quinta-feira, 2 de julho de 2015



Boris Fausto é o primeiro nome confirmado para a Flip 2015

Boris Fausto é o primeiro nome confirmado para a Flip 2015

Autor trará a experiência das memórias da perda da mulher com as reflexões históricas, sociais e políticas

Um dos principais nomes da historiografia brasileira, Boris Fausto vem ganhando espaço na cena literária - e novos leitores - com a publicação, no final do ano passado, do diário O brilho do bronze, no qual narra os sentimentos e reflexões sobre a morte da mulher, Cynira Fausto (1931-2010), com quem foi casado por quase 50 anos. É esta sensibilidade, que une a experiência do luto com a crônica da cidade de São Paulo e reflexões sobre o momento histórico do Brasil, que o autor levará à Flip 2015, que acontece entre os dias 1 e 5 de julho, em Paraty.

Filho de imigrantes judeus da região da Romênia (antiga Transilvânia), bacharel em Direito e História pela Universidade de São Paulo - USP, Boris fez doutorado em História na Universidade e chegou à livre-docência, o mais alto título acadêmico.
Entre suas obras de destaque estão A Revolução de 1930 - historiografia e história, publicada pela primeira vez em 1970, e História Geral da Civilização do Brasil, escrita em parceria com Sérgio Buarque de Hollanda, uma coleção em 11 volumes, publicada nos anos 1990, sobre a história do país, desde a colônia até 1964.

Em 1997, publicou sua primeira obra memorialística, Negócios e ócios, sobre sua infância, pela qual ganhou o prêmio Jabuti, em 1998, na categoria Ciências Humanas. Em 2010, publicou sua segunda obra em primeira pessoa, Memórias de um historiador de domingo, desta vez sobre o ofício que o tornou um dos principais nomes da intelectualidade brasileira.

Boris Fausto em cinco datas:
1930 Nasce em São Paulo
1968 Conclui o Doutorado em História pela USP
1998 Recebe o Jabuti de Ciências Humanas por Negócios e ócios (memórias).
2001 Ingressa na Academia Brasileira de Ciências
2010 Morre Cynira Fausto, sua mulher


Cinco obras de Boris Fausto:

1997 A Revolução de 1930 - historiografia e história
2001 O pensamento nacionalista autoritário
2006 Getúlio Vargas - o poder e o sorriso
2009 O crime do restaurante chinês
2010 Memórias de um historiador de domingo

Nenhum comentário:

Postar um comentário