quarta-feira, 24 de junho de 2015

Fhemig altera regras para contratação de médicos por processo seletivo

Documento estabelece premissas básicas e reduz as burocracias nas seleções, visando acelerar o processo de contratação e aumentar o quadro de profissionais
O presidente da Fhemig Jorge Nahas assinou, nesta terça-feira (23/6), portaria que trata sobre o Processo Seletivo Simplificado para contratação de médicos na Fundação. O documento, fruto do trabalho das diretorias Assistencial, de Gestão de Pessoas, e demais chefias da Fundação, estabelece premissas básicas e reduz as burocracias nas seleções, visando acelerar o processo de contratação e aumentar o quadro destes profissionais.
Com a implantação do novo modelo, o pré-requisito mínimo para admissão do médico por meio de contrato será apenas a graduação em medicina e o registro no Conselho Regional de Medicina, considerando que o vínculo de trabalho é temporário, o que não gera nem estabilidade e estabelece restrições e a falta de profissionais em diversas áreas.
O processo consistirá em análise curricular, contagem da experiência profissional e entrevista. O candidato deve ter uma aprovação de no mínimo 80% na apresentação de conhecimento e domínio de conteúdo em sua área de atuação. “Esta iniciativa faz com que sejam contratados mais médicos para atuarem em áreas como pediatria e anestesia, setores carentes de profissionais e, consequentemente, setores em que a população tenha um melhor atendimento”, avalia o assessor da Diretoria de Gestão de Pessoas, Adolfo Sales.
Segundo Jorge Nahas, o processo de contratação dos médicos costumava durar três meses e, agora, pode durar uma semana após a eliminação de tempo e de etapas. “A redução drástica do tempo para a contratação é um avanço, uma conquista e um marco de cooperação entre as diretorias da Fhemig e das unidades", afirma o presidente da Fundação.
A assinatura do documento representa também um significativo avanço na descentralização administrativa e a delegação de poderes a setores técnicos para a tomada de decisão. Cada hospital da Fhemig terá seu próprio processo de contratação de médicos, inclusive as do interior, tarefa que antes era incumbida à Administração Central, localizada em Belo Horizonte. “Estamos iniciando esta parceria com nossas unidades, o que dará mais autonomia a elas e fará com que o médico inicie mais rapidamente suas atividades”, explica Adolfo Sales.

Nenhum comentário:

Postar um comentário