sexta-feira, 26 de junho de 2015

Preocupação do brasileiro com a saúde faz negócios de alimentação decolarem durante a crise. Franquia goiana Fast Açaí é um exemplo. A marca está presente na 24ª ABF EXPO 2015, maior feira de franquias do mundo

Academias lotadas e pistas de corrida cheias de adeptos dos exercícios físicos não deixam dúvidas: a preocupação com a saúde ganhou o brasileiro. A pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) 2014 comprova essa percepção. Em seis anos, o número de brasileiros que se exercitam aumentou 18%. Mas esses não são os números mais interessantes. Nesse contexto de cuidado com o corpo, é natural que a preocupação também gere mudanças nos hábitos alimentares. A procura por esses produtos impressionou até os especialistas. Nos últimos cinco anos, as vendas de alimentos saudáveis aumentou 98% no Brasil, movimentando US$ 35 bilhões ao ano, segundo a consultoria Euromonitor.
Esses dados apontam que, mesmo em tempos de economia estagnada, o mercado de franquias desse segmento está em alta e o açaí é um dos produtos que mais vem surfando nessa boa maré. O fruto do norte do País que conquistou atletas e esportistas de todas as regiões por seus benefícios energéticos e nutricionais, vem ampliando sua abrangência.  Exemplo acontecendo é a Fast Açaí,  franquia fundada em fevereiro 2014, para oferecer alimentação saudável com valores acessíveis. Em seu primeiro ano, explodiu e abriu 53 lojas em vários estados brasileiros. De  janeiro até junho de 2015, a marca já cresceu 16,9%. Atualmente, o menu já foi ampliado e inclui wraps, cupuaçu express, entre outros itens.  
Agora com 62 lojas, a marca está presente em Goiás, Mato Grosso, Bahia, Santa Catarina, Minas Gerais, Ceará e no Distrito Federal. De acordo com coordenador de franquias da Fast Açaí, Vilmar Tavares, o momento econômico do País não impactou o segmento. “Nosso plano de expansão segue a todo vapor. Estamos fechando mais contratos em cidades onde a marca já está presente, além de estarmos investindo na conquista de novas capitais e municípios do interior”. A meta para 2015 é chegar a 100 lojas franqueadas. As próximas implantações serão nos estados do  Tocantins, São Paulo e Rio de Janeiro.
Expansão
Nesta semana, a marca estará presente, desta quarta-feira (24/6) até sábado (27/6), na 24ª ABF Expo, maior feira de franquias do mundo que acontece emSão Paulo. Na oportunidade, a marca levará o quiosque outdoor da Fast Açaí em formato de contêiner sustentável e irá promover degustações para público conhecer os sabores de seu cardápio. A intenção é atrair novos franqueados para o negócio, que oferece rentabilidade inicial de 28% e baixo custo de investimento, que varia entre R$ 125 mil e R$ 140 mil. O quiosque ainda é barato e de fácil manutenção: ambiente tem apenas 9m² e precisa de apenas três funcionários para funcionar.
Para Vilmar Tavares, a economia nunca esteve tão aquecida como agora. “O valor de nosso cardápio acessível também é outro pilar que nos sustenta neste momento. Enquanto outros setores registram quedas nas vendas, o mercado está cada vez mais dinâmico”, diz. Os valores são de R$ 5 a R$ 14 reais.
Essa opinião é corroborada pela pesquisa da Euromonitor que entrevistou 18 mil pessoas de 18 países. No levantamento, 79% dos brasileiros disseram que saúde e nutrição são prioridade em suas vidas. Esse patamar não passa de 55% no Reino Unido e 66% nos Estados Unidos. “Produto amado pelos jovens e atletas, mas o público vem se ampliando com essa tendência à alimentação saudável. O brasileiro quer passar do Fast Food para o Health Food”, afirma.
Outro diferencial da franquia é o sabor de seu carro-chefe, o açaí. De acordo Maurício Lima, um dos sócios da franquia, ele e seus sócios investiram seis meses de pequisas e testes chegar ao sabor hoje oferecido nas lojas. “Queríamos extrair nas máquinas o mesmo sabor e textura do açaí na tigela, que é feito artesanalmente. A gente não queria fazer sorvete de açaí, nem frozen, mas o autêntico
açaí na tigela. Este é o sabor que o público tem reconhecido e elogiado”, explica.
Como tudo começou
Nos anos 1990, o quarteto era praticante de jiu-jitsu, quando ouviu falar no açaí pela primeira vez.  A fruta começava a se popularizar no País, em parte por meio de atletas paraenses, que impressionavam pela resistência. “Nos campeonatos, era nítido o seu preparo e eles contavam que o açaí era o seu arroz e feijão de cada dia”, recorda-se Pedro Lima.
O grupo aprendeu a preparar o açaí para o consumo próprio e esta foi a origem de um longo relacionamento com o fruto que, de alimento, passou a ser também um negócio.  Em 1998, Pedro e Belisário, juntamente com um outro sócio, inauguraram o primeiro restaurante de alimentação natural em Goiânia, tendo o açaí como carro-chefe. Em 2012, com experiência no ramo, vislumbraram novos horizontes. De olho no crescimento da Classe C e do setor de alimentação saudável, o quarteto se reuniu novamente, desta vez para criar uma franquia para democratizar o acesso da população ao açaí, que ainda era muito restrito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário