavit primário, diz consultoria

Marcos Santos/USP Imagens
Economia - Geral - índices superavit recursos verbas inflação orçamento
O resultado das contas do governo até maio é o menor valor para o período desde 2002, quando começou a série histórica divulgada pelo Banco Central
O governo terá dificuldades para conseguir alcançar a meta do superavit primário neste ano, de acordo com nota técnica feita por consultores de orçamento da Câmara dos Deputados.
Até maio, a União conseguiu um resultado primário de apenas 11%, ou R$ 6,3 bilhões, da meta de superavit primário (R$ 55,3 bilhões - equivalente a 1% do Produto Interno Bruto – PIB) para este ano.
Esse desempenho indica “risco de não cumprimento” da meta, segundo a consultoria. O resultado é o menor valor para o período desde 2002, quando começou a série história divulgada pelo Banco Central.
A economia do governo de janeiro a maio chega a 37% no comparativo com o mesmo período de 2014. Apesar de estarem livres da poupança fiscal deste ano, as estatais geraram, até maio, um déficit primário de R$ 400 milhões, dificultando mais a tarefa do governo de alcançar a meta.
Além da meta
Os estados, Distrito Federal e municípios, no entanto, já conseguiram superar em R$ 8,3 bilhões a meta de superavit primário de R$ 11 bilhões (0,2% do PIB). Com isso, o esforço total do setor público brasileiro será de R$ 66,3 bilhões (1,2% do PIB).
Série histórica
Em outro estudo, a consultoria traz as séries históricas com análise da gestão orçamentária de 2000 a 2014. O documento traz o comparativo de parâmetros, resultados fiscais, receitas e despesas previstas e realizadas na lei orçamentária anual (LOA) dos últimos anos.
Reportagem – Tiago Miranda
Edição – Newton Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário